Mercados caem mesmo com medidas emergenciais do FED: Pânico?

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas na região Ásia-Pacífico caíram nesta segunda-feira, apesar do Federal Reserve dos EUA reduzir sua taxa de juros para zero e lançar um enorme programa de flexibilização quantitativa em uma ação de emergência no domingo.

O S &/ AS X 200  na Austrália liderou as perdas entre os principais mercados da região, ao cair 9,7%, fechando em 5.002 pontos. Essa foi a maior queda diária de todos os tempos do benchmark, segundo a Reuters. O sub-índice financeiro fortemente ponderado mergulhou 11,1%: o Australia and New Zealand Banking Group caiu 12,5%, Commonwealth Bank da Austrália caiu 10,01%, Westpac caiu 11,81% e o National Australia Bank despencou 12,44%. Entre as mineradoras, BHP caiu 0,5%, Fortescue Metals avançou 2,3% e Rio Tinto subiu 2%. A produtora de petróleo Woodside Petroleum despencou 7,4%.

Na China continental, o dia também foi de baixa: o composto de Xangai mergulhou 3,4%, para 2.789,25 pontos, enquanto o composto de Shenzhen caiu 4,83%. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 4,03%.

No Japão, o Nikkei fechou em baixa de 2,46%, a 17.002,04 pontos. O índice Topix caiu 2,01% para encerrar o pregão em 1.236,34 pontos. O Kospi da Coreia do Sul caiu 3,19%.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan caiu 4,99%.

Os investidores observaram a reação do mercado às últimas ações do FED. “Ironicamente, os mercados podem ter percebido a resposta do FED como pânico”, especialmente quando os casos de COVID-19 disparam globalmente, segundo um analista.

Autoridades de todo o mundo correm para implementar medidas para combater o impacto econômico do atual surto global de coronavírus.

Após o anúncio do FED, o Banco do Japão também anunciou na segunda-feira medidas como compra “ativa” de fundos negociados em bolsa e fundos de investimento imobiliário no Japão para “apoiar atividades econômicas e financeiras”.

Os preços do petróleo caíram no pregão asiático, com os futuros do Brent caindo 5,97%, para $ 31,83 por barril. Os contratos futuros de petróleo dos EUA também caíram 4,19%, para US $ 30,40 por barril.

Na frente dos dados econômicos, a China disse na segunda-feira que a taxa nacional de desemprego urbano atingiu 6,2% em fevereiro. É a leitura mais alta registrada na base nos dados da Wind Information. A taxa de desemprego foi de 5,7% em fevereiro para 31 grandes cidades chinesas, informou o Bureau Nacional de Estatísticas na segunda-feira.

A produção industrial caiu 13,5% no período de janeiro a fevereiro em relação ao ano anterior, em comparação com o aumento de 6,9% em dezembro. O resultado foi pior do que a queda de 3,0% esperada pelos economistas. A China normalmente combina dados econômicos dos dois primeiros meses para reduzir distorções do prolongado feriado do Ano Novo Lunar.

O investimento em ativos fixos, um indicador da atividade de construção, caiu 24,5% durante o período, revertendo um crescimento de 5,4% em 2019. Os economistas esperavam que o investimento em ativos fixos caísse 1,0%. O investimento em manufatura foi o mais atingido, com queda de 31,5%. O investimento em alta tecnologia caiu 17,9%, informou a agência.

As vendas no varejo caíram 20,5% nos dois primeiros meses do ano, normalmente uma estação de crescimento do consumo, em comparação com o crescimento de 8,0% em dezembro. Economistas esperavam que as vendas no varejo caíssem 5%. Enquanto isso, a taxa de desemprego urbano da China subiu para 5,7% em fevereiro, ante 5,2% em dezembro, mostraram dados oficiais.

Para conter a disseminação do coronavírus, Pequim, isolou as cidades mais atingidas pela epidemia, ordenou o fechamento de fábricas e empresas e aconselhou os moradores a ficar em casa em janeiro, além de estender o feriado do Ano Novo Lunar, que deixou as fábricas fechadas por um período prolongado.

