BC Fund (BRCR11): BB recomenda fundo imobiliário tradicional na bolsa

LinkedIn

Confira o fundo imobiliário adicionado pelo BB Investimentos em sua carteira mensal de FIIs. Dessa forma, o banco optou por focar em fundo de lajes corporativas.

BB recomenda BC FUND (BRCR11)

O BC Fund (BOV:BRCR11) é um dos maiores FIIs listados na bolsa brasileira. Dessa maneira, suas cotas são negociadas na B3 desde seu IPO, ocorrido em dezembro de 2010.

Objetivo do fundo

O fundo foi constituído em junho de 2007 e adota uma gestão ativa de sua carteira, com o objetivo de investir em escritórios comerciais de laje corporativa com renda no Brasil, estrategicamente localizados em grandes centros comerciais, por meio da aquisição de imóveis comerciais de escritórios ou direitos relativos a imóveis, prontos ou em fase final de construção.

Pilares do fundo

O fundo se baseia em quatro pilares: (i) negociação dos contratos de locação a valor de mercado na periodicidade mínima permitida pela legislação; (ii) investimento em expansão e melhorias dos imóveis almejando maiores valores de locação e menor vacância; (iii) reciclagem do portfólio realizando ganho de capital e; (iv) alavancagem positiva.

Como o coronavírus impacta o setor imobiliário?

Em que pese os Fundos Imobiliários apresentarem uma característica mais previsível em termos de geração de receita, por serem constituídos de contratos de longo prazo, o impacto da recessão econômica por trás do Coronavírus será relevante em maior ou menor intensidade a depender do setor da economia.

Além disso, é importante lembrar que o setor imobiliário está diretamente ligado à atividade econômica, à expansão do crédito e ao crescimento do PIB, cuja expectativa é de desaceleração ao longo dos próximos meses.

Características buscadas pelo BB

Na carteira do BB Investimentos, além da diversificação, os analistas procuram dar preferência aos FIIs de categorias que apresentam resiliência e menor risco de perda de patrimônio, bem como manter aqueles nos quais identificam certa assimetria na relação entre preço, risco e retorno.

Deixe um comentário