Investidores da Zoom estão olhando para 2021 pós-pandemia, mesmo com o crescimento atual de mais de 300%

LinkedIn

A Zoom (NASDAQ:ZM) está preparada para mostrar outro trimestre forte ao relatar os resultados na segunda-feira (30), com o crescimento das vendas previsto para chegar a 300% pelo segundo período consecutivo. Mas os investidores ultimamente têm olhado para além deste relatório de lucros, bem como o semestre seguinte e adiante. É a segunda metade de 2021 que se torna um desafio para a Zoom, porque a empresa terá então de enfrentar comparações com os períodos de crescimento da pandemia com o aumento do trabalho remoto.

Além disso, uma vacina Covid-19 parece estar no horizonte para 2021. Tanto a Pfizer/BioNTech quanto a Moderna relataram resultados preliminares mostrando que suas respectivas vacinas de Covid-19 foram cerca de 95% eficazes, enquanto a vacina Oxford-AstraZeneca teve uma eficácia média de 70% .

Não está claro o que acontecerá com os negócios da Zoom quando as pessoas começarem a voltar ao escritório, mas as ações da empresa foram vendidas com notícias positivas sobre vacinas.

Em 9 de novembro, depois que a Pfizer disse pela primeira vez que sua vacina candidata apresentava uma taxa de eficácia de 90%, as ações da Zoom despencaram 17% . A ação recuperou algumas dessas perdas, mas ainda está 24% abaixo da alta do mês passado.

É um recuo compreensível, considerando que o Zoom aumentou quase sete vezes este ano.

Milhões de famílias em todo o país tiveram que recorrer ao chat de vídeo para as celebrações do Dia de Ação de Graças na semana passada, seja no Zoom, Google Meet, Microsoft Teams ou FaceTime da Apple. Eles provavelmente farão o mesmo durante as férias.

Para o terceiro trimestre, que terminou em outubro, a Zoom deve mostrar um crescimento de receita de 317%, para US$ 694 milhões, de acordo com analistas ouvidos pela Refinitiv. Isso segue um crescimento de 355% no segundo trimestre fiscal e 169% no período encerrado em abril.

No trimestre atual, que termina em janeiro, o crescimento da Zoom (BOV:Z1OM34) é projetado para ficar em robustos 288%, seguido por 116% no próximo período. Então, as coisas começam a diminuir drasticamente, com base nas estimativas dos analistas.

Ventos contrários

No início deste mês, a empresa de pesquisa Elazar Advisors reduziu sua classificação do Zoom para “Comprar” de “Compra forte”. Chaim Siegel, analista da Elazar, disse que para manter uma “compra forte”, a empresa precisa ver 45% de valorização das ações nos próximos 12 meses.

″[Zoom] impressionou, sem dúvida ”, escreveu Siegel. “Mas haverá ventos contrários perceptivos com a vacina da Pfizer”.

Um porta-voz da Zoom disse que a empresa não comenta questões financeiras durante seu período de silêncio.

A realidade para o Zoom é que é difícil corresponder às expectativas dos investidores depois de uma alta histórica. Mesmo com sua relação preço/vendas sendo reduzida pela metade em relação ao pico no início da pandemia, as ações ainda estão sendo negociadas por 98 vezes a receita e cerca de 42 vezes as vendas no próximo ano fiscal.

Os acionistas ouvirão atentamente os comentários dos executivos da empresa sobre como será o pipeline em potencial quando as pessoas voltarem a trabalhar no escritório. A empresa também enfrenta o aumento da concorrência da Microsoft e do Google, que reforçaram seus produtos de videoconferência nos últimos meses e tornaram-se agressivos nos preços.

Mesmo assim, alguns investidores veem qualquer recuo como uma oportunidade de compra, dada a qualidade dos produtos da Zoom e a probabilidade de que alguma versão do trabalho remoto veio para ficar.

Deixe um comentário