EUROPA: As bolsas europeias negociam em acentuada baixa na abertura do pregão de segunda-feira, com o impacto do coronavírus na economia mundial contrapondo os esforços do Federal Reserve dos EUA para limitar as consequências do surto.

O Stoxx Europe 600, que caiu 18% na semana passada, despenca 8% no início do pregão. Entre os principais índices, o DAX 30 alemão cai 7,2%, o francês CAC 40 despenca 8,7% e FTSE 100 do Reino Unido cai 6,1%.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American cai 5,3%, Antofagasta recua 6,1%, BHP recua 4,1% e Rio Tinto perde 1,5%.

Os mercados estão reagindo à paralisação que ocorre no continente. O número de casos italianos de COVID-19 continuam a aumentar. A Espanha impôs um bloqueio de 15 dias em suas fronteiras além de declarar estado de emergência ao confirmar o maior número de casos de COVID-19 na Europa, depois da Itália.

Os EUA expandiram a proibição de viagens para o Reino Unido e a Irlanda. A Alemanha anunciou que estava fechando parcialmente suas fronteiras, a França fechou seus famosos cafés e restaurantes e a Holanda ordenou que seus estabelecimentos que vendem maconha fossem fechados.

TUI, empresa de turismo listada em Londres, cai 28,889% depois de dizer que estava interrompendo a grande maioria de suas operações.

H&M, cadeia de varejo sueca, disse que suas vendas na China aumentaram 27% até 23 de janeiro e terminaram o trimestre de 29 de fevereiro com uma queda de 24%. Na China, as vendas começaram a se recuperar gradualmente à medida que a situação no país melhorou, mas agora está enfrentando o mesmo problema na Europa. A H&M disse que todas as lojas do grupo estão temporariamente fechadas na Itália e durante o fim de semana, todas as lojas também foram fechadas temporariamente na Polônia, Espanha, República Tcheca, Bulgária, Bélgica, França e parcialmente na Grécia. Todas as lojas do grupo na Áustria, Luxemburgo, Bósnia-Herzegovina, Eslovênia e Cazaquistão estarão fechando a partir de segunda-feira.

LVMH (-7,844%), gigante de artigos de luxo, disse que começaria a fazer desinfetante para mãos para hospitais franceses gratuitamente.

EUA: Os contratos futuros de ações dos EUA caem acentuadamente na segunda-feira, mesmo depois que o Federal Reserve  anunciar um programa maciço de estímulo monetário para conter a desaceleração do crescimento econômico em meio ao surto de coronavírus.

Os futuros do mercado de ações atingiram 5% de baixa, uma regra da bolsa de futuros da CME para reduzir o pânico nos mercados. Nenhum preço pode negociar abaixo desse limite, apenas a preços mais altos do que o limite de 5%.

O FED reduziu as taxas de juros para basicamente zero, seu nível mais baixo desde 2015. O banco central dos EUA também lançou um enorme programa de flexibilização quantitativa de US $ 700 bilhões. O presidente Donald Trump disse que estava “muito feliz” com o anúncio, acrescentando: “Eu acho que as pessoas nos mercados devem estar muito emocionadas”.

O anúncio do Fed veio depois de outro corte nas taxas de emergência no início deste mês.

Na agenda econômica, os números de manufatura do New York Empire State sairá às 9h30 da manhã.

Não há balanços corporativos na segunda-feira Entre as notícias corporativas, a Apple disse no fim de semana que fecharia todas as suas lojas fora da China até 27 de março. A gigante da tecnologia tem 510 lojas em todo o mundo, 271 das quais nos EUA. Além disso, a Apple foi multada em 1,1 bilhão de euros (US $ 1,23 bilhão) pela autoridade antitruste francesa, alegando que a fabricante do iPhone é culpada de cartéis dentro de sua própria rede de distribuição e que abusou de sua dependência econômica de seus revendedores. Dois dos atacadistas da Apple, Tech Data e Ingram Micro, também foram multados.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: -4,58%
SP500: -4,79%
NASDAQ: -4,57%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário