Confira os indicadores Econômicos desta quinta-feira (16/07)

LinkedIn

ÁSIA

Na China, a recuperação do impacto da COVID-19 é evidente, mas os detalhes sugerem que o crescimento do PIB de 3,2% no segundo trimestre de 2020 pode não ser sustentável, apesar das melhorias na demanda externa e nos investimentos em infraestrutura.

O PIB cresceu 3,2% no 2T20, depois da contração de 6,8% no 1T20 e é muito melhor do que o de menos 3,1% a /a.

A produção industrial, um indicador de manufatura, mineração e serviços públicos, aumentou 4,8% em junho, depois da alta de 4,4% em maio.  As vendas no varejo caíram 1,8%, melhor do que o declínio de 2,8% de maio.

O crescimento líquido das exportações foi mais rápido em 8,8% a /a no 2T20, devido ao menor crescimento nas exportações e importações. A demanda externa parece ter se recuperado, como mostra os dados de junho e, esperançosamente, isso formará um caminho de recuperação para o segundo semestre de 2020.

O investimento em ativos fixos, um indicador de gastos em infraestrutura, propriedades, máquinas e equipamentos, caiu 3,1% nos primeiros seis meses do ano, uma melhoria em relação à queda de 6,3% nos primeiros cinco meses.

A taxa de desemprego pesquisada nas áreas urbanas ficou em 5,7% em junho, queda de 5,9% em maio e do pico recente de 6,2% em fevereiro.

O governo da China estabeleceu uma meta de criar 9 milhões de novos empregos urbanos em 2020, em comparação com 11 milhões no ano passado, e manter uma taxa de desemprego urbana estimada em torno de 6%, em comparação com 5,5% no ano passado. Em 2019, a China criou 13,52 milhões de novos empregos urbanos.

Na Austrália, a taxa esperada de inflação na Pesquisa do Instituto de Expectativas Inflacionárias e Salariais do Instituto Melbourne, caiu 0,1 p.p em julho para 3,2%. A proporção de entrevistados que esperam um aumento nos preços também caiu 0,7 p.p em julho e está abaixo de 50% pelo terceiro mês consecutivo.

O crescimento total dos salários ao longo do ano até junho de 2020 foi negativo pelo segundo mês consecutivo em -0,1%. Em julho, apenas 28,9% dos entrevistados relataram um aumento no salário total, enquanto 22,2% relataram uma queda. Esperava-se que o salário total crescesse apenas 0,5% ao longo do ano, sugerindo um pessimismo geral sobre o crescimento futuro dos salários.

Embora o crescimento geral dos salários tenha sido fraco, os dados sugerem que há diferenças significativas no crescimento dos salários entre grupos demográficos e ocupacionais, refletindo o impacto desigual da crise do COVID-19 no mercado de trabalho da Austrália. O índice de opinião do consumidor caiu 6,1%, para 87,9 em julho, ante 93,7 em junho.

EUROPA

Na Europa, como esperado, o Banco Central Europeu manteve as taxas de juros inalteradas e não modificou seus programas de compra de ativos. O banco central já foi agressivo quando se trata da resposta da política monetária à pandemia que atingiu a economia da Zona do Euro e o crescimento mundial, com a expansão em junho do programa de compras emergenciais de pandemia, ou PEPP, para € 1,35 trilhão (US $ 1,54) trilhão).

A reunião do BCE também elevou ainda mais as expectativas para a reunião de dois dias da cúpula de Bruxelas convocada para resolver o acordo sobre o Plano de Recuperação das economias no pós-pandemia da COVID-19. “Uma resposta fiscal ambiciosa e coordenada permanece crítica”, disse a presidente do BCE, Christine Lagarde, em entrevista coletiva.

Na Europa, a primeira estimativa para as exportações de bens da Zona do Euro para o resto do mundo em maio de 2020 foi de € 143,3 bilhões, uma redução de 29,5% em comparação com maio de 2019 (€ 203,4 bilhões). As importações do resto do mundo ficaram em € 133,9 bilhões, uma queda de 26,7% em comparação com maio de 2019 (€ 182,7 bilhões). Como resultado, a Zona do Euro registrou um superávit de € 9,4 bilhões no comércio de mercadorias com o resto do mundo em maio de 2020, em comparação com + € 20,7 bilhões em maio de 2019. O comércio intra-área do euro caiu para € 125,3 bilhões em maio de 2020, queda de 27,9% em relação a maio de 2019. Os dados são Eurostat.

Na França, em junho de 2020, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI) aumentou 0,1% em um mês, como no mês anterior. Os preços da energia subiram 1,8%, depois da queda de 2,1% em maio. Os serviços ficaram em alta de 0,3%, depois da alta de 0,4%.

A queda nos preços dos produtos manufaturados foi maior (-0,3% após -0,1%) e os preços dos alimentos recuaram acentuadamente (-0,8% após + 0,5%). Com ajuste sazonal, os preços ao consumidor subiram 0,1% em junho, após estabilidade em maio. Na comparação anual, os preços ao consumidor subiram 0,2%, após + 0,4% no mês anterior. Os dados são do INSEE.

Na Itália, em maio de 2020, os dados da balança comercial, ajustados, em comparação com abril 0, aumentaram 35,0% para os fluxos de saída e 5,6% para os fluxos de entrada. As exportações aumentaram para os países da UE (+ 33,7%) e para países não pertencentes à UE (+ 36,5%). As importações cresceram 12,4% nos países da UE e diminuíram 2,7% nos países fora da UE. A balança comercial em maio de 2020 totalizou € 5,584 bilhões (€1,505 bilhão para países da UE e € 4,079 bilhões para países não pertencentes à UE). Os dados são do Istat.

No Reino Unido, os primeiros indicadores de junho de 2020 sugerem que o número de funcionário em folha de pagamento caiu cerca de 650 mil em comparação com março de 2020. Nos três meses até maio de 2020, houve queda forte em salários, que no total caiu 0,3% no ano, o que equivale a uma queda de 1,3% quando se considera a inflação.

De março a maio de 2020, a taxa de emprego estimada para todas as pessoas era de 76,4%, isto é 0,3 p.p acima no ano, mas 0,2 p.p abaixo no trimestre. Os dados são do Governo Britânico.

ESTADOS UNIDOS

Nos Estados Unidos, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego para a semana fechada em 11 de julho, com ajuste sazonal, ficaram em 1.300 milhão, queda de 10 mil em relação ao nível revisado da semana anterior. O nível da semana anterior foi revisado em 4.000, de 1.314 milhão para 1.310 milhão. A média móvel de quatro semanas foi de 1.375 milhão, queda de 60 mil em relação à média revisada da semana anterior. A taxa de desemprego medida pelo número de solicitações, com ajuste sazonal, estava em 11,9% na semana encerrada em 4 de julho, uma queda de 0,3 p.p em relação à taxa revisada da semana anterior

Nos Estados Unidos, as vendas no varejo subiram mais que o esperado em junho, mas a recuperação econômica está sendo ameaçada pelo ressurgimento de novas infecções por COVID-19 e alto desemprego. O Departamento de Comércio informou que as vendas no varejo aumentaram 7,5% no mês passado. Isso superou o salto de 18,2% em maio, que foi o maior ganho desde que o governo começou a acompanhar a série em 1992.

Nos Estados Unidos, a atividade de manufatura na região da Filadélfia continuou a se expandir este mês, de acordo com as empresas que responderam à Pesquisa de Perspectivas de Negócios de Manufatura do Federal Reserve de julho.

O índice de difusão da atividade atual desceu 3 pontos para 24,1 em julho, sua segunda leitura positiva consecutiva após atingir mínimos de longo prazo na primavera. A porcentagem de empresas que relatam aumentos (45%) neste mês excedeu as reduções de porcentagem (21%). O índice de novos pedidos passou de 16,7 para 23,0. Quase 47% das empresas relataram aumentos este mês, enquanto 24% relataram diminuições. O índice atual de embarques caiu 10 pontos, para 15,3 em julho. Os pedidos não preenchidos subiram 4 pontos para 3,9, enquanto os prazos de entrega caíram 7 pontos para -6,4, sugerindo prazos de entrega mais curtos.

As empresas relataram aumentos no emprego industrial pela primeira vez desde março, já que o atual índice de emprego subiu 24 pontos para 20,1 neste mês, a maior leitura desde outubro. Mais de 29% das empresas relataram aumentos (acima de 12% no mês passado), enquanto 9% relataram reduções (abaixo de 16%). O índice médio da semana de trabalho subiu 24 pontos para 17,2, alcançando também sua primeira leitura positiva desde março.

