Confira os Indicadores Econômicos desta quarta-feira (13/01/2021)

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos desta quarta-feira (13/01/2021), em destaque  governo dos Estados Unidos registrou em dezembro déficit orçamentário de US$ 144 bilhões, um recorde para o mês.

Brasil

Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, se manteve estável em 0,79% na primeira quadrissemana de janeiro, segundo dados publicados nesta quarta-feira (13) pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

A variação na mesma escala foi registrada em dezembro de 2020, última marcação do indicador.

Na quadrissemana mais recente, quatro componentes apresentaram aceleração dos preços: Habitação (de avanço de 0,33% em todo o mês de dezembro para uma alta de 0,51%); Saúde (de 0,33% para 0,56% na mesma comparação); Vestuário (de 0,26% para 0,47%); e Educação (de 0,00% para 0,67%).

setor de serviços avançou 2,6% na passagem de outubro para novembro, o sexto mês consecutivo de alta. Apesar do ganho acumulado de 19,2% nesse período, o resultado ainda é insuficiente para compensar as perdas entre os meses de fevereiro e maio do setor, que ainda se encontra 3,2% abaixo do patamar de fevereiro.

Na comparação com novembro de 2019, o total do volume de serviços recuou 4,8%, marcando a nona taxa negativa seguida neste índice. Esses são alguns dos resultados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada hoje (13), pelo IBGE.

Depois de encerrar dezembro de 2020 com saídas líquidas de US$ 8,353 bilhões, o Brasil registrou fluxo cambial positivo de US$ 1,309 bilhão em janeiro de 2021 até o dia 8, informou nesta quarta-feira, 13, o Banco Central. O período corresponde à primeira semana útil do ano.

O canal financeiro apresentou entradas líquidas de US$ 1,256 bilhão no período. Isso é resultado de aportes no valor de US$ 12,077 bilhões e de retiradas no total de US$ 10,821 bilhões. O segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

Europa

A produção industrial da zona do euro subiu 2,5% em novembro ante outubro, segundo dados publicados nesta quarta-feira pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat.

O resultado veio acima da expectativa de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam alta de 0,3% na produção. Na comparação anual, a indústria do bloco reduziu a produção em 0,6% em novembro. Neste caso, a projeção do mercado era de queda bem maior, de 3,4%.

As ações europeias fecharam ligeiramente em alta nesta quarta-feira, com os investidores monitorando o lançamento de vacinas e medidas de contenção do coronavírus.

Os mercados europeus estão acompanhando os desenvolvimentos do coronavírus na região, com os governos procurando acelerar, ou manter um bom impulso, em seus esforços de vacinação contra o coronavírus.

Estados Unidos

Os preços ao consumidor nos Estados Unidos aumentaram em dezembro, com as famílias pagando mais pela gasolina, embora a inflação subjacente permanecesse fraca enquanto a economia lutava contra a pandemia de COVID-19, que afetou o mercado de trabalho e a indústria de serviços.

O Departamento do Trabalho disse nesta quarta-feira que o índice de preços ao consumidor aumentou 0,4% no mês passado, após ganhar 0,2% em novembro

Os estoques de petróleo dos EUA caíram 3,248 milhões de barris na semana até 8 de janeiro, para 482,2 milhões de barris, superando as expectativas dos analistas em uma pesquisa da Reuters de uma queda de 2,3 milhões de barris, à medida que as refinarias aumentaram as tiragens de petróleo, disse o Energy Information Administration.

“O forte movimento de alta na atividade de refino resultou no quinto empate consecutivo nos estoques de petróleo, empurrando-os para o menor nível desde março passado”, disse Matt Smith, diretor de pesquisa de commodities da ClipperData.

O governo dos Estados Unidos registrou em dezembro déficit orçamentário de US$ 144 bilhões, um recorde para o mês, devido a altas despesa com auxílio ao coronavírus e seguro-desemprego, enquanto as receitas aumentaram ligeiramente, disse o Departamento do Tesouro nesta quarta-feira.

O Tesouro informou que o déficit de dezembro se compara a um déficit de US$ 13 bilhões em dezembro de 2019, antes do início da pandemia de COVID-19 nos Estados Unidos.

Em relação as receitas no mês, aumentaram 3% em relação ao ano anterior, para US$ 346 bilhões, enquanto as despesas subiram 40%, para US$ 490 bilhões.

atividade econômica dos Estados Unidos aumentou modestamente nas últimas semanas e um número crescente de distritos do Federal Reserve viu uma queda no emprego, à medida que um aumento nas infecções por coronavírus levou a mais fechamentos, disse o banco central dos EUA nesta quarta-feira.

No último relatório “Livro Bege” do Federal Reserve, uma coleção de relatos de empresas de todo o país, as autoridades do Fed revelaram como a marca da pandemia varia por região e indústria, à medida que o aumento das infecções amortece o otimismo prometido pela chegada de vacinas eficazes contra o coronavírus.

Deixe um comentário