BRF (BRFS3): Prejuízo líquido de 45,9 milhões; Variação cambial e acordo nos EUA afetam resultado

LinkedIn

A BRF reportou prejuízo líquido de R$ 45,9 milhões de reais no primeiro trimestre (1T20). O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 1,251 bilhão de reais, apresentando uma alta de 67,2% no comparativo com o 1t19.

A dona das marcas Sadia e Perdigão, com valor de mercado hoje de 15,2 bilhões, é negociada na B3 através do papel: (BOV:BRFS3).

“Neste trimestre reportamos um prejuízo líquido das operações continuadas de R$38 milhões, reflexo das despesas referente ao acordo visando o encerramento da Class Action nos Estados Unidos (R$204 milhões) e da variação cambial líquida sobre nosso endividamento”, explicou Lorival Nogueira Luz Jr., diretor presidente global da BRF.

A margem Ebtida ajustada aumentou 3,8 pontos percentuais na comparação anual. O indicador chega a 14% em 2020 no 1T20.

A empresa teve um bom resultado operacional e geração de caixa, mas o impacto da valorização do dólar sobre o endividamento em moeda estrangeira e o acordo para encerrar a ação coletiva movida por investidores nos EUA, impediram a empresa de fechar o trimestre com lucro.

A BRF pagará US$ 40 milhões para firmar o acordo nos Estados Unidos. O montante já foi provisionado no primeiro trimestre, o que gerou um impacto de R$ 204 milhões.

A receita operacional líquida da BRF atingiu R$ 8,9 bilhões entre janeiro e março, avanço de 21,6%, em comparação aos três primeiros meses de 2019. O Brasil foi responsável por R$ 4,6 bilhões do faturamento, equivalente a 52%.

Na avaliação da BRF, o resultado do período foi “robusto, demonstrando a consistência de uma gestão orientada para o longo prazo”.

A empresa divulgou o resultado do primeiro trimestre no dia 10/05/2020. Confira o release.

+ Confira o calendário de divulgação de resultados do 1T20 das empresas listadas na Bolsa de Valores.

Efeito Coronavírus e Teleconferência

A empresa apresenta sua teleconferência na segunda-feira, dia 11 de maio de 2020, às 10h.

A BRF informou também que sua subsidiária integral indireta Badi Limited assinou com a Hungry Bunny Limited contrato de aquisição de ações estabelecendo os termos e condições para a aquisição de 100% do capital social da Joody Al Sharqiya Food Production Factory, uma companhia de processamento de alimentos.

Visão do mercado

Em breve…

Como foi o desempenho das ações

Em 2020, o papel oscilou entre a mínima de R$ 11,52 e R$ 41,06 na máxima. Até o momento, a empresa desvalorizou 46,73%.
BRFS3 teve retorno de -25,1% frente ao índice Bovespa na média dos últimos 5 anos

Quem é a BRF

A BRF surgiu da fusão da Sadia e Perdigão e é uma das maiores empresas de alimentos do mundo com mais de 30 marcas em seu portfólio.

BRF, antiga Brasil Foods, é uma empresa de alimentos focada na produção e venda de carne de aves, carne suína, cortes de carne bovina, leite e derivados e produtos de alimentos processados sob diversas marcas. Os produtos processados incluem carnes de ave (chester e peru) marinadas e congeladas, carnes especiais, carnes processadas congeladas, entradas preparadas e congeladas, produtos em porções e produtos fatiados. Também vende margarina, sucos, produtos à base de soja, ração para animais, massas frescas, sobremesas e sanduíches.

A companhia apresenta 100% de Tag Along com Free Float de 78,45% no papel BRFS3.

 

Ativos Reais que rendem de 15% a 20%. Até agora, essas chances eram restritas a investidores milionários e institucionais.

Deixe um comentário