Nos Estados Unidos, o Censo anunciou as seguintes novas estatísticas de fabricação e comércio para maio de 2020:

O valor combinado das vendas no comércio distributivo e dos embarques dos fabricantes para maio, ajustados pelas diferenças sazonais e de dias de negociação, mas não pelas variações de preço, foi estimado em US $ 1.284,3 bilhão, acima 8,4% (± 0,3%) em relação a abril de 2020, mas caiu 11,8% (± 0,4%) em relação a maio de 2019.

Os estoques comerciais de maio, ajustados pelas variações sazonais, mas não pelas variações de preços, foram estimados no final a US $ 1.933,7 bilhão, uma queda de 2,3% (± 0,1%) em relação a abril de 2020, mas caiu 11,8% (± 0,4%) em relação a maio de 2019.

Relação de estoques / vendas

A relação total de estoques comerciais / vendas, com base em dados dessazonalizados no final de maio, foi de 1,51%. A relação de maio de 2019 foi de 1,40%.

Nos Estados Unidos, em um forte sinal de que o mercado imobiliário está pronto para liderar uma recuperação econômica pós-COVID, a confiança dos construtores no mercado de residências unifamiliares recém-construídas saltou 14 pontos para 72 em julho, de acordo com o mais recente mercado imobiliário NAHB / Wells Fargo Índice (HMI). A HMI está agora na sólida leitura pré-pandêmica de março, antes que o surto afetasse grande parte da população.

Todos os índices de HMI registraram ganhos em julho. O índice HMI, que mede as condições atuais de vendas, saltou 16 pontos, para 79, o componente que mede as expectativas de vendas nos seis meses seguintes subiu sete pontos, para 75, e o tráfego de gráficos dos possíveis compradores registrou um ganho de 15 pontos, para 58.

BRASIL

No Brasil, o IPC-S de 15 de julho de 2020 subiu 0,56%, ficando 0,06 ponto percentual (p.p) acima da taxa registrada na última divulgação.

Nesta apuração, quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação (0,08% para 0,74%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item passagem aérea, cuja taxa passou de 9,93% para 19,44%.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Habitação (0,13% para 0,40%), Transportes (1,33% para 1,47%) e Vestuário (-0,31% para -0,16%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: tarifa de eletricidade residencial (-0,59% para 0,50%), gasolina (4,01% para 4,49%) e calçados (-0,81% para -0,29%).

No Brasil, as informações são da nova Pesquisa Pulso Empresa: Impacto da Covid-19 nas Empresas, divulgada hoje pelo IBGE mostrou que entre 1,3 milhão de empresas que na primeira quinzena de junho estavam com atividades encerradas temporária ou definitivamente, 39,4% apontaram como causa as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus. Esse impacto no encerramento de companhias foi disseminado em todos os setores da economia, chegando a 40,9% entre as empresas do comércio, 39,4% dos serviços, 37,0% da construção e 35,1% da indústria.

Entre 2,7 milhões de empresas em atividade, 70% reportaram que a pandemia teve um impacto geral negativo sobre o negócio e 16,2% declararam que o efeito foi pequeno ou inexistente. Por outro lado, 13,6% afirmaram que a pandemia trouxe oportunidades e que teve um efeito positivo sobre a empresa.

Por segmento, o maior percentual de empresas em que a Pandemia tem tido efeito negativo está no setor de Serviços (74,4%), seguido por Indústria (72,9%), Construção (72,6%) e Comércio 65,3%.

No Brasil, a prévia extraordinária das Sondagens da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), com dados coletados até o dia 14 deste mês, sinaliza avanço de todos os índices de confiança em julho de 2020. Em relação ao número final de junho, o Índice de Confiança Empresarial (ICE) cresceria 7,3 pontos, para 87,7 pontos. Já o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiria 4,8 pontos, para 75,9 pontos.

No Brasil, a confiança do comércio está voltando. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), após ter alcançado o menor patamar da série histórica no mês passado, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) registrou crescimento de 6,6% em julho, passando de 66,7 pontos para 69,3 pontos. Foi o primeiro avanço mensal do indicador em quatro meses, desde o início da pandemia do novo coronavírus. Por outro lado, no comparativo anual, houve queda de 39,5%.

Fonte Ultimo Instante

Deixe um comentário