Em dia calmo, os investidores globais aguardam novos estímulos

LinkedIn

ÁSIA: As principais bolsas asiáticas registraram um fechamento misto nesta terça-feira, sem fatos relevantes na região.

O Shanghai Composite subiu 2,18% em 3608,34 pontos, enquanto o componente de Shenzhen subiu 2,28%, liderando os ganhos regionais. Os ganhos de terça-feira colocaram o composto de Xangai acima do nível de 3.600 pontos pela primeira vez desde dezembro de 2015.

O índice Hang Seng de Hong Kong avançou 1,32%.

O Kospi da Coreia do Sul caiu 0,71%.

No Japão, o Nikkei encerrou seu dia de negociação em ligeira alta de 0,09%, enquanto o índice Topix avançou 0,16%.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 caiu 0,27% para 6.679,10 pontos. Entre as mineradoras, BHP caiu 1% e Rio Tinto recuou 0,6%. Entre as produtoras de petróleo, Santos avançou 0,6% e Woodside Petroleum caiu 0,8%.

Entre os desenvolvimentos relacionados ao coronavírus, o rei da Malásia declarou na terça-feira o estado de emergência no país, depois que o primeiro-ministro da Malásia, Muhyiddin Yassin, anunciou na segunda-feira que o país aumentaria as restrições contra o Covid-19 a partir de quarta-feira, com vários estados sob bloqueio. O índice FTSE Bursa Malaysia KLCI caiu 0,58%.

O índice da MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão avançou 0,26%.

EUROPA: As bolsas europeias operam entre altas e baixas nesta terça-feira de manhã, enquanto os investidores continuam focados nos últimos desenvolvimentos do coronavírus e na expectativa de que o estímulo fiscal maciço está chegando nos EUA.

O índice pan-europeu Stoxx 600 cai 0,05% com o setor de viagem e lazer liderando os ganhos. O alemão DAX 30 sobe 0,08%, o francês CAC 40 adiciona 0,02%, o IBEX 35 da Espanha sobe 0,38, enquanto o FTSE MIB da Itália recua 0,38%.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,30%. Entre as mineradoras, Anglo American sobe 0,1%, Antofagasta avança 1,1% enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto caem 0,3% e 1,3%, respectivamente.

O aumento das infecções na Europa está dominando as preocupações dos investidores, embora haja esperança em meio a um lançamento em massa de vacinas em todo o continente.

Na segunda-feira, o diretor médico da Inglaterra disse que o momento mais perigoso da pandemia estava “imediatamente à frente”. O Reino Unido registrou mais de 46.000 novas infecções por coronavírus na segunda-feira.

A União Europeia está correndo para conter a disseminação da nova variante mais contagiosa do vírus identificado no Reino Unido, com o primeiro-ministro francês dizendo aos legisladores que um terceiro bloqueio na França não poderia ser descartado, de acordo com relatos.

A Pfizer e BioNTech disseram que sua vacina para COVID-19 neutraliza a mutação encontrada no Reino Unido e na África do Sul.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA negociam em ligeira alta na manhã de terça-feira, depois de quebrar uma sequência de altas, com os investidores preocupados com as recentes valorizações das ações.

Na segunda-feira, analistas disseram que os investidores avaliavam as valorizações das ações em meio às recentes altas recordes, aparentemente desconsiderando o cenário de Covid-19 e a turbulência política. O Dow Jones Industrial Average perdeu quase 90 pontos ou 0,29% de queda, puxado para baixo por uma baixa de 2,3% nas ações da Apple. O S&P 500 caiu 0,66% enquanto o Nasdaq Composite caiu 1,25%, com as ações do Facebook, Amazon, Netflix e Alphabet, dona do Google, fechando em baixa.

Tesla fechou em queda de 7,8% no seu primeiro dia negativo em 12 e o pior dia desde 23 de setembro.

As ações estão saindo de uma semana de fortes ganhos, que trouxe os três principais índices à altas recordes, ignorando os distúrbios no Capitólio dos EUA que levaram os democratas da Câmara a apresentar um projeto de impeachment na segunda-feira contra o presidente Donald Trump por incitar o ataque. A legislativo planeja votar o projeto ainda esta semana.

Com a posse do presidente eleito Joe Biden a apenas uma semana de distância, todos estão ansiosamente na expectativa de uma nova rodada de estímulos fiscais para ajudar a equilibrar os efeitos econômicos do COVID-19. Na semana passada, o presidente eleito Joe Biden prometeu um lançamento de estímulo econômico, que ele disse ser “na casa dos trilhões de dólares”. Os Treasuries dos EUA reagiram, com os títulos de 10 anos subindo 1,159% para seu nível mais alto desde o início da pandemia COVID-19.

Na agenda econômica está meio que vazia. Às 12h00, o programa Job Openings and Labor Turnover Survey (JOLTS) do Bureau of Labros Statistics dos EUA divulga os números de vagas de trabalho.

ÍNDICES FUTUROS – 7h55:
Dow: +0,29%
SP500: +0,32%
NASDAQ: +0,37%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +0,14%
Brent: +1,62%
WTI: +1,55%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário