NotreDame Intermédica (GNDI3) 1T20: Lucro líquido de R$ 160,4 milhões; Crescimento de 56%

LinkedIn

A Notre Dame Intermédica reportou lucro líquido de R$ 160,4 milhões de reais no primeiro trimestre (1T20), aumento de 56% em comparação com igual período do ano anterior. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 383,1 milhões de reais, apresentando crescimento de 43% no comparativo com o 1t19.

O lucro ajustado de 208 milhões de reais no período, 40,9% maior em 12 meses e acima da previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de 187,2 milhões de reais.

A empresa de de planos de saúde e administradora de hospitais, com valor de mercado hoje de 33,6 bilhões, é negociada na B3 através do papel: (BOV:GNDI3)

A receita operacional líquida da Notre Dame atingiu R$ 2,56 bilhões entre janeiro e março, avanço de 34,4%. Em planos odontológicos, o faturamento cresceu 39%, para R$ 75,3 milhões. Na divisão de serviços hospitalares, a receita avançou 37,1%, para R$ 185,3 milhões.

O resultado operacional, antes do financeiro e dos tributos, cresceu 43%, para R$ 313,8 milhões. Na linha financeira, o prejuízo teve melhora, com o prejuízo financeiro líquido passando de R$ 35,3 milhões para R$ 32,7 milhões.

A Notre Dame levantou 3,7 bilhões de reais na tranche primária de uma oferta de ações realizada em dezembro.

A empresa divulgou o resultado do primeiro trimestre no dia 06/05/2020. Confira o release.

+ Confira o calendário de divulgação de resultados do 1T20 das empresas listadas na Bolsa de Valores.

Efeito Coronavírus e Teleconferência

A Intermédica não registrou impactos relevantes de custos no primeiro trimestre por conta da epidemia de Covid-19, apesar de ter se preparado desde janeiro com a compra de material de proteção para funcionários e equipamentos como respiradores pulmonares adicionais.

A empresa também não viu mudanças significativas nos padrões de inadimplência no período, embora tenha feito “algumas flexibilizações de condições e datas de pagamento” de grandes clientes.

Fusões e aquisições

Em teleconferência realizada na última quinta-feira (07), os executivos afirmaram que a Notre Dame Intermédica está vendo espaço para acelerar atividade de fusões e aquisições, se aproveitando de preços de ativos como hospitais privados menores diante da pandemia de Covid-19.

Aceleramos as visitas (a potenciais ativos a serem adquiridos). Identificamos 10 alvos na região Sul”, disse Machado Filho.

A redução no número de exames realizados em hospitais e laboratórios pode favorecer na atratividade do preço. “Obviamente tem impacto no ‘valuation’ por que estes hospitais têm performances econômicas piores em função do esvaziamento”, afirmou o presidente-executivo da Intermédica, Irlau Machado Filho.

Riscos da Fila Única

O presidente da NotreDame Intermédica fez críticas à proposta de fila única, cujo objetivo é reunir leitos públicos e privados, para atendimento de pacientes acometidos pela covid-19.

“Eu acho que o setor privado é mais preparado para administrar fila do que o governo. Isso (Fila Única) seria um desserviço e desbalanceamento de recursos. Não vejo benefício neste sentido”, disse o presidente da Intermédica. A companhia tinha ao final de março, cerca de 2,7 mil leitos hospitalares, concentrados principalmente na região Sudeste, e 6,13 milhões de beneficiários.

“O número de leitos rende mais na rede privada porque você vai dando alta e só coloca para dentro o que de fato precisa ser internado”, disse Machado Filho.

Nesta semana, a Intermédica teve uma estabilização de pacientes internados acometidos ou com suspeita de covid-19. “Mas em se tratando da covid-19 cada dia é um dia. Ainda não dá para chegar à conclusão de estabilização definitiva”, disse Marcelo Moreira, diretor financeiro.

Encerramento do plano de recompra

O Grupo Notre Dame Intermédica informou ao mercado que encerrou no dia 8 de maio o seu programa de recompra de ações. A empresa de planos de saúde, laboratórios e hospitais adquiriu 3,36 milhões de ações ordinárias GNDI3, ou 0,56% do capital social da companhia, em operações na B3.

Como foi o desempenho das ações

Em 2020, o papel oscilou entre a mínima de R$ 29,38 e R$ 76,21 na máxima. Até o momento, a empresa desvalorizou 18,40%.

Nos últimos 5 anos, o papel teve um preço médio de R$ 45,09, atingiu a mínima de R$ 18,15 e a máxima de R$ 76,48. A GNDI3 teve retorno de 24,24% frente ao índice Bovespa na média dos últimos 5 anos.

Desconsiderando amortizações, a empresa pagou R$ 0,17 em proventos no valor bruto dos proventos com DATA COM entre 06/05/2019 e 05/05/2020 com Dividend Yield de 0,30%.

A visão do mercado

Eleven financial

A Eleven Financial diz que a empresa segue evoluindo nas métricas operacionais e financeiras. O entendimento da Eleven é que a visão de longo prazo não sofre alteração.

“Seguimos construtivos com a tese de investimento da Companhia, que apresentou métricas positivas no 1T20. Mantemos assim a empresa como uma das nossas top picks do setor” destacou Mariana Ferraz da Eleven.

A Eleven mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 63,00 por ação ao final de 2020.

Quem é a Notre Dame Intermédica

Fundado em 1968 e sediado em São Paulo (SP), o Grupo NotreDame Intermédica (GNDI) opera planos de saúde e planos odontológicos, empregando mais de 14 mil colaboradores e temos mais de 4,6 milhões de beneficiários.

O GNDI oferece serviços em Redes Própria e Credenciada de Centros Clínicos, Hospitais, prontos-socorros e maternidades, além de clínicas odontológicas.

A companhia apresenta 100% de Tag Along com Free Float de 64,81% no papel GNDI3.

Ativos Reais que rendem de 15% a 20%. Até agora, essas chances eram restritas a investidores milionários e institucionais.

Deixe um comentário