Confira os Indicadores econômicos desta terça-feira (28/07)

LinkedIn

ÁSIA

No Japão, o Índice de Preços ao Produtor de Serviços aumentou 0,8% em relação ao ano anterior. O Índice de Preços ao Produtor de Serviços (todos os itens, excluindo transporte internacional) subiu 0,9% em relação ao ano anterior. Os dados são do Banco Central do Japão.

EUROPA

No Reino Unido, as vendas no varejo permaneceram amplamente estáveis ​​no ano até julho (saldo de + 4%, de -37%) e devem cair um pouco no próximo mês (-5%).  Os pedidos feitos a fornecedores no ano até julho também caíram (saldo de -14%, de -47%) e devem recuarar em ritmo semelhante no próximo mês (-14%).  As vendas foram vistas como normais na época do ano (saldo de 0%, de -34%) e devem permanecer assim em agosto (-2%).  O crescimento das vendas pela Internet permaneceu acima da média de longo prazo (saldo de + 48%, de + 50%) e deverá aumentar ainda mais no ano até agosto (+ 61%). Os dados são do Governo Britânico.

Os atacadistas registraram uma queda mais lenta nos volumes de vendas (saldo de -22%, de -66%) e esperam um ritmo mais acentuado de queda no ano até agosto (-47%). Os atacadistas também relataram uma queda mais lenta nas encomendas (saldo de -32%, de -57%), mas esperam uma queda mais acentuada no próximo mês (-45%). Os negociantes de automóveis registraram um aumento nas vendas no ano até julho (saldo de + 18%, de -80%). O volume de vendas deverá cair no ano até agosto (-10%).

Na Espanha, os resultados da Pesquisa de Emprego para o segundo trimestre de 2020 continuam refletindo a situação decorrente da pandemia. A ocupação diminuiu 1.074 milhão pessoas no segundo trimestre. Deve-se ter em mente que esse número não inclui aqueles afetados por um Arquivo de Regulamentação de Emprego Temporário (ERTE) com suspensão do emprego que, de acordo com a metodologia do Gabinete de Estatística da União Europeia (Eurostat) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), aplicáveis ​​na EPA, são considerados ocupados.

Por outro lado, a suspensão ou redução das horas de trabalho afetada pela ERTE, juntamente com outros tipos de ausências no trabalho (como desemprego parcial por razões técnicas ou econômicas, doença, acidente ou incapacidade temporária), refletiu sobre as horas, que diminuiu 22,59% em relação ao primeiro trimestre. Com isso, o número de pessoas ocupadas que realmente trabalharam no segundo trimestre foi reduzido para 13.901 milhões (35,14% da população de 16 anos ou mais);  16,20% dos empregados (3.015.200) trabalhavam em sua própria casa mais da metade dos dias, em comparação com 4,81% observados em 2019.  Por sua vez, o desemprego aumentou em 55 mil  pessoas e a taxa de desemprego é de 15,33%.

ESTADOS UNIDOS

Nos Estados Unidos, os índices S&P/Dow Jones divulgaram hoje os últimos resultados dos índices de preços dos imóveis, S&P CoreLogic Case-Shiller. Os dados divulgados de maio de 2020 mostram que os preços das casas continuam a aumentar a uma taxa modesta.

O Índice Nacional de Preços da Habitação, que cobre todas as nove divisões do censo dos Estados Unidos, registrou um ganho anual de 4,5% em maio, ante 4,6% no mês anterior. As 10 cidades com o aumento anual composto ficaram em 3,1%, ante 3,3% no mês anterior. Em até as 20 cidades, o índice composto registrou um ganho de 3,7% ano a ano, abaixo dos 3,9% no mês anterior.

Nos Estados Unidos, o índice Conference Board de Consumo Confidente diminuiu em julho, depois de aumentar em junho. O índice agora está em 92,6, abaixo dos 98,3 de junho. O Índice da Situação Atual – baseado na avaliação dos consumidores sobre as condições atuais dos negócios e do mercado de trabalho – melhorou de 86,7 para 94,2. No entanto, o Índice de Expectativas – baseado nas perspectivas de curto prazo dos consumidores para renda, negócios e condições do mercado de trabalho – diminuiu de 106,1 em junho para 91,5 neste mês.

BRASIL

No Brasil, o Banco Central divulgou nesta terça-feira, os dados das transações correntes referentes ao mês de Junho. O resultado marcou superávit em US$2,2 bilhões, ante déficit de US$2,7 bilhões em junho de 2019. Essa mudança decorreu, principalmente, da redução de US$2,2 bilhões no déficit em serviços e do aumento de US$2,2 bilhões no superávit comercial.

No primeiro semestre, o déficit em transações correntes somou US$9,7 bilhões, com queda de 53,6% em relação aos US$21,0 bilhões registrados no período correspondente de 2019. O déficit em transações correntes nos doze meses encerrados em junho somou US$38,2 bilhões (2,35% do PIB), ante US$43,1 bilhões (2,58% do PIB) até o mês anterior.

As exportações de bens totalizaram US$18,0 bilhões em junho, recuo de 2,3% em relação ao mês correspondente de 2019. Na mesma base de comparação, as importações de bens diminuíram 19,1%, para US$11,1 bilhões. Na comparação entre os primeiros semestres de 2020 e de 2019, as exportações reduziram 6,8%, para US$102,2 bilhões, ao passo que as importações recuaram 5,0%, para US$82,9 bilhões. Dessa forma, o superávit comercial de bens na primeira metade de 2020 alcançou US$19,3 bilhões, redução de 13,8% comparativamente aos US$22,4 bilhões observados no mesmo período de 2019.

No Brasil, o Índice de Confiança da Construção (ICST), da Fundação Getulio Vargas, avançou em julho 6,6 pontos, alcançando 83,7 pontos. Após quatro meses em queda, o índice volta a apresentar crescimento em médias móveis trimestrais, de 70,0 para 76,3 pontos.

Neste mês, o avanço do ICST decorre de melhor avaliação dos empresários sobre a situação atual e principalmente pela diminuição do pessimismo em relação aos próximos meses. O Índice de Expectativas (IE-CST) subiu 8,5 pontos, para 91,7 pontos, recuperando aproximadamente 72% das perdas observadas entre janeiro (104,2 pontos, maior valor do ano) e abril (59,9 pontos, menor valor do ano). Os indicadores de demanda prevista e tendência dos negócios avançaram 9,0 pontos e 7,9 pontos, para 92,1 pontos e 91,4 pontos, respectivamente.

No Brasil, o Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) variou 0,84% em julho, percentual superior ao apurado no mês anterior, quando o índice registrou taxa de 0,32%. A taxa do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços passou de 0,68% em junho para 0,75% em julho. O índice referente à Mão de Obra subiu 0,92% na passagem de junho para julho.

No Brasil, os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) mostram que, em junho, o mercado formal de trabalho apresentou melhora em relação a maio. Junho teve 16% menos desligamentos (166.799) e 24% mais admissões (172.520) do que maio. Os dados foram apresentados pelo Ministério da Economia nesta terça-feira.

Com isso, o saldo do mês ficou negativo em 10.984 vagas, número inferior ao registrado em maio (-350.303). Em junho, foram 895.460 admissões e 906.444 desligamentos. Em maio, os números foram 722.940 e 1.073.243, respectivamente.

Fonte Ultimo Instante

Deixe um comentário