Tim (TIMP3) 1T20: Lucro líquido de R$ 162 milhões; Alta de 35%

LinkedIn

A Tim Participações reportou lucro líquido de R$ 162 milhões de reais no primeiro trimestre (1T20), alta de 35% em comparação com igual período do ano anterior. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 1,924 bilhão de reais, apresentando alta de 7,9% no comparativo com o 1t19.

O resultado dos primeiros três meses do ano considera os efeitos da adoção das normas contábeis IFRS 9, 15 e 16. Desconsiderando a adoção das normas contábeis, o lucro líquido “normalizado” cresceu 8,3%, no valor de R$ 164 milhões.

A empresa de telefonia brasileira subsidiária da Telecom Italia, com valor de mercado hoje de 31,9 bilhões, é negociada na B3 através do papel: (BOV:TIMP3)

Os responsáveis para o crescimento do lucro foram o controle de custos e despesas, o aumento da receita com serviço móvel e o aumento da receita com a banda larga TIM Live.

A receita operacional líquida da Tim atingiu R$ 4,215 bilhões entre janeiro e março, crescimento de 1,7%, mostrando uma desaceleração frente aos trimestres anteriores, justificada pelos desdobramentos do coronavírus a partir da segunda quinzena de março.

A receita líquida de produtos caiu 25,5%, “refletindo a forte retração do mercado de aparelhos”.

Os custos operacionais normalizados atingiram R$ 2,289 bilhões, baixa de 4,9%.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 255 milhões, montante 3,0% menor do que um ano antes.

A base móvel de clientes da companhia encolheu 4,1% nos três primeiros meses do ano, na comparação anual, e terminou o ano em 52,82 milhões. A queda em termos anuais se deu entre os usuários de planos pré-pagos, com redução de 9,7% ante o primeiro trimestre de 2019. No segmento pós-pago, houve expansão da base de 5,3% no mesmo período comparado.

Entre janeiro e março, a base de clientes do serviço cresceu 20,2% em termos anuais, para um patamar de 584 mil usuários. A receita do TIM Live apresentou incremento de 29,1% na comparação com o mesmo período de 2019.

Ao fim de março, a TIM Brasil tinha 2,5 milhão de domicílios cobertos com fibra óptica, em 24 cidades.

A empresa divulgou o resultado do primeiro trimestre no dia 05/05/2020. Confira o release.

+ Confira o calendário de divulgação de resultados do 1T20 das empresas listadas na Bolsa de Valores.

Efeito Coronavírus e Teleconferência

A desaceleração financeira decorrente da pandemia teve efeitos negativos sobre as vendas, mas também resultou em impactos positivos, como a redução do percentual da base de clientes que troca de operadora. O maior efeito da crise se deu no segmento pré-pago.

A TIM está avançando com sua estratégia de negócios, que inclui aquisições, apesar dos efeitos mistos que o coronavírus está causando em suas operações.

“O nível de incerteza é muito maior, mas não estamos dispostos a cortar custos ou investimentos que nos ajudarão a crescer e competir a longo prazo”, disse o presidente-executivo da empresa, Pietro Labriola, em teleconferência com analistas e investidores.

Ele acrescentou que a empresa está fazendo due diligence em ativos da rival Oi e está buscando um parceiro para impulsionar a expansão da rede fibra da empresa em residências no país.

Futuros contratos que a TIM Brasil venha a fechar com parceiros para acelerar a expansão de sua rede de fibra óptica teriam um período inicial de exclusividade, explicou o diretor financeiro e de relações com investidores da operadora, Adrian Calaza.

“Vai ser um veículo de infraestrutura que nós vamos criar e nós vamos querer exclusividade inicial”, explicou Calaza na teleconferência. “E, depois desse período, isso pode ser rediscutido e pode ser aberto a outros operadores”, acrescentou.

A visão do mercado

Eleven financial

A Eleven Financial diz que a empresa apresentou desaceleração no crescimento de seu top line em resposta aos efeitos do Covid-19 sobre as recargas no pré-pago e venda de aparelhos. Seguem como destaques positivos o controle sobre o Opex, que contribui para ganhos incrementais na margem operacional, e expansão da TIM Live.

“Mantemos expectativa positiva para expansão do FTTH devido à forte demanda do mercado por maiores velocidades de conexão, que deverá ser impulsionada pelo projeto de parceiros na Tim Live” destacou Flávia Ozawa da Eleven.

A Eleven mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 17,00 por ação ao final de 2020.

Credit Suisse

Credit Suisse diz que a empresa de telefonia oferece posição defensiva e avalia como atrativa, mesmo com crescimento estagnado no primeiro trimestre.
A Credit mantém recomendação outperform mas corta preço-alvo de R$ 20,00 para R$ 17,00 por ação ao final de 2020.

Banco Safra

O banco Safra destacou ver bons resultados, como esperado, especialmente no Ebitda e em despesas operacionais.

Como foi o desempenho das ações

Em 2020, o papel oscilou entre a mínima de R$ 10,14 e R$ 17,62 na máxima. Até o momento, a empresa desvalorizou 14,49%.
Nos últimos 5 anos, o papel teve retorno de -3,8% frente ao índice Bovespa com um preço médio de R$ 11,36 e atingiu a mínima de R$ 5,63 e a máxima de R$ 17,62.
Desconsiderando amortizações, a empresa pagou R$ 0,41 em proventos no valor bruto dos proventos com DATA COM entre 05/05/2019 e 205/05/2020 com Dividend Yield de 3,13%.

Quem é a TIM Brasil

TIM Participações é uma subsidiária da TIM Brasil Serviços e Participações S/A, uma empresa do Grupo Telecom Italia. A TIM iniciou suas operações no Brasil em 1998 e consolidou sua área de cobertura nacional em 2002, tornando-se assim a primeira operadora móvel a estar presente em todos os estados brasileiros. Em dezembro de 2009, a empresa concluiu sua fusão de 100% com a Intelig, que presta serviços de telefonia fixa, longa distância e transmissão de dados no país.

A companhia apresenta 100% de Tag Along com Free Float de 33,39% no papel TIMP3.

 

Ativos Reais que rendem de 15% a 20%. Até agora, essas chances eram restritas a investidores milionários e institucionais.

Deixe um comentário