Payroll surpreende novamente, com criação de 4,8 milhões de vagas

LinkedIn

Dados animadores sobre o emprego vêm dos Estados Unidos. O payroll, folha de pagamento oficial não agrícola do país, revelou a criação de 4,8 milhões de vagas em junho. O resultado vem bem acima do esperado pelo mercado, que era de 3 milhões.

Os números de maio, que já tinham vindo fortes, foram reajustados – de 2,5 milhões para 2,69 milhões. Vale lembrar que, mês passado, a projeção do mercado era pela perda de 8 milhões de vagas e o payroll surpreendeu a todos revelando geração de postos de trabalho.

A taxa de desemprego caiu 2,2 pontos percentuais, para 11,1% em junho. A projeção era de 12,30%. O número de desempregados caiu 3,2 milhões, ficando em 17,8 milhões.

O payroll é, tradicionalmente, divulgado na primeira sexta-feira do mês. No entanto, foi adiantado para esta quinta por conta do feriado do Independence Day (4), que fecha os mercados americanos amanhã (3).

Ontem, o Relatório Nacional de Emprego dos Estados Unidos, considerado uma prévia do payroll e calculado pelo ADP Research Institute e pela Moody’s Analytics, apontou a criação de 2,369 milhões de vagas de emprego no setor privado dos Estados Unidos.

A diferença é que o relatório da ADP só contabiliza as vagas na iniciativa privada, ao passo que o payroll inclui os cargos públicos.

Pedidos por seguro-desemprego

Outro dado sobre emprego divulgado hoje pelo Departamento de Trabalho foram os novos pedidos semanais por seguro-desemprego.

Foram 1,427 milhões de novas reivindicações, quando a expectativa era por 1,355 milhões. Na semana anterior, foram 1,482 novos pedidos. Eles foram revisados dos 1,480 milhões anunciados anteriormente.

Apesar de o resultado vir acima das projeções do mercado, ele confirma a tendência de queda das solicitações. Esta é a quinta semana em que os novos pedidos ficam abaixo de 2 milhões desde o início da crise do coronavírus.

O recorde nos pedidos foi de 6,86 milhões, registrado na semana encerrada em 28 de março.

Antes da crise do coronavírus, o recorde nos pedidos de seguro-desemprego tinha ocorrido em 1982, com 650 mil reivindicações.

Os pedidos contínuos, que demonstram quantos americanos permanecem na lista dos beneficiados após o pedido inicial, ficaram em 19,290 milhões, ante 19,231 milhões da semana passada.

 

Deixe um comentário