A volatilidade promete continuar nesta semana nos mercados mundiais

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas da região Ásia-Pacífico registraram quedas acentuadas nesta segunda-feira, com temor do impacto econômico global do surto de coronavírus continuando a pesar significativamente sobre o sentimento dos investidores.

Na Índia, o Nifty 50 despencou 13,22%. A bolsa interrompeu temporariamente as negociações anteriormente quando foi acionado o “circuit braker”.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 caiu 5,62%, fechando em 4.546,00 pontos, com queda em todos os setores. Entre as mineradoras, Fortescue Metals despencou 8,6%, enquanto Rio Tinto recuou 3,3%. Em sentido contrário BHP avançou 0,7%. A produtora de petróleo Woodside Petroleum caiu 2,8%.

Na Coreia do Sul, as quedas também foram substanciais, com o Kospi caindo 5,34%. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 4,86%.

Na China continental, o dia também foi de quedas, com o composto de Xangai caindo 3,11%, para cerca de 2.660,17 pontos, enquanto o composto de Shenzhen caiu 4,26%.

O Nikkei do Japão contrariou a tendência regional, saltando 2,02% para fechar em 16.887,78 pontos, enquanto o índice Topix avançou 0,68%. O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, reconheceu que um adiamento das olimpíadas pode ser inevitável, já que Canadá e Austrália aumentaram a imensa pressão sobre os organizadores, dizendo que não enviariam atletas a Tóquio a menos que as Olimpíadas sejam adiadas por um ano.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan recuou 5,19%.

Segundo analista da ANZ, os custos econômicos do surto de COVID-19 estão começando a se revelar: “Revisamos substancialmente nossas previsões de crescimento do G3 para mais baixas, com os EUA provavelmente registrando seu desempenho mais fraco desde 1946”.

O surto global de coronavírus continua a se espalhar rapidamente pelo mundo, com o número de infectados agora com mais de 294.000 e mais de 12.900 mortes, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde.

Segundo especialista para Ásia do JP Morgan: ″É justo dizer que os mercados asiáticos continuarão trocando sentimentos negativos vindos da Europa e dos EUA”.

Os preços do petróleo fecharam sem direção no horário asiático. O Brent Futuro caiu 2,63%, para US $ 26,27 por barril, enquanto os contratos futuros de petróleo dos EUA, por outro lado, se recuperaram de uma queda anterior para subir 1,37%, a US $ 22,94 por barril.

EUROPA: As bolsas europeias negociam em acentuada baixa no início da sessão desta segunda-feira, depois que o Senado dos EUA falhou em não aprovar um projeto de estímulo fiscal no domingo, quando os democratas alertaram que a medida não eram suficiente para ajudar os trabalhadores e socorrer empresas.

O Stoxx Europe 600 negocia em queda de 3,27%, baixa de 32% nas últimas cinco semanas. Entre os principais índices regionais da Europa, o DAX 30 alemão cai 3,47%, o francês CAC 40 recua 3,29% e o FTSE 100 do Reino Unido cai 4,30%.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American cai 4,9%, Antofagasta recua 6%, BHP cai 3,9% e Rio Tinto tomba 6,3%.

Enquanto isso, a Alemanha pode autorizar mais de 350 bilhões de euros em novas dívidas, segundo relatos, já que a chanceler Angela Merkel foi colocada em quarentena depois de entrar em contato com um médico portador de vírus. O Reino Unido, lançou um programa que garantiria a maior parte dos salários dos trabalhadores depois que os mercados fecharam na sexta-feira.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA apontam para perdas acentuadas. O mercado acionário dos EUA deve cair novamente na abertura de segunda-feira, enquanto Wall Street espera Washington se entender com o plano de resgate para amortecer o impacto do surto de coronavírus.

No início da sessão, os futuros atingiram seu “limite de baixa”, caindo 5%. Não são permitidas negociações abaixo desse nível.

Os fundos negociados em bolsa que acompanham os principais índices não estão sujeitos a esses mecanismos, portanto oferecem informações sobre como pode ser a abertura do mercado. O  SPDR S&P 500 ETF cai mais 3% no pré-mercado.

Um importante projeto de estímulo fiscal fracassou no Senado no domingo, quando os democratas alertaram que a medida não era suficiente para ajudar os trabalhadores e socorrer empresas. Antes, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, havia sinalizado que não estava de acordo com a versão republicana do plano de estímulo.

No entanto, o líder da minoria no Senado, Chuck Schumer, disse que as divergências sobre o projeto podem ser superadas nas próximas 24 horas. Um porta-voz de Schumer acrescentou mais tarde que o senador e secretário do Tesouro Steven Mnuchin tiveram uma “reunião produtiva”.

O diretor do Conselho Econômico Nacional, Larry Kudlow, disse no sábado que o pacote de estímulo econômico totalizará mais de US $ 2 trilhões, observando que será igual a aproximadamente 10% da produção econômica dos EUA. Na semana passada, o presidente Donald Trump assinou uma conta de US $ 100 bilhões que expandiu as férias remuneradas nos EUA.

Mnuchin disse no domingo que os programas de financiamento para estimular a economia podem equivaler a US $ 4 trilhões, observando que esses esforços incluirão a coordenação com o Federal Reserve para fornecer às empresas a liquidez necessária.

O número de infectados nos EUA aumentou dramaticamente nas últimas semanas, com o estado de Nova York sozinho agora respondendo por mais casos de coronavírus em comparação com outros países enfrentando desafios no gerenciamento de seus próprios casos, como França e Coreia do Sul.

O surto levou a Bolsa de Nova York a fechar seu pregão e passar temporariamente para o comércio eletrônico a partir de segunda-feira. A NYSE espera que as negociações continuem normalmente.

As ações sofreram o maior declínio semanal desde a crise financeira de 2008, com o S&P 500 caindo mais de 13%. Essas perdas colocam a média do mercado para mais de 32% abaixo do recorde estabelecido em 19 de fevereiro.

A semana passada terminou com todos os 11 setores do S&P 500 fechando com baixa superior à 20% em relação à máxima de 52 semanas. O S&P 500 também estava à ritmo de seu pior desempenho mensal desde 1940.

As expectativas para a economia dos EUA também se deterioraram rapidamente. Economistas do Goldman Sachs escreveram na sexta-feira que esperam uma contração de 24% no segundo trimestre, após uma queda de 6% no primeiro trimestre. A economista do Morgan Stanley disse em nota no domingo que espera uma contração histórica de 30% no segundo trimestre.

Os investidores também foram abalados por um forte declínio nos preços do petróleo. Os contratos futuros do WTI caíram 29,3% na semana passada, a maior queda semanal desde janeiro de 1991. O petróleo dos EUA também está mais de 66% abaixo da máxima de 52 semanas.

As fortes perdas no petróleo estão forçando os investidores a vender outros ativos, como ações ou títulos, para cobrir as perdas de suas posições de energia.

ÍNDICES FUTUROS – 7h40:
Dow: -2,40%
SP500: -2,45%
NASDAQ: -1,90%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário