Irani Papel e Embalagem (RANI) 3T20: Lucro líquido de R$ 25,5 milhões

LinkedIn

A Irani Papel e Embalagem registrou lucro líquido de R$ 25,5 milhões no terceiro trimestre deste ano, revertendo prejuízo de R$ 58,8 milhões no terceiro trimestre de 2019. Segundo a empresa, a alta foi puxada pelo aumento da receita líquida e a melhora das margens apresentadas nos segmentos de atuação.

Os resultados da Irani (BOV:RANI3) (BOV:RANI4) referente a suas operações do terceiro trimestre de 2020, foram divulgados no dia 30/10/2020.

Ebtida ajustado – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – foi de R$ 55,6 milhões, alta de 10,4%. A margem Ebitda da companhia foi de 21,3%, queda de 1,8 pontos percentuais. A margem líquida avançou 3,5 pontos percentuais, para 9,8%.

→ A Irani Papel e Embalagem, uma principais indústrias nacionais dos segmentos de papel para embalagem e embalagem de papelão ondulado, tendo presença em 4 estados brasileiros, possui R$ 1,15 bilhão de valor de mercado. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

A receita líquida da companhia subiu 9,4%, para R$ 261,4 milhões, impulsionada pelo aumento no volume de vendas de embalagem de papelão ondulado, no comparativo anual.

O volume de vendas do segmento Embalagem de Papelão Ondulado aumentou 12,7% na comparação com o ano pasado e 30,1% quando comparado ao trimestre anterior, totalizando 43,2 mil toneladas. As despesas com vendas totalizaram R$ 24,5 milhões, um aumento de 12,6% quando comparadas ao mesmo trimestre do ano anterior e 11,1% superior a 2019.

Foi registrado aumento de demanda nos segmentos alimentício e de higiene e limpeza, além do “expressivo aumento do e-commerce”, que necessita das embalagens de papel.

A companhia destaca ainda o aumento dos preços médio, aliados à valorização do dólar e do euro nas vendas para o mercado externo.

No mesmo período, o mercado da Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO) avançou 10,2%, para 1,03 bilhão de toneladas.

O lucro bruto avançou 6,9% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período de 2019, para R$ 77,8 milhões.

O resultado financeiro indicou prejuízo de R$ 11,3 milhões, queda de 87,3% ante os R$ 89,3 milhões negativos registrados no terceiro trimestre de 2019. Já o lucro antes do resultado financeiro ficou R$ 43,6 milhões, 59,6% abaixo do registrado no ano passado.

O custo dos produtos vendidos aumentou 10,5% no comparativo anual, para R$ 183,5 milhões. As despesas operacionais somaram R$ 34,2 milhões, recuo de 3,1% ante os R$ 35,3 milhões registrados entre junho e setembro de 2019.

A dívida líquida da Irani Papel e Embalagem recuou 61,2% e ficou em R$ 263 milhões, no terceiro trimestre, o que representa dívida líquida sobre Ebitda de 1,1 vez. No segundo trimestre deste ano, o indicador dívida líquida/Ebitda era de 2,94 vezes.

Teleconferência

De acordo com Sérgio Ribas, presidente da Irani, estão sendo reavaliados, dois projetos de expansão da fábrica de papel e uma nova linha de embalagens em Minas Gerais, quando a taxa de retorno se mostrar mais atrativa.

“Tínhamos no portfólio o projeto em Minas Gerais, mas ainda em fase embrionária e com retorno relativamente baixo. Estamos revisitando esse projeto”, afirmou, em webinar para comentar o balanço do terceiro trimestre.

De acordo com o Cargnin, diretor de Administração, Finanças e Relações com Investidores da companhia, a migração da Irani para o Novo Mercado da B3 está dentro do cronograma e a expectativa é a de que a listagem, com a conversão de ações preferenciais em ordinárias na proporção de um para um, ocorra ainda em novembro. “Estamos na antessala de conclusão desse processo”, disse.

