Mercados avançam com recuo no temor com COVID-19

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas na Ásia subiram na quarta-feira, com os investidores ignorando as preocupações com o surto de coronavírus. O sentimento também foi aliviado de certa forma por conta de Wall Street, onde ganhos modestos elevaram o S&P 500 e o Nasdaq para as máximas de todos os tempos pelo segundo dia consecutivo.

A Comissão Nacional de Saúde da China registrou 2.015 novos casos de coronavírus, marcando o menor número de novos casos em um dia desde o final de janeiro, segundo a Reuters. O número de casos em todo o mundo é de cerca de 45.000. A China registrou mais 97 mortes devido ao novo vírus, chamado COVID-19, elevando o total de mortos para 1.100.

Segundo analistas, apesar das preocupações com o coronavírus, os investidores tendem a acreditar que o pior já passou e que os bancos centrais e formuladores de políticas estão adotando medidas para estimular a economia durante e após a crise de saúde pública.

Na China continental, as bolsas fecharam em alta. O Shenzhen Composite subiu 1,55%, enquanto o composto de Xangai ganhou 0,87%. O índice Hang Seng de Hong Kong avançou 0,87%.

No Japão, o Nikkei subiu 0,74%, com as ações do conglomerado gigante Softbank Group disparando 11,89% depois que um juiz dos Estados Unidos aprovou uma fusão entre a T-Mobile e a Sprint. A Softbank é acionista majoritária da Sprint. O índice Topix, por outro lado, encerrou o dia de negociação ligeiramente menor, em 1.718,92 pontos.

Enquanto isso, o Kospi da Coreia do Sul subiu 0,69%.

O ASX 200 na Austrália terminou seu pregão 0,47% mais alto, em 7.088,20 pontos, enquanto as ações do Commonwealth Bank of Australia subiam 4,08% após a divulgação de seus resultados semestrais. Entre as mineradoras, BHP caiu 0,4%, Fortescue recuou 0,2%, enquanto Rio Tinto perdeu 1,4%.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan avançou 0,8%.

EUROPA: Os mercados europeus negociam em alta nesta quarta-feira de manhã, depois que a China registrou o menor número de novos casos de coronavírus desde janeiro.

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,4% e atinge um novo recorde, com setor de automóveis liderando ganhos, já que todos os setores, exceto os de saúde, avançam para o território positivo.

Na terça-feira, o pan-índice subiu 0,9%, para 428,48 pontos, registrando um novo recorde de fechamento. O índice alemão DAX 30 sobe 0,65%, depois de marcar uma nova máxima de fechamento na terça-feira, aos 13627,84 pontos ao subir quase 1%.

O índice CAC 40 sobe 0,30% e o índice FTSE 100 do Reino Unido avança 0,20%.

Entre as mineradoras, Anglo American sobe 1,7%, Antofagasta e BHP sobem 1,5% cada, enquanto Rio Tinto sobe 1,8%.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA sobem na manhã de quarta-feira, depois que o S&P 500 e a Nasdaq alcançaram novos recordes de fechamento na terça-feira.

Os investidores continuam a monitorar o impacto do surto de coronavírus. Na noite de terça-feira, a Comissão Nacional de Saúde da China registrou 97 mortes adicionais, com o total de casos confirmados passando por 44.000.

O presidente do Federal Reserve dos EUA, Jerome Powell, testemunhou na terça-feira diante do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara que a economia americana está em uma boa situação, mas que o banco central está “monitorando de perto” as potenciais consequências econômicas globais com o vírus, embora tenha observado que é “muito cedo para dizer” como a doença pode atingir a economia americana.

Com base nos comentários de Powell, fica claro que o Fed acredita que a China tomou medidas extremamente fortes para conter o vírus pois existem muito poucos casos nos EUA e até agora, o impacto na economia americana é limitado, porém “muitas fábricas dos EUA na China permanecem fechadas e os voos para a China permanecem cancelados.

Os ganhos corporativos permaneceram em foco e a Under Armour, alertou na terça-feira que prevê um impacto do surto, que poderia reduzir as vendas em US $ 50 milhões a US $ 60 milhões.

A Lyft reportou mais de US $ 1 bilhão em receita trimestral após o sino de fechamento na terça-feira, mas prevê um crescimento mais lento em 2020.

CME Group e a CVS Health publicarão seus números antes do sino na quarta-feira, enquanto Cisco Systems, Applied Materials e TripAdvisor estão entre os que reportarão após o fechamento do pregão.

As vagas de emprego nos EUA caíram pelo segundo mês consecutivo em dezembro, atingindo seu nível mais baixo em dois anos e que de acordo com um relatório do Departamento do Trabalho na terça-feira, a recente aceleração no crescimento de empregos pode não ser sustentada. As demissões também aumentaram no final do ano, apesar de as vagas permanecerem relativamente altas.

Os números do orçamento federal de janeiro serão divulgados às 16h00.

Entre as notícias políticas, Bernie Sanders venceu a primária democrata de New Hampshire, seguida de perto por Pete Buttigieg, enquanto a exibição decepcionante do ex-vice-presidente Joe Biden continuou.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:

Dow: +0,42%

SP500: +0,35%

NASDAQ: +0,50%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário