China corta juros em meio ao lançamento de criptomoeda nacional

LinkedIn

O Banco Central da China anunciou mais um corte na taxa de juros, em meio ao lançamento de sua própria criptomoeda. Algumas preocupações com a inflação já começam a aparecer, mesmo com as autoridades locais negando o cenário.

De fato, a China lançará em breve sua moeda Yuan digital, que já teve até imagens circulando em redes sociais. A política monetária do país é feita pelo PBoC, Banco do Povo da China, que é o responsável pela impressão do Yuan.

Alguns rumores levaram alguns cidadãos da China a questionar inclusive se a moeda digital traria inflação ao país. De acordo com um portal local, as autoridades negaram uma impressão descontrolada do novo dinheiro.

China corta juros e testa sua nova criptomoeda em pagamento de salários: medidas extremas para enfrentar COVID-19?

A China é uma das principais potências do mundo hoje, com intensa atividade na economia. Apesar de na última semana seu PIB ter mostrado recuo, acima de 6%, suas atividades ainda despertam interesse dos países.

Nesta segunda (20), por exemplo, uma nova atitude chamou atenção dos mercados financeiros. Isso porque, a China anunciou um corte na taxa de juros para empréstimos em um ano, que caiu de 3,85%. A medida anterior era de 4,05%, de acordo com o Estadão.

Além disso, a taxa para empréstimos de cinco anos também teve queda nesta segunda. Antes registrada como 4,75%, caiu para 4,65%, com a justificativa sendo a tomada de medidas para reativar a economia do país. O problema é que com o novo coronavírus, a China teve uma queda drástica na produção, que tem sido mostrada em números.

A queda na taxa de juros para empréstimos era esperada desde a última semana, quando a China já havia injetado mais de U$ 14 bilhões na economia. O caminho natural era de ver uma queda na taxa de juros em breve, o que ocorre neste início de semana.

Os principais índices das bolsas da China operam em alta nesta segunda com a novidade. Contudo, as bolsas norte-americanas e brasileira indicam que pode haver queda, uma vez que os futuros estão pessimistas. Outro problema que o mercado vê é a crise no petróleo, que chegou ao menor preço desde 1999.

Moeda digital da China vai surgir em meio ao caos, inflação pode ser maior no país?

Não é só a pandemia do novo coronavírus que preocupa as pessoas no mundo em 2020. Junto aos problemas de saúde, problemas na economia das grandes potências começaram a surgir.

Um deles é o alto índice de desemprego nos EUA, que já é um dado alarmante. Isso porque, com a população em risco social, o auxílio dos governos passou a ser uma realidade, com alta impressão de dinheiro nos mercados.

A preocupação é que com alto índice de desemprego e grande impressão de dinheiro, a crise financeira só piore. Neste contexto, de incertezas e preocupações, a China prepara o lançamento de sua criptomoeda.

Chamada de Yuan Digital, ou DC/EP, a criptomoeda da China causa medo na população, que viu mais queda nos juros do país. De acordo com um portal de notícias chinês, o News CCTV, o Banco do Povo da China garantiu que a moeda digital do país não causa inflação.

A garantia para que isso não ocorra virá junto aos bancos, que terão que efetuar depósitos em Yuan para receber a moeda digital. Ou seja, o BPoC afirma que haverá uma troca de moedas, garantindo que não haja novas impressões no mercado.

Além disso, os testes serão feitos de forma controlada, para que o Yuan Digital entre gradualmente na economia chinesa. Segundo informações do Finance Ifeng, a moeda já será utilizada para pagar salários em agências de quatro cidades. Essa será a segunda criptomoeda estatal do mundo, ao lado da Petro, feita pela Venezuela.

Por: Gustavo Bertolucci

Deixe um comentário