Mercados recuam nesta sexta-feira à medida que casos de Covid-19 aumentam

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas da região Ásia-Pacífico fecharam sem direção nesta sexta-feira, com a incerteza sobre o impacto econômico do surto de coronavírus continuando a pesar sobre o sentimento dos investidores.

O S & P / ASX 200 da Austrália liderou as perdas entre os principais mercados da região. O benchmark australiano abriu mão dos ganhos iniciais de mais de 2% para fechar em queda de 5,3%, ou 4842,4 pontos, apagando grande parte da recuperação das últimas três sessões. Apesar da queda, o índice ainda conseguiu terminar a semana com um ganho de 0,5%. Entre as mineradoras, BHP caiu 4,7%, Fortescue Metals caiu 8,4% e Rio Tinto recuou 3,6%. A produtora de petróleo Woodside Petroleum fechou em queda de 5,5%.

No Japão, o Nikkei avançou 3,88%, enquanto o índice Topix subiu 4,3%. As ações sul-coreanas também tiveram um dia de alta, com o  Kospi subindo 1,87%, enquanto o índice Kosdaq subiu 1,2%.

As ações da China continental fechou sem direção. O composto de Xangai subiu 0,26%, enquanto o composto de Shenzhen caiu 0,46%.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan subiu 0,25%.

Entre os dados econômicos divulgados, os lucros industriais da China de janeiro a fevereiro caíram 38,3% frente ao ano passado. O período coberto pela divulgação dos dados coincidiu com os bloqueios anunciados pelo governo chinês para combater a disseminação do coronavírus no país, onde a doença foi relatada pela primeira vez. Analistas acreditam que esses números serão espelhos no segundo trimestre para a maioria das economias globais.

O banco central da Índia cortou sua taxa de empréstimos em 75 pontos base, de 5,15% para 4,4%, em uma ação não programada, com a intenção de amortecer o impacto da pandemia de coronavírus e manter a estabilidade financeira. O banco central também cortou sua taxa de recompra reversa em 90 pontos base, para 4,00%. O corte na taxa de recompra tornará relativamente menos atraente para os bancos guardar seus fundos no banco central, deixando assim mais espaço para empréstimo.

O corte ocorre um dia depois que o governo divulgou um pacote de estímulo econômico de US $ 22,5 bilhões para ajudar os cidadãos mais pobres do país a sobreviver frente a paralisação para retardar a disseminação do coronavírus.

EUROPA: As bolsas europeias operam em baixa na manhã desta sexta-feira, com os investidores monitorando a disseminação do coronavírus na América.

O pan-europeu Stoxx 600 cai 2,73% na sessão da manhã, com ações de viagens e lazer liderando as perdas, à medida que todos os setores e principais índices deslizam para o território negativo.

Em Londres, Anglo American e Antofagasta caem 2,5% cada, BHP recua 5,7%, enquanto Rio Tinto perde 4,3%. Entre as produtoras de energia, BP cai 6,1% e Royal Dutch Shell opera em baixa de 4,6%.

Entre as notícias corporativas, a Volkswagen estendeu a interrupção de sua produção na Alemanha até 9 de abril, enquanto lida com as consequências do surto do novo vírus.

Na quinta-feira, os líderes da União Europeia não chegaram a um acordo sobre a melhor forma de sustentar as economias afetadas pelo coronavírus, que já infectou mais de 530.000 pessoas em todo o mundo, segundo dados compilados pela Universidade Johns Hopkins.

Os formuladores de políticas da UE deram mais duas semanas para fechar um acordo, com o número de mortos em Itália, Espanha e França, em particular, continuando a aumentar.

O Banco Central Europeu (BCE) reduziu seu limite para a quantidade de títulos que pode comprar de qualquer nação da zona do euro, potencialmente abrindo caminho para a impressão ilimitada de dinheiro, numa tentativa de mitigar os danos econômicos ao bloco.

Enquanto isso, os líderes das principais economias do G20 (Grupo dos 20) prometeram injetar mais de US $ 5 trilhões na economia global, em um esforço coordenado para minimizar as perdas de emprego e renda devido à paralisação de empresas em todo o mundo.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam para uma abertura em queda em wall Street, após altas consistentes provocadas pelo aumento das expectativas de estímulo fiscal maciço, enquanto os investidores ignoravam os dados sombrios sobre o desemprego.

O Dow subiu mais de 1.300 pontos na quinta-feira, ou 6,4% de alta, para encerrar com seu maior ganho em três dias seguidos desde 1931. O índice das 30 ações subiu mais de 20% nas últimas três sessões. O S&P 500 também subiu mais de 6% e agora está 20% acima do fechamento de segunda-feira.

As ações subiram depois que o Senado aprovou um projeto de estímulo econômico de US $ 2 trilhões, com o objetivo de mitigar os danos econômicos causados ​​pelo surto de coronavírus. A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, disse que o projeto será aprovado “com forte apoio bipartidário”. Espera-se que a Câmara vote e aprove a lei na manhã desta sexta-feira seguindo para sanção do Presidente Trump.

Os comentários do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, também deram um impulso às ações na quinta-feira. ″Ainda temos espaço político em outras dimensões para apoiar a economia”.

A forte alta nas solicitações semanais de seguro desemprego não conseguiu impedir a alta do mercado na quinta-feira. O Departamento do Trabalho informou que os pedidos do benefícios aos “sem empregos” haviam subido para 3,28 milhões na semana passada, superando facilmente o recorde anterior de 695.000 pedidos.

O rali de quinta-feira colocou o Dow e o S&P 500 em uma de suas melhores performances semanais desde a década de 1930. No entanto, alguns “traders” se preocupavam com a sustentabilidade desse aumento.

O número de casos globais de coronavírus aumentou para mais de 531.800 e pelo menos 24.000 vidas foram tiradas, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. Somente nos EUA, mais de 75.000 casos foram confirmados, fazendo que seja o país tenha o maior número de casos de coronavírus confirmados.

Na agenda econômica, às 9h30 está prevista a divulgação do índice de gastos pessoais com consumo (PCE). Às 11h00, a Universidade de Michigan divulga o Michigan Sentiment que mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: -2,30%
SP500: -2,28%
NASDAQ: -2,00%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário