Para onde vai a Bolsa?

LinkedIn

Para onde vai a Bolsa?

A crise do coronavírus continua trazendo incertezas e afetando as áreas da saúde e economia em todo o mundo. Mas em meio ao cenário atual, pudemos acompanhar nas últimas semanas alguns movimentos iniciais para reabertura de mercados no cenário global, como na Alemanha e EUA, que mantiveram as bolsas de valores, por lá, em forte alta no mês de abril.

O fato curioso é que, nos Estados Unidos por exemplo, os dados divulgados de pedidos de auxílio desemprego – que já somam mais de 22 milhões – e os primeiros resultados corporativos foram decepcionantes. Alguns grandes bancos já fazem provisões bilionárias de possíveis inadimplentes e as quedas históricas do varejo (-8,7%) e também da produção industrial (-5,4%) referentes ao mês de março são fatores que colocariam em xeque essa alta do mês de abril.

Mas, em meio a este cenário pessimista, como seria possível explicar o índice S&P 500 que já valorizou em torno de 10% na primeira metade do mês (até 17 de abril)?

Para os especialistas da Easynvest a resposta é simples: uma expectativa mais bem definida do tamanho do buraco que a economia global pode entrar e, a partir disso, quais são as medidas que devem ser adotadas para minimizar o problema. A falta desta expectativa foram justamente as culpadas pelo pânico das Bolsas em março.

E no Brasil?

A crise do novo coronavírus ainda está longe de terminar e as instabilidades do governo corroboram ainda mais para que as dúvidas aumentem.

Mas, não podemos deixar de destacar que, no curto prazo, a bolsa brasileira tem demonstrado maior racionalidade. Isso se aplica no índice Bovespa, que subiu + 8,18% no mês de abril (até o dia 17) e desde a sua mínima na crise, em 19 de março (61.690 pontos), o IBOV já valorizou em torno de 28%.

E o que esperar daqui em diante?

Projetar o futuro em um cenário tão incerto como o atual acaba sendo ineficiente e irreal. O ideal é olhar para o “hoje” e, a partir disso, fazer uma leitura do atual momento para tomar a melhor decisão.

Analisando graficamente, podemos observar o índice Bovespa consolidando uma tendência de alta, no curto prazo, com topos (78.850 e 81.667) e fundos (61.690 e 69.500) bem definidos, o que já configuraria um movimento ascendente.

Este movimento de alta também é confirmad0 pelas análises das médias móveis (rastreadores de tendências) no curto prazo, com as médias de 9 e 21 períodos posicionadas abaixo do gráfico de preço.

Mas para dar continuidade a tendência de alta, o IBOV precisa romper o topo anterior formado no dia 14 de abril aos 81.667 pontos. Porém, se for para a direção oposta e perder os 76.300 pontos, poderá testar o próximo suporte aos 69.500 pontos, o que deixaria o índice indefinido.

analiseeasy_Fotor

Mas afinal, é um bom momento para comprar?

A crise do novo coronavírus ainda não tem uma perspectiva de resolução, ou seja, os problemas e oscilações da economia ainda estão longe de serem resolvidos. Mas, diferente do mês de março, o mercado já consegue trabalhar com expectativas mais definidas, como podemos ver no momento atual da Bolsa: mais racional e com um viés mais positivo no curto prazo.

Portanto, para quem deseja aumentar sua posição na Bolsa, este é um momento interessante para fazer isso de forma gradual e seletiva.

E para acompanhar os seus investimentos em Renda Variável da melhor maneira, a Easynvest conta com uma seleção das melhores opções com vantagens nos preços e taxas. Clique aqui e aproveite agora.

Comentários

  1. Francisco Santos diz:

    O texto informa: “A crise do novo coronavírus ainda não tem uma perspectiva de resolução, ou seja, os problemas e oscilações da economia ainda estão longe de serem resolvidos. Mas, diferente do mês de março, o mercado já consegue trabalhar com expectativas mais definidas, como podemos ver no momento atual da Bolsa: mais racional e com um viés mais positivo no curto prazo.”
    Bom! Se o problema maior é o novo corona vírus, mas ainda não conseguiram eliminar o vírus ou inventar uma vacina, como o mercado já tem expectativas mais definidas?
    O que acontecerá se tivermos uma nova onda de contágio pelo mundo a fora?
    Se não sabemos, não temos expectativas definidas e sim especulação. Mês de maio é logo ali!

  2. Jaques diz:

    Particularmente não entendo esses analistas e muito menos os operadores. Parem e olhem o futuro da entrega de resultados.. Esse ano de 2020 tá 100% comprometido. Nossa bolsa tinha que estar com PETR4 a R$7,00. Estão esperando os grandes Players vender suas posições para trazer o mercado a 52.000 pontos..

Deixe um comentário