Vale anuncia baixa contábil de R$ 3,2 bilhões

LinkedIn

A Vale (BOV:VALE3informou nesta terça, 26, que, alinhado com seu processo de planejamento estratégico anual e a reavaliação de suas perspectivas de negócios, identificou que o valor contábil de certos ativos excede o seu valor recuperável, levando ao reconhecimento de um impairment e impactando o resultado da companhia no quarto trimestre de 2019.

Segundo a mineradora, os efeitos de impairment não terão impacto no fluxo de caixa e serão tratados como itens excepcionais.

“Ao longo de 2019, o segmento de Metais Básicos vem enfrentando desafios com relação à confiabilidade da produção e processamento do minério originado nas operações da Nova Caledônia. Como resultado, a companhia reduziu os níveis esperados de produção ao longo da vida útil remanescente da mina e irá registrar um impairment de aproximadamente US$ 1,6 bilhão no quarto trimestre de 2019, de um total de aproximadamente US$ 3 bilhões de ativos nessas operações”, afirmou em fato relevante.

A revisão anual dos ativos da companhia na Nova Caledônia será concluída até fevereiro de 2020 e ajustes adicionais que necessitam ser implementados estão em avaliação e, consequentemente, impairments adicionais que podem impactar o ano fiscal de 2019 não podem ser descartados ainda.

Além disso, durante a conclusão do planejamento estratégico para as operações de carvão, a Vale identificou que sua expectativa de yield do carvão metalúrgico e térmico mudou desde a concepção do projeto, principalmente devido a problemas técnicos apresentados no projeto e nas operações.

A companhia realizou também uma revisão detalhada do plano de lavra, o que reduziu o nível de reservas provadas, e revisou os cenários de preço do carvão metalúrgico e térmico utilizado em suas avaliações.

Como resultado, a companhia registrará um impairment, sem efeito caixa, de aproximadamente US$ 1,6 bilhão no quarto trimestre de 2019.

A Vale ressaltou que o novo plano de lavra do Carvão priorizará reservas minerais de melhor qualidade, maximizando a participação do carvão metalúrgico no mix de produtos e com uma menor relação estéril/minério.

“Em 2020, as operações de carvão em Moatize entrarão em manutenção por um período de três meses e implementarão um novo flowsheet operacional, aumentando a produtividade e o yield da planta. Após a adoção dessas medidas, a Vale espera alcançar um ritmo de produção de 15 Mtpa no 2S20 em Moatize”, destacou.

A revisão anual de ativos da companhia será concluída até fevereiro de 2020, em linha com a divulgação das demonstrações financeiras consolidadas de 2019.

Deixe um comentário