Aumento de casos de Covid-19 pesam sobre o sentimento do investidor mundial

LinkedIn

ÁSIA: Os mercados asiáticos mantiveram cautela registrando um fechamento misto nesta quinta-feira à medida que o otimismo com o possível sucesso das vacinas entrou em conflito com a ansiedade sobre as consequências econômicas devido aumento das infecções por coronavírus, levando países como Estados Unidos e na Europa a reintroduzir medidas de controle.

Na Austrália, o benchmark ASX 200 terminou em alta de 0,25% em 6.547,20 pontos. Os chamados “Quatro Grandes Bancos” fecharam em alta, enquanto as principais mineradoras fecharam sem direção, com o BHP caindo 0,6%, enquanto Fortescue Metals e Rio Tinto avançaram 0,2% e 0,5%, respectivamente. Entre as produtoras de petróleo, Santos subiu 0,5% e Woodside Petroleum fechou estável.

Os empregos no país dispararam, superando as expectativas em outubro, depois que o estado de Victoria diminuiu as restrições ao coronavírus. Dados do Australian Bureau of Statistics mostraram que 178.800 pessoas foram empregados a partir de setembro, bem acima das previsões de menos de 30.000 postos de trabalho, enquanto a taxa de desemprego aumentou ligeiramente de 6,9% para 7%. Em Victoria, 81.600 novas pessoas conseguiram seus empregos.

O Nikkei do Japão caiu 0,36%, enquanto o índice Topix subiu 0,33%. Na Coreia do Sul, o índice Kospi fechou em ligeira alta de 0,07%, em 2.547,42 pontos.

No continente chinês, o composto de Xangai subiu 0,47%, o Shenzhen Composite subiu 0,63% e o Shenzhen Component avançou 0,87%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,71%.

EUROPA: As bolsas europeias caem nesta quinta-feira, com a recuperação estimulada por notícias positivas sobre vacinas começando a rarear em meio a temores de “lockdowns” por conta do aumento de casos de coronavírus.

Os resultados publicados sobre a vacina contra o coronavírus que vem sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford e AstraZeneca publicado no The Lancet na quinta-feira indicaram que ela é segura e desencadeia uma resposta imunológica semelhante entre todos os adultos, porém não conseguiu aumentar o sentimento do mercado no início do pregão.

O pan-europeu Stoxx 600 cai 0,79% no comércio inicial, com ações dos setores de petróleo e gás e de viagens liderando as perdas, uma vez que todos os setores e principais bolsas caíram em território negativo.

O alemão DAX 30 cai 0,84%, o francês CAC 40 recua 0,72%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália caem 0,75% e 0,28%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 opera em baixa de 0,74%. As mineradoras listadas na LSE pesam sobre o benchmark londrino. Anglo American cai 2,1%, Antofagasta recua 2,6%, BHP perde 1,1% e Rio Tinto opera em baixa de 0,9%. Entre as gigantes petrolíferas, BP despenca 3% e Royal Dutch Shell perde 2,3%.

As ações europeias fecharam em alta na quarta-feira, com os investidores avaliando os anúncios positivos de vacinas e a disseminação contínua do vírus. A Pfizer disse na quarta-feira que a análise final mostrou que sua vacina era 95% eficaz e seria submetida à aprovação da Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos dentro de alguns dias.

Algumas autoridades estão se movendo para reintroduzir algumas medidas de permanência em casa, toques de recolher e medidas de segurança pública, incluindo o fechamento de negócios não essenciais em muitas cidades. Há preocupações crescentes de que, se a disseminação da infecção não for contida, bloqueios generalizados possam ser reinstaurados.

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, alertou na quinta-feira que a inflação da área do euro deve permanecer negativa no início de 2021, com novos fechamentos econômicos varrendo o continente. Lagarde também alertou os formuladores de políticas em Bruxelas sobre o potencial dano que seria causado à economia do bloco se eles não implementarem seu plano de estímulo histórico, depois que Hungria e Polônia vetaram o acordo na segunda-feira.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam em baixa nesta quinta-feira,

A sessão de quarta-feira em Wall Street terminou com uma nota amarga. Depois manter-se torno da linha plana durante a maior parte do dia, o Dow Jones Industrial Average virou para queda na hora final do pregão, registrando uma perda de 345 pontos, ou 1,16%. O S&P 500 também caiu 1,16%, enquanto o Nasdaq Composite caiu 0,82%.

A queda nas ações acompanhou notícias mistas sobre a crise do coronavírus. Na manhã de quarta-feira, a Pfizer anunciou que uma análise final mostrou que sua vacina candidata era 95% eficaz contra a Covid-19, no entanto, a cidade de Nova York anunciou durante a tarde que estava fechando escolas devido ao aumento da taxa de casos positivos.

Apesar da briga na quarta-feira, Wall Street ainda registra um novembro forte. O S&P 500 ganha 9,1% no mês até o momento, enquanto o índice de small caps Russell 2000 atingiu um recorde intradiário na quarta-feira.

A manhã de quinta-feira também trará às 10h30 a visão de como a recuperação do mercado de trabalho está se saindo em meio ao aumento dos casos de Covid-19. Economistas consultados pela Dow Jones esperam que a leitura de pedidos iniciais de auxílio-desemprego chegue a 710.000, praticamente estável em comparação com a semana anterior.

No mesmo horário será divulgado o índice de manufatura do Fed de Filadélfia, enquanto que às 12h00 será divulgado as vendas de imóveis existente.

ÍNDICES FUTUROS – 7h10:
Dow: -0,63%
SP500: -0,58%
NASDAQ: -0,60%

COMMODITIES
MinFe Dailan: +2,45%
Brent: -1,01%
WTI: -1,55%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário