Hurst Capital comunica aquisição dos controles das startups Watermelon e Dividendos.Me

LinkedIn

A plataforma de investimentos alternativos Hurst Capital anunciou nesta quarta-feira a aquisição dos controles das startups financeiras Watermelon e Dividendos.Me, ampliando um portfólio que atualmente contempla produtos de tecnologia para originar, estruturar e distribuir ativos como precatórios, recebíveis, imóveis e royalties de música.

“Os dois serviços são complementares aos produtos que oferecemos hoje aos investidores, tornando nosso portfólio mais completo”, afirmou o presidente da Hurst, Arthur Farache, em comunicado. “O objetivo da Hurst é aumentar o poder de distribuição de ativos alternativos.”

A Watermelon é dona do App Renda Fixa, que tem cerca de 150 mil usuários ativos e 500 mil downloads, e tem como proposta ajudar a encontrar a melhor opção de renda fixa entre outras funcionalidades. A Hurst não detalhou os valores da operação, mas disse que 62,5% do valor será pago em dinheiro e o restante em ações de sua emissão.

“O App Renda Fixa e a Hurst possuem inúmeras sinergias e complementariedade nas suas propostas de valor. Embora ambas permanecerão independentes e focadas em seus respectivos nichos, juntas estarão fortalecidas para competir neste mercado de investimentos que está cada dia mais aquecido”, diz Francis Wagner, presidente-executivo do App Renda Fixa.

No caso da Dividendos.Me, que tem ao redor de 66 mil usuários cadastrados e faz o acompanhamento da carteira de ações, centralizando os resultados dos investimentos em diferentes corretoras em um único lugar, a Hurst já comprou uma participação de 49% da operação através de equity deve exercer opção de comprar outros 11% no futuro.

Hurst também comunicou a desistência da compra da Orla DTVM S.A., que estava vinculada ao cumprimento de condições precedentes, o que não ocorreu.

Fundada em 2017, a fintech originou mais de 400 milhões de reais para mais de 3 mil investidores de 10 países. Para 2020, a expectativa é de que a originação cresça em 200 milhões de reais.

“Rádio Pirata”, “Olhar 43”, “A Cruz e a Espada” e “Vida Real”, vinheta do Big Brother Brasil, entre outras composições podem render ganhos de 12,62% ao ano

Em uma parceria exclusiva com o roqueiro Paulo Ricardo, a fintech de investimento em ativos reais Hurst Capital, oferece a oportunidade de investir em recebíveis de royalties musicais das obras do cantor e compositor, considerado ícone do rock nacional. Desta forma, sucessos como “Rádio Pirata”, “Olhar 43”, “A Cruz e a Espada” e “Vida Real”, canção conhecida nacionalmente por integrar a vinheta do reality show Big Brother Brasil, podem gerar rendimentos significativos aos investidores sempre que forem tocadas. Para se ter uma ideia, somente “Olhar 43” registra mais de 20 milhões de plays no Spotify.

Ao todo, o acordo envolve uma carteira composta por 590 obras e fonogramas com uma rentabilidade estimada de 12,62% ao ano no cenário base (líquido de fees e bruto de impostos) com um múltiplo de aproximadamente 1,48x e prazo de 78 meses. Além da popularidade do artista, que possui 276.741 ouvintes mensais no Spotify e da banda RPM com outros 582.781 fãs na plataforma, a Hurst está oferecendo um incentivo inédito para este tipo de operação.

Deixe um comentário