Futuros dos EUA operam em baixa apesar da notícia de estímulo do FMI

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas na Ásia-Pacífico subiram na sessão de quinta-feira, à medida que governos e bancos centrais adotavam medidas mais agressivas para combater o surto de vírus e seus efeitos na economia.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) também anunciou na quarta-feira um pacote de ajuda de US $ 50 bilhões para combater o impacto do coronavírus.  A diretora administrativa do FMI, Kristalina Georgieva, disse que o dinheiro está disponível “imediatamente” e é para países de baixa renda e mercados emergentes.

Na China continental, o composto de Xangai subiu 1,99%, enquanto o composto de Shenzhen subiu 1,77%. O índice Hang Seng de Hong Kong avançou 2,08%.

Na Austrália, o S & P / ASX 200  subiu 1,11%, fechando em 6.395,70 pontos. Entre as mineradoras, BHP caiu 1,2%, Rio Tinto recuou 2,2%. A produtora de petróleo Woodside Petroleum avançou 0,9%.

Os dados de comércio da Austrália divulgados na quinta-feira superaram as expectativas. O saldo de bens e serviços atingiu um superávit de US $ 5,21 bilhões em dólares australianos (aproximadamente US $ 3,445 bilhões), com ajuste sazonal, acima das expectativas de um superávit de US $ 4,8 bilhões em uma pesquisa da Reuters. Além disso, o país alertou na quinta-feira que a crise do coronavírus deduzirá pelo menos meio ponto percentual do crescimento no trimestre atual, segundo a Reuters. A Austrália relatou sua segunda morte pela doença e a primeira por uma transmissão local.

No Japão, o Nikkei fechou em alta de 1,09%, em 21.329,12 pontos, enquanto o índice Topix ganhou 0,88%. O Kospi da Coreia do Sul  fechou 1,26% maior, a 2.085,26 pontos.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan avançou 1,26%.

EUROPA: As bolsas europeias inverteram a alta da abertura desta quinta-feira, apesar da uma promessa de US $ 50 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI) para combater o surto de coronavírus.

De repente, o pan-europeu Stoxx 600 inverteu o curso durante as negociações da manhã para cair 0,95%, com ações ligadas aos setores de automóveis e recursos básicos caindo mais de 2%.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American cai 1,9%, Antofagasta recua 2,4%, BHP despenca 4,9%, Rio Tinto perde 6%.

Os investidores continuaram monitorando a evolução do surto de coronavírus, com mais de 90.000 casos confirmados em todo o mundo.

Georgieva, do FMI, disse na quarta-feira que a organização gostaria de ver o dinheiro do seu pacote de ajuda usado primeiro para reforçar os sistemas de saúde e depois para programas direcionados à estímulo fiscal e aumento de liquidez. Os movimentos do FMI ocorreram em meio a uma série de cortes de taxas dos bancos centrais nesta semana, como o Federal Reserve dos EUA e o Reserve Bank da Austrália.

A atenção na Europa ainda está firmemente focada na Itália, o país mais atingido pelo surto fora da Ásia, ao lado do Irã.

Dados mais recentes da Itália apontam para 2.706 casos confirmados e 109 mortes; a maioria dos casos (1.479) está na Lombardia, onde está localizado o centro financeiro da Itália, Milão. O governo da Itália decidiu na quarta-feira fechar todas as escolas e universidades de todo o país até meados de março.

A IATA (International Air Transport Association) alertou que receita de passageiros de linhas aéreas em 2020 pode cair em até US $ 113 bilhões.

Entre outras notícias, os preços do petróleo avançam, antes de uma reunião da Opep em Viena, Áustria. A Arábia Saudita, líder de fato da Opep, deve pressionar o grupo produtor de petróleo de 14 membros e seus aliados não membros da Opep, incluindo a Rússia, a aprofundar os cortes de produção para apoiar o mercado.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam em baixa na manhã de quinta-feira, após outra forte alta na sessão anterior.

Os movimentos nas sessões anteriores nos mercados ocorreram em meio a uma turbulência em Wall Street. Após a alta na quarta-feira, os três principais índices dos Estados Unidos saíram do território de correção, o que significa que agora estão a menos de 10% abaixo das máximas de 52 semanas.

Uma série de fatores tem impulsionado o sentimento dos investidores, desde desenvolvimentos em torno do surto de coronavírus que continuaram a se espalhar globalmente até as vitórias do ex-vice-presidente Joe Biden entre os democratas durante a Super Terça-feira.

No início da semana, o Federal Reserve também reduziu inesperadamente sua taxa básica de juros em 50 pontos-base, citando o coronavírus que “apresenta riscos crescentes para a atividade econômica”. Foi o primeiro corte emergencial do banco central desde a crise financeira de 2008.

A medida falhou em amenizar as preocupações do mercado de ações sobre o potencial impacto econômico do surto de coronavírus, ao mesmo tempo em que desencadeou movimentos acentuados nos mercados de títulos, com o rendimento da nota de referência do Tesouro de 10 anos caindo abaixo de 1% pela primeira vez na história. Os rendimentos dos títulos caem à medida que seus preços aumentam.

Os investidores também preveem que outros bancos centrais sigam na terça-feira o movimento surpresa do Federal Reserve para reduzir as taxas de juros na esperança de proteger a economia das conseqüências econômicas do novo coronavírus. O banco central do Canadá cortou as taxas na quarta-feira, também em meio ponto percentual e citando o efeito do vírus.

O Banco da Inglaterra tem uma reunião em 26 de março sobre taxas de juros. Enquanto isso, o Banco Central Europeu e outros países já cortaram taxas abaixo de zero, o que limita seu poder de fogo da política monetária. Mas economistas dizem que poderiam fazer outros movimentos, como liberar bancos para emprestar mais.

Na agenda econômica, as solicitações de seguro desemprego será divulgado às 10h30. Pedido às fábricas sairá as 12h00.

ÍNDICES FUTUROS – 7h40:
Dow: -1,62%
SP500: -1,78%
NASDAQ: -1,74%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário