Hackers atacam o site da campanha de Trump em um crypto scam

LinkedIn

Por volta das 19h00, horário do leste dos EUA, ontem, uma página do site da Campanha Trump exibiu momentaneamente uma mensagem que dizia: “este site foi apreendido. o mundo está farto das notícias falsas difundidas diariamente pelo presidente Donald J. Trump.” A equipe de campanha do presidente afirmou que nenhum dado confidencial foi exposto no ataque.

Para fazer com que pareça legítimo, os hackers adicionaram selos de réplicas do Departamento de Justiça e do FBI. A mensagem da página foi corrigida pouco depois. Ainda não se sabe como os golpistas conseguiram acessar o site. Com base na gramática usada pelo perpetrador, é possível que os hackers não sejam falantes nativos de inglês.

Eles continuaram dizendo que haviam posto as mãos em dispositivos comprometidos, que tinham informações que confirmavam o envolvimento do governo de Trump na eclosão do coronavírus. Eles também acrescentaram que ele estava conspirando com outros partidos estrangeiros para alterar o curso da eleição.

Os golpistas vincularam dois endereços crypto Monero (XMR) à mensagem, pedindo aos usuários que votassem se os dados deveriam ser compartilhados depositando fundos. Eles deixaram uma última mensagem dizendo: “Depois do prazo, vamos comparar os fundos e executar a vontade do mundo. Em ambos os casos, iremos informá-lo.

O hack do site durou cerca de meia hora e, durante esse período, o acesso ao site foi limitado. Este ataque é indiscutivelmente o mais enervante até agora neste ano, considerando que as eleições presidenciais dos Estados Unidos estão se aproximando e as agências de aplicação da lei/inteligência nos Estados Unidos estão em alerta máximo.

Ataques relacionados ao crypto direcionados a indivíduos de alto perfil têm aumentado este ano. A mais significativa foi a de várias personalidades no Twitter em 15 de julho. Desde então, várias outras foram relatadas, principalmente o crypto scam  no site pessoal do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi. O nome do presidente da Colômbia, Ivan Duque, também foi usado para promover um golpe relacionado ao Bitcoin no início de setembro.

Por Sam Grant

Deixe um comentário