MSCI: Entra Via Varejo e sai brMalls

LinkedIn

A revisão trimestral da composição dos índices acionários MSCI, incluindo o Global Standard, contemplou, no caso de papéis brasileiros, a entrada das ações da Via Varejo (BOV:VVAR3), enquanto brMalls (BOV:BRML3) foi excluída.

De acordo com a provedora de índices e análises MSCI, em documento divulgado nesta quarta-feira, as mudanças entram em vigor no fechamento do dia 31 de agosto.

No MSCI Global Small Caps, também considerando apenas as mudanças nos papéis brasileiros, foram incluídas as ações de brMalls e excluído o papel da Via Varejo.

Como funciona o Índice?

Os índices MSCI são como carteiras teóricas de ativos financeiros. O MSCI Global é tido como o de maior importância. O MSCI Small Caps reúne ações small cap, isto é, de empresas com menor valor de mercado. O MSCI Brazil reúne apenas ações brasileiras.

Inicialmente, a MSCI usava oito fatores no desenvolvimento de seus índices, entre eles, momentum (a tendência de que os preços de um ativo em alta subam ainda mais e os preços de um ativo em baixa caiam ainda mais), volatilidade, liquidez e alavancagem. A metodologia empregada atualmente é mais sofisticada e varia conforme o índice.

Os índices que a MSCI publica, atualmente, alcançam uma taxa de precisão de 99,8%. Segundo dados de Junho de 2019, US$12,3 trilhões em ativos estão alocados em carteiras que usam os índices MSCI como benchmark e mais de 1200 ETFs são baseados nesses índices.

De fato, sempre que a MSCI anuncia mudanças em suas carteiras teóricas, isso afeta o comportamento de gestores e investidores em todo o mundo, pois eles usam os índices como uma referência para tomar suas decisões.

Consequentemente, esses índices também causam um impacto no preço dos ativos. Quando um ativo é retirado de um índice, por exemplo, a pressão de venda aumenta e, conforme as leis de demanda e oferta, o preço cai. Ao contrário, quando um ativo é incluído em um índice, a pressão de compra aumenta e o preço sobe.

Conheça o MSCI

MSCI é uma empresa americana do mercado financeiro, que atua como fornecedora global de ferramentas de análise de equity, renda fixa, fundos de hedge, índices de mercado e afins.

É responsável pela publicação dos índices MSCI BRIC, MSCI World e MSCI EAFE. Atualmente, seu CEO é Henry A. Fernandez, e sua receita em 2017 foi de US$1,27 bilhão.

A história da MSCI começa em 1968, com a empresa Capital International, que publicava índices do mercado de ações para mercados fora dos EUA. Em 1986, o banco Morgan Stanley licenciou os direitos para os índices da Capital International e fez um rebranding; eles passaram a ser conhecidos como “Morgan Stanley Capital International índices” ou apenas MSCI.

Na década de 1980, os índices MSCI já eram a referência principal para índices fora dos EUA, antes de empresas como FTSE, Citibank e Standard & Poor’s também ganharem espaço.

Em 2004, a MSCI adquiriu a Barra, Inc e formou-se a MSCI Barra. Depois, em 2007, o Morgan Stanley decidiu “desinvestir” e sair da MSCI, processo que foi completado em 2009.

Deixe um comentário