Unidas (LCAM3) 3T20: Lucro líquido de R$ 124,2 milhões

LinkedIn

O lucro líquido da Unidas no período foi de R$ 124,2 milhões, crescimento de 44,4% na comparação com igual trimestre de 2019, figurando como o maior valor já registrado pela empresa na sua história.

A Unidas (BOV:LCAM3) registrou lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 123,5 milhões no terceiro trimestre, alta de 42,8% ante os R$ 86,46 milhões registrados no terceiro trimestre de 2019. A companhia destaca que, com a aceleração da demanda por aluguel de carros, a taxa de ocupação chegou a 79,7%, acima dos patamares pré-covid. O segmento de seminovos teve alta demanda e chegou ao recorde de veículos vendidos de 28,7 mil unidades, com preço médio de venda de R$ 41 mil.

Depois da crise do covid-19, a Unidas conseguiu dar a volta por cima e no terceiro trimestre registrou recordes no faturamento e no lucro líquido, sustentado pela expansão de receita em todos os segmentos de atuação da empresa.

Os resultados da Unidas referente a suas operações do segundo trimestre de 2020, foram divulgados no dia 26/10/2020.
Ebtida recorrente consolidado – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização –fechou o trimestre finalizado em setembro em R$ 368,8 milhões, com uma alta de 12,6% ante o terceiro trimestre de 2019. O indicador também bateu um recorde, assim como o lucro.

“O EBITDA recorrente consolidado do 3T20 apresentou crescimento anual de dois dígitos, sustentado pelas fortes expansões dos EBITDAs de Seminovos e de Terceirização de Frotas, além da considerável recuperação apresentada em Aluguel de Carros em relação ao 2T20″, explica.

margem Ebitda, por sua vez, ficou em 63,6% entre julho e setembro de 2020, ante 59,8% no ano anterior, e é a maior já alcançada pela companhia desde a entrada no segmento de aluguel de carros.

→ A Unidas possui R$ 10,8 bilhões de valor de mercado. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

receita líquida da Unidas no terceiro trimestre ficou em R$ 1,756 bilhão, apresentando um avanço de 39,6% ante o mesmo período do ano passado. “O maior faturamento da história da Companhia em um único trimestre de R$1,76 bilhão foi alcançado pela expansão de receita em todos os seus segmentos de atuação”, destaca o comunicado.

receita no segmento de locação ficou em R$ 580 milhões ao fim de setembro, com uma alta de 6% ante o mesmo período do ano passado. Ademais, a receita líquida de seminovos reportou alta de 65,5%, alcançando R$ 1,176 bilhão.

A Unidas aponta que a terceirização de frotas “segue com atividade comercial aquecida”, com novos recordes trimestrais de contratações ao patamar de R$ 557 milhões em valor global, o que representa alta de 263,4%. De acordo com a companhia, há “pipeline ainda mais forte” para o quarto trimestre deste ano.

No total, foram 8.996 contratações no trimestre, crescimento de 130% na comparação anual. A empresa disse que no quarto trimestre, o cenário favorável deve continuar, “dado o novo recorde de carros em disputa pela Companhia”.

Já no segmento de Aluguel de Carros, a empresa registrou crescimento de 14,3% no número de diárias, para 4.089. A tarifa média diária no trimestre caiu 10,6%, para R$ 61,9.

“Ao final do trimestre, todas as tarifas por canais já estavam maiores ou iguais ao pré-covid”, disse a empresa, explicando que a redução anual da tarifa média no terceiro trimestre reflete a mudança do mix de locação, com maior exposição à locações mensais.

“Com a contínua retomada de locações diárias verificada pela Companhia, sobretudo de pessoas físicas, a tarifa média deverá voltar naturalmente aos patamares pré-covid”.

A empresa registrou ainda a maior taxa de ocupação desde o primeiro trimestre de 2019, de 79,7%, crescimento de 4 pontos porcentuais na comparação anual.

O custo de vendas no trimestre foi de R$ 1,409 bilhões, alta de 44,83% ante os R$ 972,83 milhões registrados no terceiro trimestre de 2019. As despesas operacionais avançaram 11,87%, de R$ 128,99 milhões para R$ 144,31 milhões.

