Mercados recuam com investidores acompanhando o avanço dos casos de Covid-19

LinkedIn

ÁSIA: A maioria das principais bolsas asiáticas recuou na segunda-feira, com os investidores observando cautelosamente a reunião dos líderes europeus que discutem a crise da pandemia e o aumento dos casos de coronavírus nos EUA.

As ações da China continental subiram na segunda-feira, após Pequim manter a sua taxa básica de juros inalterada pelo terceiro mês consecutivo, à medida que sua economia continua a se recuperar após a reabertura após a crise do coronavírus. Na semana passada, dados oficiais mostraram que sua economia cresceu 3,2% no segundo trimestre em relação ao ano anterior, melhor do que os 2,5% esperados pelos analistas consultados pela Reuters. O composto de Xangai saltou 3,11%, enquanto o composto de Shenzhen subiu 2,68%. O Shenzhen Component saltou 2,55%.

Ainda segundo a agência de notícias, os reguladores da China aumentaram o limite de quanto as seguradoras podem investir em ativos patrimoniais para 45% no final de semana, em um esforço para trazer mais capital de longo prazo para o mercado.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,12%. A cidade reforçou as restrições novamente depois que novos casos relatados de Covid-19 aumentaram para mais de 100 em 24 horas no fim de semana. A líder de Hong Kong, Carrie Lam, disse que a situação era “muito séria e não havia sinais de que estivesse sob controle”, segundo a Reuters.

O Nikkei do Japão recuperou as perdas iniciais e fechou positivo em 0,09%. O Topix subiu 0,20%. As exportações do Japão mergulharam 26,2% em junho em relação ao ano anterior, segundo dados da Reuters, pior do que o esperado, já que os economistas esperavam um declínio de 24,9%. As importações caíram 14,4%, em comparação com as expectativas de um declínio de 16,8%, segundo a Reuters.

Em maio, as exportações do Japão caíram 28,3%, o ritmo mais rápido desde a crise financeira global, com a queda das exportações de carros para os EUA.

O S & P / ASX 200 da Austrália caiu 0,54%, fechando em 6.001,60 pontos, pesada principalmente pelo seu setor financeiro altamente ponderado. Entre as empresas de commodities, BHP subiu 1,4%, Rio Tinto avançou 1,2%, enquanto a produtora exclusiva de minério de ferro Fortescue Metals recuou 0,4%, enquanto as produtoras de energia, Santos caiu 3,1% e Woodside Petroleum recuou 2,3%.

Na Coreia do Sul, o Kospi caiu 0,14%, fechando em 2.198,20 pontos.

No geral, o índice da MSCI de ações da Ásia-Pacífico exceto Japão caiu 0,09%.

EUROPA: As bolsas europeias tentam definir uma direção, depois que os líderes da União Europeia não conseguiram chegar a um acordo sobre um fundo de recuperação de bilhões de euros para a região, com objetivo de auxiliar na recuperação da crise do coronavírus.

Os investidores europeus estão digerindo as últimas notícias da região ocorridas neste fim de semana. Os líderes da UE até agora não concordaram com o tamanho e a composição de um fundo de recuperação de 750 bilhões de euros (857 bilhões de dólares). As negociações que começaram em Bruxelas na sexta-feira, continuaram no fim de semana e agora devem ser retomadas na segunda-feira.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, lembrou aos líderes da UE presentes que mais de 600.000 pessoas morreram devido ao coronavírus em todo o mundo.

O pan-europeu Stoxx 600 recuperou suas perdas iniciais e opera logo abaixo da linha plana no meio da manhã. Ações do setor de produtos químicos lideram os ganhos, enquanto o setor de viagens e lazer recuam.

O alemão DAX 30 sobe 0,20%, o CAC 40 da França cai 0,27%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e FTSE MIB da Itália recuam 0,26% e 0,12%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,73%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 1%, BHP recua 1,2%, Rio Tinto perde 0,8%, enquanto Antofagasta avança 0,7%. Entre as empresas de energia, BP cai 1,8% e Royal Dutch Shell cai 1,4%.

