Via Varejo reverte prejuízo e divulga lucro líquido de R$ 78 milhões

LinkedIn

A empresa Via Varejo (BOV:VVAR3) divulgou nesta quinta-feira (26) os resultados do quarto trimestre de 2019 (4T19) com lucro líquido operacional de R$ 78 milhões, revertendo prejuízo de R$ 282 milhões no mesmo período em 2018.

A Via Varejo teve no 4T19 prejuízo contábil de R$ 875 milhões, afetado por ajustes não recorrentes de R$ 953 milhões. Excluindo os ajustes não recorrentes, entre eles contingências de R$ 1,3 bilhão, grande parte ligada à investigação de fraude contábil, a Via Varejo registrou lucro operacional de 78 milhões de reais no 4T19.

A receita bruta consolidada foi de R$8,9 bilhões, 3,9% superior ao 4T18.

O lucro bruto consolidado foi de R$2,3 bilhões, representando uma margem bruta de 30,2% e crescimento de 15,2% no período.

O EBITDA ajustado atingiu R$605 milhões e a margem EBITDA foi de 8,0%, com aumento de 91,4% em relação ao 4T18. Excluindo o efeito do IFRS 16, o EBITDA ajustado atingiu R$445 milhões e a margem foi de 5,8%.

A empresa abriu 10 lojas no 4T19, totalizando 1.071 lojas. A estratégia para 2020 continua sendo a abertura de lojas com foco nas regiões Norte e Nordeste e em regiões com potencial de crescimento, escoamento logístico e onde a empresa não está presente. Todas as lojas existentes continuam recebendo investimentos em reformas.

“Concluímos o alongamento de uma dívida que teria o vencimento em fev/20 para dez/21, através de uma emissão de Debênture em dez/19, com vencimento de 2 anos. Além disso, mantivemos o movimento de adequação dos estoques e otimização do capital de giro. Terminamos o trimestre com R$4,6 bilhões em estoques e 77 dias de cobertura, inferior aos R$4,8 bilhões observados no 4T18. Dessa forma, seguimos comprometidos com a melhora da liquidez financeira, que somada às diversas iniciativas operacionais em curso, tem proporcionado tranquilidade para continuar a retomada da Via Varejo”, informou a empresa.

Outro destaque do balanço do 4T19 foi a venda total de R$ 1,1 bilhão em um único dia da Black Friday, sendo 48% online. O App foi o mais baixado na Black Friday e a empresa teve crescimento de usuários, saindo de 1,4 milhão em junho para 5,4 milhões em dezembro de 2019.

A empresa encerrou o 4T19 com caixa, incluindo recebíveis de cartão de crédito não descontado, de R$ 4,4 bilhões.

Airfox e banQi

Foi aprovado o exercício da opção de compra de 80%, podendo chegar a 100%, da  empresa tecnológica americana Airfox.

“Essa parceria foi a responsável por criar a carteira digital banQi, buscando atender todas as necessidades dos clientes como pagar contas, uso do cartão pré pago, transferências p2p, fazer depósitos e saques nas lojas, recarga do bilhete único, transporte por aplicativo, regarga de celular, contratar serviços de streaming, contratação de seguros, pagar e acompanhar nosso carnê digital da Casas Bahia e, posteriormente, contratação de empréstimos e outros serviços”, informou a empresa.

 

 Conclusão da investigação

Conforme noticiado nos Fatos Relevantes publicados em 13 de novembro e 12 de dezembro de 2019, ao final de setembro e no início de outubro de 2019 a Companhia recebeu denúncias anônimas relativas a supostas irregularidades contábeis.

Em 18 de março de 2020 a Investigação Independente foi concluída e a empresa publicou nesta madrugada um fato relevante divulgando fraude contábil de R$ 1,190 bilhão

 

 

Deixe um comentário