O lucro bruto da Unidas no terceiro trimestre foi de R$ 377,36 milhões, alta de 13,32% ante o mesmo período do ano passado. Já o lucro antes do resultado financeiro avançou 14,24%, para R$ 233,04 milhões.

O resultado financeiro da companhia ficou negativo em R$ 69,94 milhões, ante os R$ 92,09 milhões negativos do ano passado.

O caixa da companhia ao fim do período ficou em R$ 2,366 bilhões, alta de 164,4% em relação ao terceiro trimestre de 2019. Na relação dívida sobre Ebitda, a companhia possui avalancagem de 2,02 vezes.

VISÃO DO MERCADO
BB Investimentos

A Unidas apresentou os números do 3T20 e, em nossa avaliação, o resultado foi positivo. O destaque no trimestre ficou por conta do volume recorde na venda de carros (+28,7 mil). A receita líquida no segmento de seminovos apresentou uma alta de 65,4% a/a, com aumento de 3,1 p.p. a/a na margem EBITDA (4,5% versus 1,5% no 3T19).

Destacamos também a resiliência do segmento de Gestão e Terceirização de Frotas (GTF), que apresentou um aumento de 130,4% a/a em volume de novas contratações e de 263,4% a/a no valor global de novas contratações. Com relação ao segmento de Aluguel de Carros (RAC), a estratégia de redução de tarifas (-10,6% a/a) contribuiu para um crescimento no volume de diárias de +14,3% a/a.

Já no segmento de seminovos, ressaltamos alguns fatores que contribuíram para a excelente performance, tais como (i) a menor oferta de veículos zero km no 3T20, (ii) o maior estoque de veículos da Unidas e (iii) disponibilidade de financiamentos de veículos, que ajudaram a alavancar o crescimento no volume de vendas e ainda permitiu a majoração de preço dos veículos usados, resultando em aumento de margens no 3T20.

Em suma, a Unidas demonstrou que sua estratégia e seu modelo de negócio permitem operar com flexibilidade, ao ajustar tarifas e crescer em volume no RAC, e resiliência no segmento de GTF, após ter expandido os negócios em plena pandemia. Com relação a performance na venda de seminovos, a estratégia da Unidas de optar por manter o preço do veículo e reduzir o volume de vendas no 2T20, permitiu o aumento de margens no 3T20 diante da retomada na demanda, combinada aos fatores de menor oferta da indústria automotiva e disponibilidade de crédito à veículos.

Considerando a perspectiva de manutenção do cenário positivo de locação de veículos no segmento de GTF, e também de crescimento na locação de veículos no RAC, sustentada pela mudança de comportamento em alugar o veículo mensalmente ou ainda na maior utilização dos aplicativos de compartilhamento de veículos (ex: Uber), em substituição ao transporte público de massa (Ônibus, metrô e trem), revisamos nosso modelo de avaliação da Unidas e alteramos o preço alvo da ações LCAM3 de R$ 21,00 para R$ 30,00 para o final de 2021, mantendo a recomendação de Compra.

