Petrobras vende parte da Eólica Mangue Seco 1 por R$ 42,5 mi

LinkedIn

A Petrobras assinou com a V2I Transmissão de Energia Elétrica, tendo como gestora a Vinci Infraestrutura Gestora de Recursos, contrato para a venda da totalidade de sua participação de 49% na sociedade Eólica Mangue Seco 1, dona de parque de geração de energia eólica.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:PETR3) (BOV:PETR4)  nesta quinta-feira (07). Confira o comunicado na íntegra.

O valor da venda é de R$ 42,5 milhões, segundo comunicado da Petrobras ao mercado.

Esse montante, lembra a companhia, será pago em uma única parcela no fechamento da transação.

“O fechamento da transação está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, como a aprovação pelo Banco do Nordeste do Brasil, financiador do desenvolvimento do parque eólico, e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade)”, afirma a Petrobras.

“O processo de desinvestimento da Eólica Mangue Seco 2–Geradora e Comercializadora de Energia Elétrica continua em andamento, na fase vinculante para venda de 51%,totalidade da participação acionária da Petrobras na empresa”, acrescenta.

Sobre a Eólica Mangue Seco 1

A Eólica Mangue Seco 1 faz parte de um complexo de quatro parques eólicos (Mangue Seco 1, Mangue Seco 2, Mangue Seco 3 e Mangue Seco 4), localizado em Guamaré, no estado do Rio Grande do Norte.

Tem capacidade instalada total de 104 MW.

A Eólica Mangue Seco 1 detém e opera um parque eólico com capacidade de 26 MW.

Vinci Infraestrutura Gestora de Recursos

A Vinci é a uma sociedade limitada responsável pela gestão de fundos de infraestrutura do Grupo Vinci Partners, assim compreendido como a Vinci Infraestrutura Gestora de Recursos e suas controladas.

Possui atualmente mais de R$47 bilhões sob gestão, lembra a Pet robras.

O Grupo Vinci foi fundado em 2009, possuindo 226colaboradores, dentre os quais 33 sócios, divididos em escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Nova York.

Prejuízo de R$ 1,5 bilhão; lucro líquido de R$ 3,2 bilhões excluindo itens não recorrentes, os resultados 3T20

Petrobras registrou o terceiro resultado negativo seguido, com prejuízo de R$ 1,55 bilhão no terceiro trimestre deste ano, revertendo lucro de R$ 9,09 bilhões apurado no mesmo intervalo do ano anterior. Excluindo itens não recorrentes, a empresa garantiu que poderia ter registrado lucro líquido de R$ 3,2 bilhões.

A empresa destacou que a aprovação da adesão aos programas de anistia tributária e o prêmio pago na recompra de títulos afetaram negativamente os resultados.

Deixe um comentário