O que são Fintechs? Entenda como a tecnologia vem mudando o mundo das finanças

LinkedIn

Você já ouviu falar nas fintechs? Se não, saiba que elas já deixaram de ser uma tendência e estão cada vez mais em alta. Talvez até você seja cliente de alguma ou, quem sabe, trabalhe em uma.

O termo fintech é a união de duas palavras em inglês: Financial (referência a “finanças”) e Technology (Tecnologia). Com base nisso já é possível arriscar do que se tratam as fintechs.

Elas são empresas que atuam basicamente no segmento das finanças. Para isso, elas contam com as ferramentas mais atuais do cenário tecnológico, tais como softwares, inteligência artificial e mais uma série de recursos.

Sabe o Nubank, o banco digital? Pois então, ele é uma fintech. De uma forma geral, é possível afirmar que as fintechs oferecem soluções financeiras de um modo menos burocrático, dando mais autonomia para o usuário.

Por isso, não é exagero dizer que as fintechs representam um dos expoentes da atual revolução tecnológica, inclusive fazendo os bancos tradicionais também migrarem para o “lado digital da força”.

É possível colocar as Fintechs na categoria das startups?

Nos seus primeiros meses de vida é possível que uma fintech seja considerada uma startup, afinal, são empresas inovadoras que ainda estão engatinhando, porém denotam uma nítida tendência para se desenvolver.

Já as fintechs consistem em empresas de serviços financeiros que se destacam diante das outras empresas do setor devido ao modo inovador que usam as atuais ferramentas tecnológicas.

A grande distinção entre uma Fintech e uma startup é que a segunda não necessariamente faz parte do setor financeiro. Ela pode atuar no mercado de entretenimento, seguros, alimentação, tecnologia, vestuário, ou qualquer outro do mercado.

A Netflix é o caso de uma empresa que começou como uma startup. Ela apostou em um mercado que estava em ascensão, que é o conteúdo de entretenimento via streaming. Atualmente ela é uma gigante na sua área de atuação.

A atuação das Fintechs no mercado moderno

No nosso cotidiano moderno tudo pode ser solucionado por meio da internet, desde pagamentos às transferências, incluindo aí empréstimos bancários e até mesmo a realização de investimentos.

Graças à internet, por exemplo, você pode até mesmo investir na criação de uma loja online e criar um negócio próprio.

Para iniciar o ideal é fazer um bom planejamento, focar em um tipo de público e adquirir um bom plano de hospedagem de sites, que vai proporcionar para o seu e-commerce uma série de vantagens.

A verdade é que os serviços de web hosting são responsáveis pela velocidade, segurança e estabilidade de qualquer projeto na web. No caso das fintechs, esse cuidado deve ser ainda redobrado, principalmente por conta da segurança digital. 

Contudo, é nesse contexto que as fintechs encontraram um terreno fértil para crescer. Vale destacar que com um smartphone e uma conexão online, as fintechs proporcionam aos seus clientes serviço rápido e atendimento de alta qualidade.

Além disso, as fintechs não ficam limitadas apenas no segmento dos bancos digitais. Elas também podem abranger outros segmentos relacionados com soluções financeiras. Nesse caso, vale citar alguns abaixo.

Fintechs de empréstimo

Elas atuam realizando tudo o que uma empresa de empréstimo faz, tais como efetuam análises de créditos, estudam as melhores condições para os clientes e outras funcionalidades básicas do setor.

A Geru, nesse caso, é uma fintech de empréstimo. Ela está no ar desde o ano de 2015, sendo considerada uma pioneira nesse segmento.

Fintechs de Bitcoins

Já que as criptomoedas estão em alta, não é surpresa que surgissem fintechs voltadas para esse nicho, pois já que o assunto é unir finanças e tecnologia, uma fintech de moeda virtual é aliar o útil ao agradável.

Portanto, as fintechs de criptomoedas surgem para facilitar as transações, os investimentos e tudo mais que envolve esse mercado. Um exemplo de fintech desse estilo é a Mercado Bitcoin.

Fintechs de Crowdfunding

São fintechs que atualmente já adquiriram uma enorme popularidade. Graças a elas, vários artistas e personalidades (das mais variadas áreas) lançam as suas obras e eventos.

Elas também facilitam outros projetos, que vão desde iniciativas empresariais a ações beneficentes. No financiamento coletivo é possível fazer aquela famosa “vaquinha”, só que agora com a ajuda da internet e da tecnologia.

As fintechs de Crowdfunding ganharam destaque ao mesmo tempo em que conceitos como “economia colaborativa” e “financiamento coletivo” começaram a aparecer com mais frequência no nosso dia a dia. Um exemplo de fintech nessa linha é o site Catarse.

Os benefícios que uma Fintech proporciona

Pelo fato de ser baseada no que há de mais moderno em tecnologia online, algumas vantagens das fintechs são bem evidentes como podemos ver a seguir.

Agilidade

No caso dos bancos digitais, o usuário tem condições de sanar qualquer tipo de problema de maneira rápida, via smartphone e sem perder tempos em agências.

Preços acessíveis

Geralmente elas tendem a oferecer serviços com preços baixos, mas ainda assim priorizando a qualidade.

Inovação

Basear boa parte das operações no ambiente online é um diferencial quando comparadas com as empresas tradicionais. Isso atrai boa parte do público jovem, nativo da era digital.

Usando a tecnologia para gerenciar as finanças 

Como pudemos ver, a tecnologia é inovação são as principais engrenagens das fintechs que ganham cada vez mais espaço nos dias de hoje, se tornando uma alternativa viável e rápida para os usuários.

Por fim, toda essa facilidade mostra o quanto a internet exerce um grande papel no mundo dos negócios e das finanças, desconstruindo aos poucos aquela ideia que a web é um ambiente “perigoso” para lidar com dinheiro.

E aí, você é cliente de alguma Fintech? O que acha dos serviços?

 

Deixe um comentário