SUS no Rio de Janeiro sofre ataque hacker e resgate tem que ser pago em bitcoin

LinkedIn

Funcionário de saúde do Rio de Janeiro não estão conseguindo registrar dados sobre paciente com ou sem coronavírus devido a um ataque hacker.

Segundo informações da Prefeitura do Rio, o ataque hacker começou no sistema da prefeitura e teria sido por meio de um ransomware.

Porém o ataque não parece ter sido destinado exclusivamente a Prefeitura.

Embora autoridades estejam investigado o caso, há indicações de que a Prefeitura foi alvo de um campanha geral de malware que pode ter sido ativado por meio de uma mensagem, e-mail ou arquivo infectado.

Ataque afetou 13 unidades de Saúde

O malware, segundo informações, teria afetado 13 unidades de Saúde do Rio e bloqueado o sistema.

Desta forma, médicos e demais funcionários das unidades não conseguem realizar os registros nos prontuários eletrônicos.

Assim, todos os serviços de saúde prestados nas unidades e que dependem dos registros eletrônicos estão afetados

Resgate em Bitcoin

A Prefeitura do Rio de Janeiro informa que a equipe técnica está trabalhando para retomar o sistema.

Ainda segundo os profissionais de segurança virtual do Rio, somente o e-SUS foi afetado.

Desta forma, embora os atendimentos ligados a Atenção Primária tenham sido comprometidos, os demais serviços, não ligados ao e-SUS estão normais.

Porém, para liberar o acesso ao sistema, os hackers pedem que um pagamento em Bitcoin seja feito.

A Prefeitura informou que não deve pagar o resgate e que a Polícia Civil já foi informada e também trabalha no caso para encontrar os responsáveis.

Por Cassio Gusson

Veja o Ranking das principais criptomoedas

Deixe um comentário