Soma (SOMA3) 2T20: Prejuízo líquido de R$ 18 milhões

LinkedIn

A  varejista de moda Soma registrou prejuízo de R$ 18 milhões durante o 2° trimestre de 2020. Na comparação com um ano antes, nota-se um tombo de 229%, já que a empresa havia reportado um lucro R$ 12,2 milhões. O resultado foi impactado pela estratégia de escoamento dos estoques da coleção do 1° semestre, pela manutenção integral de todos os empregos, assim como o carrego dos custos fixos das lojas físicas por um período maior que o inicialmente previsto.

Os resultados da Soma (BOV:SOMA3) referente a suas operações do segundo trimestre de 2020, foram divulgados no dia 27/08/2020.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – teve variação negativa de 190%, em relação a um ano antes, somando um prejuízo de R$ 37,2 milhões e um saldo positivo de R$ 41,2 milhões, respectivamente.
O caixa da Soma permaneceu saudável no trimestre, encerrando o período com saldo de R$ 136,2 milhões, garantindo robustez a operação independentemente dos recursos captados no IPO. A empresa estreou na B3 no dia 31 de julho.

A operação da companhia, que se apresenta como a maior plataforma de moda do país, captou 1,35 bilhão de reais na oferta primária, ações novas, cujos recursos irão para o caixa. O IPO movimentou R$ 1,823 bilhão após precificação do papel.

A empresa pretende usar esse dinheiro para abrir mais lojas e comprar mais marcas, além de pagar dividendos e dívidas.

A oferta secundária do Soma, dono das marcas Animale, Cris Barros e A.Brand, para público feminino; Fábula, para crianças; e Foxton, para homens, movimentou 472,5 milhões de reais, com quase 40 vendedores, segundo o prospecto preliminar.

A companhia explicou que com a chegada da pandemia em março deste ano, o segmento foi severamente impactado.

“O e-commerce tornou-se o único canal de vendas aos clientes, permitindo o giro de nossos estoques, garantindo níveis de caixa e contas a receber saudáveis, mantendo aquecido o contato diário das marcas com sua base de clientes e mantendo ativa a nossa cadeia produtiva”, revela a companhia.

As vendas via e-commerce totalizaram R$ 185,7 milhões no intervalo de abril a junho, um crescimento de 189,3% frente ao mesmo período de 2019. Tal entrega só foi possível pela total integração dos estoques e pela maturidade da operação omnichannel, que cresceu 125% nos meses referidos.

Visão do mercado

Eleven Financial

Eleven mantém recomendação neutra para Soma com preço-alvo de R$ 11,00.

Para Daniela Bretthauer, Co-Head of Equities da Eleven, acredita que os resultados são reflexo das iniciativas digitais construídas ao longo dos anos pela companhia mas não enxerga upside significativo. A research também tem ressalvas com a relevante contribuição da Lei da Moda na composição dos resultados do grupo.

Deixe um comentário