BTG Pactual
Para os analistas do BTG, os resultados do 3T20 ficaram acima das estimativas. Em relação às estimativas , a maior parte da diferença veio da divisão de Seminovos, registrando um recorde de venda de seminovos se tornando uma surpresa positiva.
As vendas de RAC (aluguel de carros)  ficaram estáveis, já que o aumento nos volumes de 14% a/a foi compensado principalmente por uma redução de 11% a/a na tarifa média (principalmente devido aos efeitos do mix, refletindo a maior exposição aos aluguéis mensais). A margem EBITDA do RAC (em IFRS 16) caiu para 36% (de 48% um ano atrás), principalmente devido a um pior mix de vendas e à abertura de 14 novas lojas. Pelo lado positivo, esta margem foi uma grande melhoria t/t dos decepcionantes 3,7% do último trimestre. As receitas de Aluguel de Frotas aumentaram 10% a/a, impulsionadas pelo crescimento de 6% a/a nos volumes e 4% nas tarifas. A margem EBITDA ajustada expandiu em 170 bps a/a para 67%.
As vendas de Seminovos registraram um forte aumento de 65% a/a para R$ 1,2 bilhão, principalmente devido a um desempenho recorde de volume (28,7 mil veículos, alta de 60% a/a) e preços, em sua maioria, estáveis (em R$ 41 mil/veículos), uma exibição sólida, em nossa opinião, em meio a um mercado automotivo ainda em recuperação. A margem EBITDA (de acordo com o IFRS 16) disparou 310bps a/a para 5% (principalmente em volumes e preços). Despesas de depreciação anual por veículo aumentaram 50% a/a em RAC (para R$ 3,0 mil/veículo, mas estável t/t, como já antecipado na teleconferência do 2T) e caíram 19% em Frota (para R$ 3,2 mil/veículo, com queda acentuada t/t, devido às maiores margens de Seminovos nesta divisão). Ainda, a dívida líquida/EBITDA dos últimos 12 meses (de acordo com o IFRS 16) caiu para 2,3x (de 2,9x no último trimestre). Calculamos que a alavancagem financeira líquida ajustada, incluindo contas a pagar confirmadas e excluindo IFRS 16 é de 3,0x (de 3,7x no último trimestre). Adicionalmente, a empresa também comentou que em outubro iniciou uma importante parceria (já divulgada) com a EDP para a oferta de aluguer de veículos elétricos a clientes pessoa jurídica e pessoa física, inicialmente prevista para 100 veículos.
O setor está apresentando uma recuperação mais rápida do que o esperado da COVID;
Em nossa opinião, o forte conjunto de resultados do LCAM3 mostra que o setor está registrando uma recuperação mais rápida do que o esperado da COVID. No geral, esperamos que o mercado aprecie o desempenho da LCAM no 3T, embora lembremos que o principal driver da ação está relacionado às atualizações na combinação de negócios com a Localiza. Sobre esse tema, esperamos que o negócio passe por um longo período de análise pelo CADE, órgão antitruste do Brasil. Enquanto continuamos Compradores da Unidas, em breve atualizaremos nossos modelos com os resultados reportados recentemente.
BTG Pactual mantém recomendação de compra para Unidas com preço-alvo de R$
Credit Suisse
Na avaliação do Credit Suisse, os resultados comprovam capacidade operacional da Unidas. O banco destacou a potencial fusão com a Localiza, que fortaleceria sua posição no setor, e reforçou a recomendação em outperform (expectativa de crescimento acima do mercado) para as ações da Localiza.
Eleven Financial
Segundo a Eleven, o volume recorde de venda de veículos seminovos impulsionou o resultado do 3T20. Esperamos uma reação positiva do mercado, mas com impacto limitado visto que a avaliação agora deve ser feita em conjunto com a Localiza.
Apesar do forte resultado consolidado, a maior diferença foi no segmento de seminovos em razão do volume recorde de venda de veículos, o que ocasionou uma redução da frota no trimestre e que não deve se repetir nos próximos trimestres dada nossa estimativa de crescimento para o setor.
A Unida confirma a expectativa da Eleven de recuperação na taxa de ocupação e nas tarifas médias diárias no 3T20 das locadoras de veículos.
Em seminovos, a Unidas apresentou um volume recorde no 3T20 com 28.717 veículos vendidos, aproveitando a retomada no mercado de venda de seminovos.
Eleven mantém recomendação de compra para Unidas com preço-alvo de R$ 30,00/ação.
Guide Investimentos
De acordo com Luis Sales, o Impacto é Positivo. A companhia contou com volume recorde de seminovos vendidos, crescimento acelerado da taxa de ocupação em aluguel de carros, além da demanda aquecida e recorde em novas contratações na Gestão de Frotas, comprovando a grande recuperação da empresa nos últimos meses. Seguimos positivos para o papel.

VISÃO TÉCNICA. Um oferecimento de YouTrade. Acesse: www.youtrade.pro.br


Gráficos GRATUITOS na br.advfn.com

Peça uma análise do seu portfolio de investimentos e ações. Clique e fale com o especialista.FaleComEspecialista

Deixe um comentário