Ânima vai realizar oferta restrita de ações capaz de levantar R$ 1,135 bilhão

LinkedIn

A Ânima Educação vai realizar uma oferta primária de ações (follow on) capaz de levantar até R$ 1,135 bilhão, para financiar parte da aquisição dos ativos da americana Laureate no Brasil.

Segundo fato relevante divulgado pela Ânima (BOV:ANIM3), na madrugada desta terça-feira (24), será uma oferta de esforços restritos, isto é, não estará aberta aos investidores em geral.

O valor considera a cotação de fechamento de ontem dos papéis, R$ 31,15, e a colocação da totalidade das ações. A empresa planeja vender inicialmente 27 milhões de ações ordinárias. Caso os ativos sejam integralmente comprados, a Ânima receberá R$ 841,05 milhões. A oferta poderá ser acrescida em até 35%, ou seja, em até 9,45 milhões de unidades, chegando nos R$ 1,135 bilhão.

O preço em que os ativos serão vendidos será anunciado em 3 de dezembro e as novas ações começarão a ser negociadas na B3 em 7 de dezembro.

A operação será coordenada pelos bancos Bradesco BBI, Santander, UBS BB, Itaú BBA e J.P. Morgan.

Laureate

A Ânima Educação levou a melhor na disputa com a Ser Educacional (SEER3) pelos ativos da Laureate no País, um portfólio de faculdades composto por nomes como Anhembi Morumbi e FMU. Ela tem mais de 50 unidades de ensino pelo Brasil e mais de 500 centros de ensino à distância.

A proposta da dona das universidades São Judas e UniBH totaliza R$ 4,4 bilhões, sendo R$ 3,8 bilhões em dinheiro e o restante em dívidas que assumirá. O montante é R$ 500 milhões superior ao que a Ser ofereceu, sendo que parte da proposta previa o repasse de ações.

A Ser, do empresário Janguiê Diniz, quase levou a disputa aos tribunais, alegando que a Laureate feriu os termos do acordo acertado entre as partes.

No fim, porém, ela fechou um acordo para receber, da Ânima, a multa no valor de R$ 180 milhões em dinheiro, relativa ao fim do seu acordo com a Laureate, em vez de receber o direito à propriedade futura das sociedades mantenedoras de duas das instituições de ensino do grupo estrangeiro neste momento.

Lucro líquido de R$ 1,8 milhão

De acordo com o balanço da empresa, o lucro líquido foi R$ 1,8 milhão, revertendo levemente o prejuízo de R$ 2,5 milhões do mesmo trimestre de 2019. O lucro líquido ajustado foi de R$ 20,1 milhões, contra R$ 11,5 milhões no 3T19.

No total acumulado do ano, em 2020 a companhia registra uma perda líquida de R$ 8 milhões, contra um lucro líquido de R$ 18,7 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. No entanto, o lucro líquido ajustado saiu de R$ 40,8 milhões nos primeiros nove meses de 2019 para R$ 77,1 milhões na mesma comparação deste ano, uma alta de 88,8%.

Deixe um comentário