Sérgio Ribas, diz que o mercado de papelão ondulado tem mostrado extremo vigor. “Já estamos registrando pedidos para fevereiro” contou.

“Devemos ter elevação expressiva das margens”, disse.

VISÃO DO MERCADO

BTG Pactual

O BTG Pactual (BPAC11), em seu relatório recente sobre a empresa, chamou o balanço de “um conjunto decente de resultados”. A Irani está “pronta para embarcar em uma fase de crescimento agressiva”, diz o BTG.

Esta é uma história com valor atraente (~6x EBITDA 2020), alto crescimento, beta baixo e orientação doméstica (não deve ser vista como uma história de commodity cíclica)”, explica o banco.

“Acreditamos que esta será uma tese de investimento de redução do risco gradual, que dependerá da entrega da gestão”, segue.

“Atualmente, acreditamos que os investidores recebem crédito zero para crescimento futuro, e as ações têm grandes descontos”, diz.

A empresa aumentou os volumes em sua unidade de conversão em 30% na comparação trimestral. É um reflexo da expansão dos mercados de papelão ondulado no Brasil.

O BTG entende que o resultado foi impulsionado pelo segmento de bens essenciais resiliente, vendas crescentes de comércio eletrônico e recuperação da indústria de bens duráveis.

BTG Pactual recomenda a compra para Irani, com preço-alvo de R$ 4,47.

Credit Suisse

O Credit Suisse afirmou que o lucro Ebitda está em linha com sua expectativa, e que 80% de seu volume é vendido a setores mais protegidos de ciclos de negócios. Seus preços movem-se em linha com a inflação, e a empresa mantém projetos focados em crescimento e redução de custo nos próximos anos. Por isso, o banco mantém a avaliação em outperform, com preço-alvo de R$ 6,50, frente os R$ 4,47 atuais.

Eleven Financial

O resultado da Irani do 3T20 foi em linha com nossas expectativas no desempenho operacional, puxado pelo aumento das vendas de papel ondulado e depreciação cambial.

A Irani mostrou um resultado bastante positivo, demonstrando capacidade para acompanhar o crescimento do mercado de embalagem no mercado interno.

Outro ponto positivo do resultado trimestral foi a redução de alavancagem. O endividamento bruto caiu para R$ 640 milhões, comparado a R$ 786,9 milhões no 2T20, enquanto o saldo de caixa subiu para R$ 377,4 milhões.

Com a alavancagem reduzida e entrada dos recursos da oferta, esperamos que nos próximos trimestres a Irani siga com seus projetos de expansão e investimento em nova caldeira para aumentar a geração própria de energia da companhia que, por sua vez, devem contribuir para o aumento da rentabilidade, somados, esses investimentos estão estimados em R$ 743 milhões para os próximos 3 anos, mas acreditamos que a companhia encontra-ser com uma estrutura de capital bastante confortável para realizá-los.

Para a Eleven, o fato dos produtos da companhia serem destinados majoritariamente para o setor de alimentos traz uma maior resiliência da receita da companhia num cenário de desaceleração e/ou recessão econômica, além de acreditar que a ação esta descontada em relação as demais companhias do setor.

A Eleven mantém recomendação de compra, com preço-alvo de R$ 8,00…

XP Investimentos

A Irani reportou resultado operacional um pouco mais fraco do que o esperado no 3T, com EBITDA de R$55,6 milhões, -5% abaixo do nosso (estável na comparação trimestral, +18% A/A). O principal motivo para o resultado abaixo do nosso foi a alta no preço das aparas (+11% T/T) devido à recuperação da demanda associada a um cenário ainda desafiador para os fornecedores de papel reciclado. O destaque positivo foi o volume de papelão ondulado de 43 mil toneladas (+30% T/T, +13% A/A), acima da ABPO (+22% T/T), sinalizando recuperação em mais setores da economia. Esperamos uma reação neutra e mantemos nossa recomendação de Compra (preço-alvo de R$8,5/ação).

Deixe um comentário