Petrobras (PETR4) inicia produção do pré-sal na jazida de Atapu; Preço do gás deve cair em Agosto

LinkedIn

A Petrobras (BOV:PETR4) anunciou o início da produção de petróleo e gás natural da jazida compartilhada de Atapu, por meio da plataforma P-70, na porção leste do pré-sal da Bacia de Santos, próximo ao Campo de Búzios. De acordo com a companhia (BOV:PETR3), Atapu deverá contribuir para o crescimento da produção no pré-sal.

A P-70 é plataforma própria da Petrobras e a quinta unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo e gás (FPSO, do nome em inglês) da série dos replicantes. Tem capacidade para processar diariamente até 150 mil barris de óleo e tratar até 6 milhões de metros cúbicos (m³) de gás natural. A unidade vai operar a cerca de 200 quilômetros (km) da costa do estado do Rio de Janeiro, em lâmina d’agua de 2,3 mil metros, com previsão de interligação de até oito poços produtores e oito poços injetores, informou a assessoria de imprensa da Petrobras.

A jazida compartilhada de Atapu compreende os campos de Oeste de Atapu, Atapu e uma parcela de área não contratada da União, tendo sido o processo de individualização da produção concluído em setembro de 2019.

A Petrobras detém 89,257% dos direitos da jazida em parceria com Shell Brasil Petróleo Ltda (4,258%), Total E&P do Brasil Ltda (3,832%), Petrogal Brasil S.A (1,703%) e Pré-Sal Petróleo SA (PPSA), representando a União (0,950%).

Preço do gás natural praticado pela Petrobras deve cair novamente em agosto

Os preços de gás natural praticados pela Petrobras junto às distribuidoras devem voltar a cair em agosto, disse nesta quinta-feira a diretora de refino e gás natural da companhia, Anelise Lara. “O preço da molécula do gás, nos novos contratos, está associado ao Brent [barril de petróleo que é referência global]. E o preço do petróleo caiu muito no mercado, o que fez com que em maio os preços da molécula mais o transporte chegassem a US$ 6, US$ 6,5 o milhão de BTU [unidade térmica britânica]. Agora em agosto esses preços devem cair ainda mais, porque houve uma continuidade na queda do Brent”, afirmou a executiva, durante evento on-line.

Ela destacou ainda que o “estresse” no mercado de gás mundial deve tornar os preços de importação de gás natural liquefeito (GNL) competitivos. A Petrobras reajusta trimestralmente os preços do gás entregue às distribuidoras. Em 2020, esse preço acumula uma queda de 36% em dólar e 15% em reais.

A diretora disse que não falta, atualmente, infraestrutura de escoamento de gás natural no país. Segundo ela, os altos índices de reinjeção de gás nos campos do pré-sal se devem a uma escolha técnica, para aumentar a recuperação de petróleo nesses ativos.

“O gás do pré-sal possui um teor de CO2 maior que a média. O teor é de 20% a 40% na maioria dos campos. Para evitar que o CO2 seja ventilado na atmosfera, reinjetamos parte do gás. Essa reinjeção é feita também por um objetivo técnico, de aumentar a recuperação dos campos do petróleo de novo. O gás que está sendo comercializado, hoje, é o de fato disponível para ser comercializado”, afirmou a diretora, durante evento on-line “Diálogos da Rio Oil & Gas”, promovido pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP).

Ela destacou que o gasoduto de escoamento Rota 3, em fase de construção, vai ajudar a trazer para o mercado o gás do projeto de Búzios.

Fonte Agência Brasil e Valor econômico

Deixe um comentário