Mercados tentam recuperação mesmo com aumento de casos de Covid

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta segunda-feira, enquanto os investidores continuavam atentos ao desenvolvimento do coronavírus.

A Coreia do Sul deve impor regras de distanciamento mais rígidas para a área da grande Seul e região sudoeste, em uma tentativa de conter o ressurgimento do coronavírus, de acordo com a agência Yonhap. Enquanto isso, os Estados Unidos relataram recentemente quase 200.000 novos casos do vírus menos de uma semana antes do Dia de Ação de Graças.

O Kospi da Coreia do Sul liderou os ganhos entre os principais mercados da região subindo 1,92%, com as ações da Samsung Electronics avançando 4,33%.

Na China Continental, o composto de Xangai subiu 1,09%, enquanto o Shenzhen Component subiu 0,74%. O índice Hang Seng de Hong Kong avançou 0,13%.

O S & P / ASX 200 na Austrália subiu 0,34%, fechando em 6.561,60 pontos. Entre as mineradoras, BHP sobe 2,6%, Fortescue Metals avança 3,4% e Rio Tinto fechou em alta de 1,3%. Entre as empresas exploratoras de petróleo, Santos subiu 3,2% e Woodside Petroleum subiu 1,5%.

O índice MSCI para Ásia-Pacífico exceto Japão subiu 0,75%.

Os mercados japoneses permaneceram fechados na segunda-feira por conta de um feriado.

Com relação aos dados econômicos, a economia de Cingapura contraiu 5,8% no terceiro trimestre. De acordo com o Ministério do Comércio e Indústria do país, espera-se que economia contraia entre 6% e 6,5% em 2020 em comparação com um ano atrás e retomar o crescimento em 2021.

EUROPA: As bolsas europeias avançam nesta manhã de segunda-feira, na esperança de que a chegada das vacinas já no próximo mês comece a reverter os efeitos econômicos da segunda onda de coronavírus.

Há esperanças de que várias vacinas contra o coronavírus, consideradas altamente eficazes em testes clínicos em estágio final, possam começar a ser lançadas nos Estados Unidos em dezembro. A Pfizer e a BioNTech disseram na sexta-feira que solicitaram autorização de uso emergencial para a Food and Drug Administration dos EUA.

A gigante farmacêutica britânica AstraZeneca disse nesta segunda-feira que uma análise de testes clínicos mostrou que sua vacina contra o coronavírus tem uma eficácia entre 62% e 90% contra o vírus, de acordo com a quantidade de doses aplicadas. A vacina apresenta uma eficácia muito menor que a de quase 95% anunciada para as vacinas desenvolvidas pelos laboratórios Pfizer/BioNTech e Moderna, mas a vacina da AstraZeneca utiliza uma tecnologia mais tradicional que a dos concorrentes, o que torna menos cara e não precisa ser armazenada a uma temperatura muito baixa, sendo assim mais fácil de armazenar. O laboratório afirma no comunicado que sua vacina é “altamente eficaz” para prevenir a doença e destaca que durante os testes nenhum voluntário desenvolveu formas graves do novo coronavírus, nem precisou de hospitalização.

O Stoxx Europe 600 sobe 0,65%, liderado por ações dos setores de viagens e produção de petróleo, como International Airlines Group e Repsol.

O alemão DAX 30 sobe 0,80%, o francês CAC 40 avança 0,65%, o IBEX 35 da Espanha sobe 0,95%, enquanto o FTSE MIB da Itália cai 0,12%.

Em Londres, o FTSE 100 sobe 0,27%. Entre as mineradoras, Anglo American sobe 1,5%, Antofasta adiciona 0,4%, enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto sobem 2,1% e 1,6%, respectivamente. Entre as produtoras de petróleo, BP sobe 2,8% e Royal Dutch Shell sobe 3,2%.