A pandemia continua sendo o foco nos mercados, pois os casos de coronavírus aumentam a um ritmo alarmante em algumas partes do mundo.

Algumas notícias promissoras saíram do Reino Unido na segunda-feira, quando a empresa farmacêutica britânica Synairgen afirmou que seu novo tratamento respiratório contra o coronavírus reduziu o número de pacientes hospitalizados Covid-19 que precisam de tratamento intensivo em um ensaio clínico.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam para uma ligeira queda em Wall Street no início da sessão de segunda-feira, devolvendo ganhos iniciais, quando os investidores tentavam aproveitar o sólido desempenho da semana passada.

Na semana passada, o S&P 500 e o Dow subiram 1,3% e 2,3%, respectivamente, o terceiro avanço semanal consecutivo.

Esses ganhos vieram após os investidores apostarem em nomes prejudicados com o pandemia de Covid-19, em meio a notícias positivas de ensaios de vacinas da Moderna e de uma parceria entre a Pfizer e a BioNTech. ViacomCBS, que caiu cerca de 40% no ano, subiu quase 10% na semana passada. GAP subiu 10,6% e a United Airlines aumentou 3,8%.

Mas esses avanços ocorreram às custas de quedas nas ações de tecnologia, como Facebook, Amazon, Netflix, Alphabet e Microsoft. Facebook e Alphabet perderam mais de 1% na semana passada. A Microsoft caiu 5,1% nesse período, enquanto Amazon e Netflix caíram 7,4% e 10,2%, respectivamente. Esses declínios levaram à primeira perda semanal do Nasdaq Composite em três semanas. Essas ações foram as estrelas em Wall Street meste ano, uma vez que os investidores apostam que os modelos de negócios dessas empresas podem mantê-las crescendo durante a pandemia.

O setor de tecnologia do S&P 500 caiu 1,2% na semana passada e foi um dos dois únicos a cair mais de 1% nesse período.

As ações do Facebook caem 1% nas negociações do “pré-market”, após uma reportagem do Wall Street Journal dizer que Walt Disney, o principal anunciante americano da rede social, estava cortando os gastos com anúncios.

Em outras notícias, as ações da Chevron caem 0,8% com as notícias de que a gigante da energia havia confirmado seu contrato de compra do total das ações da Noble Energy. A transação está avaliada em US $ 5 bilhões, ou US $ 10,38 por ação. As ações da Noble sobem na ordem de 8%.

Os investidores também estão de olhos em Washington, enquanto os legisladores iniciam negociações sobre novas medidas de estímulos. No início deste ano, o presidente Donald Trump assinou um pacote de estímulo no valor de aproximadamente US $ 2 trilhões, o que aumentou os benefícios aos desempregados demitidos durante a pandemia. Entre os benefícios, inclui um valor de US $ 600 por semana. No entanto, esses pagamentos extras devem expirar no final deste mês.

Segundo analistas, há incertezas sobre o tamanho e a forma do próximo auxílio, principalmente do lado do cidadão. O consenso é de um pacote de aproximadamente US $ 1 a US $ 1,5, por isso, se o projeto chegar ao topo dessa faixa, seria visto como uma surpresa positiva.

Os casos de coronavírus tem aumentado a um ritmo alarmante. Dados compilados pela Universidade Johns Hopkins mostraram que mais de 70.000 casos foram confirmados no sábado. Isso marca dois dias seguidos de pelo menos 70.000 novas infecções diárias confirmadas.

Várias empresas estão na corrida por uma vacina e terapêutica. A empresa farmacêutica britânica Synairgen disse que seu novo tratamento respiratório contra o coronavírus reduziu o número de pacientes Covid-19 hospitalizados que necessitam de cuidados intensivos em um ensaio clínico. Suas ações subiram mais de 350% no mercado europeu.

Não está prevista a divulgação de dados econômicos.

ÍNDICES FUTUROS – 7h55:
Dow: -0,10%
SP500: -0,19%
NASDAQ: +0,12%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário