Confira os Indicadores Econômicos desta quarta-feira (12/11/2020)

LinkedIn

ÁSIA

Na Austrália, o Sentimento do Consumidor ficou em 79,5, com o índice de volta para perto da mínima de 75,6 visto em abril, quando a Austrália entrou em um bloqueio nacional.  Ao cair para apenas 5,1% acima das mínimas que vimos em abril, quando os consumidores foram confrontados pela primeira vez com um bloqueio nacional, pode muito bem ser uma reação exagerada e significativa. Os dados são do Governo da Austrália

EUROPA

Na Europa, em junho de 2020, um mês marcado por algum relaxamento das medidas de contenção COVID-19 em muitos Estados-Membros, a produção industrial, corrigida de sazonalidade, aumentou 9,1% na Zona do Euro e na União Europeia, em comparação com maio de 2020, de acordo com estimativas do Eurostat, o escritório da União Europeia. Em maio de 2020, a produção industrial subiu 12,3% na EA19 e 11,6% na UE 27. Quando comparado com o mesmo período de 2019, a produção industrial diminuiu 12,3% na EA19 e 11,6% na UE.

Os maiores acréscimos foram registados na Eslováquia (+ 21,7%), Hungria (+ 17,1%) e Romênia (+ 16,3%). As quedas foram observadas na Bélgica (-1,4%) e Finlândia (-0,8%).

No ano, as maiores quedas foram registadas em Portugal (-14,8%), Alemanha e Espanha (ambos -14,1%) e Itália (-13,7%). Houve aumento na Irlanda (+ 4,5%).

No Reino Unido, o PIB caiu 20,4% no 2º trimestre, com contrações generalizadas em todos os principais setores da economia. Em junho, o PIB cresceu 8,7%. O setor de serviços caiu 19,9% no trimestre, a produção industrial caiu 16,9% no trimestre, o setor de construção caiu 35,0% no trimestre.

A produção total diminuiu 16,9% no trimestre, em comparação com o primeiro trimestre, a maior queda desde que os registros começaram em janeiro de 1948. A produção industrial, que caiu em um recorde de 20,2%, liderou as perdas. Em junho de 2020, o índice de produção está 11,6% abaixo de fevereiro de 2020, o mês anterior de condições comerciais “normais”, antes da pandemia de coronavírus.

ESTADOS UNIDOS

Nos Estados Unidos, o Índice de Preços ao Consumidor para Todos os Consumidores Urbanos (CPI-U) aumentou 0,6% em julho, com ajuste sazonal, o mesmo aumento de junho, informou o Departamento de Análises Econômicas dos Estados Unidos.

Nos últimos 12 meses, o índice geral aumentou 1,0% antes do ajuste sazonal. O índice da gasolina continuou subindo em julho, depois da alta acentuada em junho e foi responsável por cerca de um quarto do aumento mensal de todos os itens ajustados. O índice de energia aumentou 2,5% em julho, enquanto o índice da gasolina subiu 5,6%. Isso foi parcialmente compensado pelo índice de alimentação, que caiu 0,4% em julho, com o índice de alimentação em casa diminuindo 1,1%.

BRASIL

No Brasil, o volume de vendas do varejo cresceu 8% em junho, após a alta recorde de 14,4% em maio. Apesar dos números positivos nesses dois meses, o varejo fechou o primeiro semestre com -3,1%, frente ao primeiro semestre de 2019, influenciado pelas medidas de isolamento social para contenção da pandemia de Covid-19. Esse resultado semestral, divulgado hoje (12) pelo IBGE, é o menor desde o segundo semestre de 2016 (- 5,6%).

Com exceção de Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, atividade que teve queda de 2,7% frente a maio, todas as outras atividades analisadas pela pesquisa cresceram nessa comparação. Os maiores percentuais foram de Livros, jornais, revistas e papelarias (69,1%), Tecidos, vestuário e calçados (53,2%), Móveis e eletrodomésticos (31%) e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (26,1%). Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (22,7%), Combustíveis e lubrificantes (5,6%) e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,7%) foram as demais atividades que tiveram resultados positivos.

No Brasil será apresentado o Fluxo Cambial.

Fonte Ultimo Instante

Deixe um comentário