Morgan Stanley analisa o Pix após abertura de 34 milhões de chaves

LinkedIn

O banco Morgan Stanley destacou a notícia de que mais de 34 milhões de chaves de acesso já foram registradas no sistema PIX, para transferências de recursos. A possibilidade de realizar o registro foi lançada há dez dias. O processo é liderado por empresas de Fintech. O Nubank (NUB4) registrou 8,1 milhão de identidades; o Mercado Pago (MELI34), 4,7 milhões; o PagSeguro (PAGS), 4,3 milhões. Bancos grandes ficam atrás. O Bradesco (BBDC4) registrou 3,7 milhões de chaves; a Caixa, 2,5 milhões; o Banco do Brasil (BBAS3), 2,1 milhões; o Itaú (ITUB4), 1,8 milhões; e o Santander Brasil (BCSA34), 1,6 milhão.

Especial ADVFN – (Mais um pouco de) PIX: O novo capítulo do Banco Central para estimular concorrência

Mas o Morgan Stanley ressalta que o número de indivíduos e empresas que se registraram é, provavelmente, muito menor. Cada indivíduo pode registrar até 5 chaves por conta bancária, e as empresas, até 20 por conta bancária. Isso significa que alguém com duas contas pode registrar 10 chaves. E uma empresa com duas contas pode registrar até 40 chaves.

O Morgan Stanley afirma que, à primeira vista, o Pix pode parecer pouco atrativo para grandes bancos, que, com o novo sistema, poderiam perder receitas com boletos e transferências bancárias. Mas avalia que, na prática, o PIX deve ganhar importância especialmente em pagamentos de pessoas para pessoas, o que pode ampliar a inclusão financeira. “Por isso, mesmo instituições estabelecidas querem participar”, afirma a análise. A disputa por adesão pode ser também um movimento defensivo importante.

Deixe um comentário