O PMI composto da IHS Markit para a zona do euro, que analisa a atividade nos setores de manufatura e serviços, ficou em 45,1 em novembro, a menor leitura em seis meses. A atividade empresarial francesa caiu em novembro devido ao segundo bloqueio. A leitura do PMI composto francês ficou em 39,9, abaixo dos 47,5 em outubro, com a marca de 50 separando a expansão da contração. A leitura do PMI composto da Alemanha foi de 52,0, abaixo dos 55,0 de outubro.

Os investidores também estão de olho nas negociações comerciais entre o Reino Unido e a União Europeia. O Parlamento Europeu está se preparando para uma sessão plenária extra entre o Natal e a véspera de Ano Novo para dar consentimento a um possível acordo comercial pós-Brexit.

Em relação ao coronavírus, países da Europa Central, incluindo Áustria, República Tcheca e Polônia, tem o maior número per capita de novos casos.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA sobem nas negociações da manhã de segunda-feira, mesmo com os casos da Covid-19 aumentando nos EUA e no exterior.

Todos os três principais índices americanos encerraram a sessão de sexta-feira em baixa. O Dow caiu 0,75%, o S&P 500 recuou 0,68% e o Nasdaq Composite fechou em baixa de 0,42%.

O Dow e o S&P 500 também registraram prejuízo na semana, caindo 0,73% e 0,77%, respectivamente, a primeira semana negativa em três. O Nasdaq Composite conseguiu obter um ganho de 0,22% na semana, marcando sua segunda semana consecutiva de ganhos.

O movimento de queda veio enquanto os casos da Covid-19 continuavam a aumentar, com os EUA relatando um pico recorde de mais de 195.500 novos casos na sexta-feira. Autoridades de saúde pública alertaram que as comemorações do Dia de Ação de Graças na quinta-feira podem agravar ainda mais o surto. O salto nos números de sexta-feira traz a média de sete dias de novos casos para mais de 167.600, um aumento de quase 20% em comparação com uma semana atrás, de acordo com os dados compilados pela Universidade Johns Hopkins. A média de sete dias de novos casos aumentou pelo menos 5% semana após semana em 43 estados e no Distrito de Columbia, mostram os dados de Hopkins.

As internações nos EUA para o COVID-19 bateram o recorde pelo 29º dia consecutivo no domingo, de acordo com o projeto de rastreamento COVID.

O pico de coronavírus levou a restrições em alguns Estados. Na quinta-feira, o governador da Califórnia, Gavin Newsom, instituiu uma “ordem limitada de permanência em casa” para a maioria dos residentes do Estado, exigindo que o trabalho não essencial e as reuniões cessassem entre 22h e 5h. A mudança ocorreu após a decisão do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, de fechar o maior sistema escolar do país em meio a um salto no número de casos.

Essas medidas “provavelmente produzirão um crescimento negativo” no primeiro trimestre, disseram economistas do JPMorgan na sexta-feira. O banco rebaixou sua perspectiva do PIB do primeiro trimestre para uma contração de 1%, a primeira em Wall Street a prever um PIB negativo para o primeiro trimestre de 2021.

Um desacordo entre o Departamento do Tesouro e o Federal Reserve sobre a continuidade do financiamento para alguns dos programas de emergência instituídos em meio ao surto de Covid-19 também pesou nos mercados na semana passada.

No sábado, a Food and Drug Administration concedeu uma autorização de uso emergencial para o tratamento com anticorpos Covid-19 da Regeneron, a terapia experimental dada ao presidente Donald Trump. Enquanto isso, na sexta-feira, a Pfizer e a BioNTech solicitaram uma autorização de uso emergencial do FDA para sua vacina contra o coronavírus, que tem uma taxa de eficácia de 95%.

Na agenda econômica, o PMI flash de manufatura e serviços serão divulgados às 11h45.

ÍNDICES FUTUROS – 7h20:
Dow: +0,73%
SP500: +0,64%
NASDAQ: +0,41%

COMMODITIES
MinFe Dailan: -1,20%
Brent: +1,58%
WTI: +1,44%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário