Microsoft confirma negociações para comprar o TikTok nos EUA

LinkedIn

A Microsoft (MSFT) confirmou neste domingo que manteve conversas com a empresa chinesa de tecnologia ByteDance para adquirir o TikTok nos EUA.

A Microsoft (BOV:MSFT34) afirmou em comunicado  que continuará trabalhando com o governo dos EUA em um acordo e que pretende concluir as negociações até 15 de setembro.

Se fosse concluir o acordo, a Microsoft poderia resolver simultaneamente uma recente controvérsia em Washington e ainda ganhar poder na tecnologia do consumidor.

O comunicado foi divulgado dois dias depois que meios de comunicação como CNBC informaram que a Microsoft estava interessada em adquirir o aplicativo, de propriedade da empresa chinesa ByteDance. Logo depois que os relatórios surgiram, o presidente Trump disse que se opunha à idéia de a Microsoft comprar o TikTok e que iria proibir o aplicativo nos EUA.

As empresas envolvidas verificam a possibilidade da compra se restringir ao aplicativo em alguns países: EUA, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

“Essa nova estrutura se baseará na experiência que os usuários do TikTok atualmente adoram, ao adicionar proteções de segurança, privacidade e segurança digital de classe mundial”, afirmou a Microsoft. “O modelo operacional do serviço seria construído para garantir transparência aos usuários, bem como uma supervisão de segurança apropriada pelos governos desses países”.

Trump concordou em dar à ByteDance 45 dias para fechar um acordo com a Microsoft sobre o TikTok, informou a Reuters no domingo, citando fontes não identificadas. A Microsoft afirmou que garantiria que os dados dos usuários do TikTok nos EUA fossem localizados no país e que os dados armazenados em outros lugares fossem excluídos após a transferência.

A aquisição de parte do TikTok pode complicar o relacionamento da Microsoft com o Facebook , que vê a ByteDance como um concorrente. A Microsoft investiu US$ 240 milhões no Facebook em 2007 e, desde então, as duas empresas trabalham juntas em várias iniciativas. Em junho, quando a Microsoft anunciou que encerraria o serviço de streaming de videogame Mixer, incentivou os usuários a mudar para o produto do concorrente Facebook.

O Facebook disse no início deste ano que encerraria um aplicativo chamado Lasso, que lembrava o TikTok no sentido de que ambos permitem que os usuários gravem vídeos curtos e os acompanhem com músicas.

A ByteDance introduziu o TikTok fora da China continental em 2017, após o lançamento de um aplicativo semelhante chamado Douyin. Meses depois, a ByteDance adquiriu o Musical.ly, um aplicativo de mídia social separado que ganhou força com os adolescentes, ao pagar US$ 800 milhões . O Facebook tentou comprar o Musical.ly em 2016, segundo informação do BuzzFeed News. A CNBC informou em outubro que o TikTok já havia mudado para o escritório no Vale do Silício que era usado pelo WhatsApp, e tinha começado a contratar funcionários do Facebook.

No domingo, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse à Fox News que o TikTok e outro aplicativo chinês popular, o WeChat da Tencent, estão “fornecendo dados diretamente ao Partido Comunista Chinês”. E na quarta-feira, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse que o Comitê de Investimentos Estrangeiros dos EUA estava analisando o TikTok .

Fonte CNBC

Deixe um comentário