Bancos analisam veto de crédito a criador em área de desmatamento ilegal

LinkedIn

Os grandes bancos privados brasileiros estudam como rastrear a produção de gado para assegurar que não financiem empresas cuja cadeia tenha por trás o desmatamento ilegal da Amazônia, disse o presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher.

O Conselho Consultivo Amazônia – criado por Itaú, Bradesco e Santander para discutir e elaborar medidas voltadas à região – vai ajudar as instituições a encontrar esse modelo de rastreamento, segundo o executivo.

“Mas estamos em trabalho de aprendizado. Não estamos em posição de dar aula para ninguém sobre a Amazônia”, disse Bracher. O executivo participou, nesta sexta-feira, de entrevista ao vivo ao jornal “O Globo”, ao lado dos presidentes do Bradesco, Octavio de Lazari Jr., e do Santander, Sérgio Rial.

Candido Bracher, do Itau Unibanco, diz que os representantes dos bancos estão em fase de aprendizado em relação à Amazônia

De acordo com eles, controlar os grandes frigoríficos é relativamente mais fácil, já houve conversas com as maiores empresas do setor e elas manifestaram intenção de colaborar. “Por isso, nossa preocupação é com a cadeia. Essa rastreabilidade do bezerro até chegar ao garfo do consumidor, nós vamos precisar fazer”, afirmou Lazari.

Deixe um comentário