Tensão no Oriente Médio pesa sobre as bolsas nesta segunda-feira

LinkedIn

ÁSIA: Os principais mercados asiáticos caíram nesta segunda-feira, com aumento das tensões geopolíticas no Oriente Médio depois que o principal comandante militar do Irã foi morto em um ataque aéreo dos EUA em Bagdá, aumentando preocupações com uma possível retaliação das forças iranianas.

No fim de semana, o parlamento do Iraque aprovou uma resolução pedindo que o governo expulsasse tropas estrangeiras do país. O presidente Donald Trump respondeu ameaçando impor sanções ao Iraque. Enquanto isso, o Irã declarou que não aderirá mais às restrições de enriquecimento de urânio acordadas no acordo nuclear de 2015.

Após retorno das férias de fim de ano, o índice Nikkei do Japão declinou 1,91%, enquanto o índice Topix caiu 1,39%.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi caiu 0,98%.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,79%. Na China continental, as bolsas resistiram à tendência regional de queda. O composto de Xangai facilitou fechou praticamente estável, em 3.083,41 pontos, enquanto o composto de Shenzhen subiu 0,44%.

O setor de serviços da China expandiu em um ritmo mais lento em dezembro, pressionado por um aumento mais lento de novos pedidos e uma queda na confiança dos negócios. O índice PMI de serviços da Caixin China registrou leitura de 52,5 em dezembro, abaixo da alta de sete meses de 53,5 em novembro. A pesquisa continua acima da marca dos 50, limite que separa a expansão da contração.

A moderação no crescimento indica que as empresas de serviços continuam cautelosas com questões como as tensões comerciais com os EUA e crescimento econômico doméstico relativamente moderado. Os dados de segunda-feira confirmou os números do Bureau Nacional de Estatística da semana passada, quando o PMI oficial ficou em 53,5 em dezembro, contra 54,4 em novembro.

Na Austrália, o ASX 200 registrou leve alta de 0,04%, com o subíndice financeiro fortemente ponderado recuando 0,58%, enquanto o setor de energia subiu 1,27%. Entre as mineradoras, BHP subiu 0,6%, que também possui ativos de energia, enquanto Rio Tinto recuou 0,3%.

A Austrália enfrenta uma temporada devastadora de incêndios, que deve piorar à medida que os meses de verão avançam. Os incêndios mataram pelo menos 18 pessoas até agora, destruíram mais de 1.000 casas e nove milhões de acres de terras. Dizem que quase meio bilhão de animais no estado de Nova Gales do Sul foram mortos pelos incêndios nos últimos meses e o número deve aumentar. Um especialista previu que os incêndios florestais poderiam ser um “grande obstáculo” ao crescimento da Austrália.

Os preços do petróleo subiram 3% na sexta-feira, com preocupações de que os possíveis conflitos entre os EUA e o Irã possam atrapalhar a produção de energia na região. Os preços subiram ainda mais na segunda-feira à tarde na Ásia: os futuros de petróleo dos EUA subiram 1,97%, a US $ 64,29 por barril, e o benchmark global Brent subiu 2,33%, para US $ 70,20.

EUROPA: As bolsas europeias negociam em baixa nesta segunda-feira, enquanto os investidores monitoram as crescentes tensões entre os Estados Unidos e o Irã.

O pan-europeu Stoxx 600 cai 1,2% no meio da manhã, com os setores de automóveis, produtos químicos e bancos liderando as perdas.

As mineradoras recuam em Londres. Anglo American cai 1,9%, Antofagasta recua 2,1%, BHP recua 0,9% e Rio Tinto cai 1,5%.

Os investidores estão fugindo de ativos de riscos, como ações, ante alternativas mais seguras, como ouro e títulos de governo, depois que um ataque aéreo dos EUA na semana passada matou o principal comandante militar do Irã, Qasem Soleimani, no Iraque. O ataque aumentou as relações já voláteis entre Washington e Teerã.

O petróleo continuam subindo devido à intensificação das tensões EUA-Irã, com temores de que isso atrapalhe a oferta no Oriente Médio. Os contratos futuros de petróleo brent sobem 1,72%. Os contratos futuros de petróleo dos EUA (WTI) sobem 1,44%.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos Estados Unidos caem na segunda-feira de manhã, em meio à contínuas tensões geopolíticas.

O Dow, S&P 500 e o Nasdaq registraram seu pior dia de negociação em um mês na sexta-feira. As tensões globais aumentaram depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, autorizou um ataque aéreo em Bagdá que matou o general iraniano Qasem Soleimani.

Como resultado, o ouro atingiu uma alta de quatro meses e os preços do petróleo tiveram seu melhor desempenho diário desde o início de dezembro.

O presidente Trump disse no domingo que poderia aplicar sanções ao Iraque se o parlamento aprovasse uma resolução pedindo que o governo expulsasse tropas estrangeiras do país. Trump alegou que os EUA possui uma base aérea existente extraordinariamente cara, que custou bilhões de dólares para construir, muito antes de seu tempo. “Não vamos embora, a menos que nos paguem por isso”, disse Trump no domingo.

Na agenda econômica está prevista o Índice PMI do setor de serviços que deve ser entregue às 11h45 (horário de Brasília).

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:

Dow: -0,58%

SP500: -0,58%

NASDAQ: -0,70%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário