A Locaweb parece cara — mas está entregando

LinkedIn

Desde seu IPO em fevereiro, a Locaweb (BOV:LWSA3) tem negociado em múltiplos que estão entre os mais altos da Bolsa, hoje a cerca de 40 vezes o lucro esperado para 2021, mais do que as 30x da Linx (um de seus peers mais próximos).

Mas desde que a pandemia começou, as vendas só aceleraram, e a companhia — que tem 97% de sua receita recorrente — está se revelando uma das maiores beneficiárias da digitalização das pequenas e médias empresas.

Quando reportou seu primeiro trimestre, a Locaweb — que fornece serviços como hospedagem, plataformas de e-commerce e software as a service — disse que a adição de novas lojas em abril foi 250% maior do que a média mensal do último trimestre de 2019. E agora, numa entrevista ao Brazil Journal, o CEO Fernando Cirne disse que maio e junho mantiveram o mesmo ritmo de adições.

“Como historicamente temos um CAC [custo de aquisição de clientes] muito baixo, conseguimos aumentar os investimentos em marketing de forma muito agressiva e vamos aumentar mais ainda,” disse Cirne, um executivo que fez carreira no setor de assinaturas da Editora Abril. “Somando isso ao efeito covid, o resultado é que as nossas vendas têm explodido.”

Parte disso já está no preço da ação.

“O mercado está precificando um segundo tri espetacular e projetando que o processo de digitalização, que poderia levar 3, 4 anos, vai ser antecipado em muito tempo,” diz o analista de uma gestora que não tem o papel. “A tese depende da empresa conseguir entregar esse crescimento.”

Além do crescimento orgânico, a Locaweb disse no IPO que vai executar uma agenda intensa de M&As. Segundo Cirne, as negociações estão em estágio “bem avançado” e devem ser divulgadas junto com os resultados trimestrais ao longo do ano.

Dois tipos de empresas interessam à Locaweb: companhias de software as a service (SaaS) e pequenas empresas de tecnologia que agreguem novas soluções a seu ecossistema.

O cliente típico de varejo da Locaweb fatura cerca de R$ 30 mil/mês em média em seu e-commerce — e começa pagando R$ 100/mês à Locaweb. Três anos depois, esse cliente já está gastando sete vezes mais. “Cada novo cliente que conseguimos hoje vai dar frutos crescentes nos próximos três anos,” diz Cirne.

Com quase 400 mil clientes, a Locaweb consegue manter seu custo de aquisição de cliente baixo em boa parte graças ao cross-selling.

O cliente que começa pelo e-commerce acaba contratando outras soluções, como o Yapay (a ferramenta de pagamentos) e a integração com logística. Já o cliente que entra buscando hospedagem acaba contratando serviços como email marketing, email corporativo e cloud computing.

“Oferecemos um ecossistema com 116 integrações, e não só uma ferramenta,” diz Cirne.

O e-commerce — no qual a Locaweb compete com a Loja Integrada (da VTEX), Nuvem Shop e Shopify — responde por 22% da receita e 39% do EBITDA.

Já o negócio de hospedagem — antigamente o principal negócio da companhia — hoje cresce abaixo de 10%, em parte porque surgiram outros opções além de um site para se ter uma presença online, por exemplo as redes sociais.

O segmento Be Online/SAAS — que inclui hospedagem e cloud — cresceu 21% no primeiro tri.

Gestores que estão no campo do “ver para crer” estão ansiosos pelas próximas aquisições. O track record da empresa joga a favor.

Em 2013, quando a Locaweb comprou a Tray, a plataforma de criação de lojas virtuais faturava menos de R$ 10 milhões por ano. De lá para cá, as vendas multiplicaram por mais de 10x.

Com o Delivery Direto, a Locaweb parece estar no mesmo caminho. A startup — que cria sites de delivery para restaurantes — foi comprada em setembro e está sendo ajudada na veia pela quarentena.

A base de restaurantes já cresceu mais de 70% de lá pra cá e ela está adicionando 16 novos restaurantes por dia desde meados de março. Hoje, já tem mais de 2 mil restaurantes na base.

Dada a dinâmica de crescimento do negócio, em três anos a Locaweb deve se tornar um pure play no mercado de SaaS, onde os investidores não têm vergonha de pagar (caro) por crescimento e recorrência. A Shopify, talvez o melhor benchmark, negocia em Nova York a 36x EV/Sales para 2021, frente a 8x da Locaweb.

A Locaweb vale R$ 4,5 bilhões na B3 e lucrou R$ 28 milhões ano passado. A Shopify vale US$ 100 bilhões e teve um prejuízo de US$ 125 milhões.

Deixe um comentário