Jalles Machado solicita pedido de IPO

LinkedIn

Maior produtora e exportadora de açúcar orgânico do país e criada por uma família ativa politicamente no Estado de Goiás, a Jalles Machado, protocolou pedido de oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

O pedido foi protocolado na CVM nesta quarta-feira (2). Conforme o prospecto preliminar, a companhia irá realizar oferta primária e secundária de ações e será coordenada por XP, BTG, Santander e Citi.

Os principais acionista vendedores são Vera Cruz Agropecuária, Gissara Agropecuária, Rural Agropastoril, Planagri, CL Morais.

De acordo com a companhia, os recursos líquidos captados na oferta primária serão destinados para investimento no aumento da produção de cana-de-açúcar, para fins de matéria-prima, e investimentos nas duas plantas industriais já existentes, visando aumentar a capacidade de processamento deste mesmo volume de cana-de-açúcar.

Além disso, a Jalles Machado pretende investir em uma terceira unidade industrial e em seu canavial.

Sobre a Jalles Machado

Criada para produção de combustível de cana, a Jalles Machado começou a produzir também açúcar cristal na década de 1990, dona da marca Itajá, e logo depois agregou cogeração de energia a partir do bagaço da cana. Atualmente é a segunda maior produtora do mundo de açúcar orgânico, com produção basicamente destinada à exportação, especialmente para o mercado americano.

Também produz açúcar branco e VHP, saneantes e levedura seca, etanol anidro, hidratado e orgânico, além de vender energia. A Jalles Machado opera duas plantas industriais com capacidade total de moagem de 5,2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

No campo político, a família dona do grupo empresarial também tem histórico longo. O fundador da companhia, Otávio Lage de Siqueira, foi governador de Goiás e prefeito de Goianésia – a data de seu falecimento é feriado municipal na cidade, sede do grupo empresarial.

A receita líquida no período de seis meses encerrados em 30 de setembro de 2020 foi de 500,5 milhões, o que representou aumento 23,8% na comparação com mesmo período de 2019.

O lucro líquido no período de seis meses encerrados em 30 de setembro de 2020 foi de R$48,7 milhões, crescimento de 173,0%.

No prospecto, a Jalles Machado destacou os principais riscos que podem afetar a empresa. A Companhia pode ser afetada de forma adversa pela sazonalidade e pelas variações climáticas.

Recursos financeiros podem não estar sempre disponíveis ou não serem suficientes para atender às futuras
necessidades de capital da empresa.

Além disso, a Jalles Machado pode não ser capazes de cumprir com os índices financeiros ou outras obrigações previstas nos nossos contratos de dívida.

Deixe um comentário