Taurus avança em megalicitação para o Exército das Filipinas

LinkedIn

Taurus Armas informou que o seu fuzil T4 foi provado nos testes qualificatórios de resistência, avançando assim mais uma etapa na licitação internacional internacional de 12.412 fuzis calibre 5.56 para o Exército das Filipinas.

O comunicado foi feito pela fabricante de armas (BOV:TASA3) (BOV:TASA4) nesta segunda-feira (07).

De acordo com o documento, a fase é considerada uma das mais importantes e difíceis do processo licitatório, em razão dos rígidos testes que são aplicados.

“A aprovação do fuzil nessa fase demonstra a qualidade e a confiabilidade que o armamento vem obtendo junto às Forças Armadas no mundo todo”, afirmou a empresa.

A decisão final deverá ocorrer ainda em 2020, com previsão de entrega de todo o lote durante o primeiro semestre de 2021.

Semana passada, Taurus Armas formalizou com o Município de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, um Protocolo de Intenções, estabelecendo termos e compromissos para viabilizar a expansão industrial com a construção de moderno complexo industrial de 12 mil m².

Especial ADVFN – Os investidores estão olhando a Taurus como deveriam? Confira a entrevista exclusiva com o presidente da Taurus Armas

Lucro líquido no 3T20 dispara R$ 102 milhões

A fabricante de armas de fogo Taurus registrou lucro líquido de R$ 102,2 milhões no terceiro trimestre deste ano, revertendo um prejuízo líquido de R$ 26,4 milhões registrado no mesmo trimestre do ano passado. Segundo a empresa, a forte demanda do mercado doméstico e norte-americano, somada à queda das despesas financeiras líquidas, impulsionou o bom desempenho.

As eleições presidenciais norte-americanas impulsionaram os resultados recordes da fabricante de armas Taurus no terceiro trimestre, afirma Salesio Nuhs, diretor-presidente da companhia.

O executivo afirma que, historicamente, os anos que precedem as trocas de governo nos Estados Unidos são marcados por um aumento na busca de armas. De acordo com a divulgação de resultados da companhia, os meses que precederam as vitórias de Barack Obama à presidência do país também registraram alta nas vendas. “Diante de qualquer ameaça aos seus direitos, o norte-americano busca mais armas, faz parte da cultura americana”.

De acordo com Nuhs, a vitória de Joe Biden não deve impactar a venda de armas nos próximos trimestres. Ele ressalta que o direito às armas é garantido pela Constituição dos Estados Unidos, e que a troca de governos pode implicar apenas em novas regras para facilitar ou dificultar a aquisição de armamentos. A Taurus indica que 24 milhões de americanos devem adquirir sua primeira arma nos próximos anos, o que amplia as perspectivas de crescimento da companhia.

 

Deixe um comentário