Vale comunica condenação de ex-sócio por corrupção

LinkedIn

A Vale enviou um comunicado para destacar a condenação de um ex-sócio por corrupção.

O comunicado foi feito pela mineradora (BOV:VALE3) neste domingo (24). Confira o documento na íntegra.

“Em razão da recente atenção pública sobre a antiga joint venture da Vale na região de Simandou, na República da Guiné, a Vale informa que o judiciário suíço condenou Beny Steinmetz por acusações criminais de práticas de corrupção e falsificação relacionadas com a sua empresa BSG Resources Limited (BSGR), que adquiriu direitos minerários de expressivo valor em Simandou”, afirmou no comunicado a mineradora.

Beny Steinmetz foi sócio da Vale em uma antiga joint venture na República da Guiné. A sociedade foi desfeita depois de descobertos crimes de corrupção para garantir a exploração no país africano.

O tribunal condenou Steinmetz a 5 anos de prisão e lhe impôs uma multa de 50 milhões de francos suíços.

A decisão do tribunal suíço de responsabilizar pessoalmente Steinmetz pelos seus atos de corrupção segue em linha com a sentença do Tribunal Arbitral Internacional de Londres de abril de 2019, que considerou que a BSGR incorreu em fraudes contra a Vale ao ocultar da empresa as práticas de suborno e corrupção da BSGR, a fim de assegurar o investimento da Vale em Simandou.

“O tribunal condenou a BSGR a pagar à Vale o valor de 2 bilhões de dólares em indenizações. Esta decisão foi posteriormente confirmada por cortes judiciais dos Estados Unidos e da Inglaterra, tendo este último descrito o recurso da BSGR como “infrutífero”, destacou a mineradora.

A Vale informou que continua em busca de receber os valores da BSGR e pessoalmente de Steinmetz, inclusive por meio de ações no Tribunal Superior da Inglaterra, que determinou uma ordem de congelamento mundial dos bens de Steinmetz, da sua fundação e de outros réus.

“A Vale tem confiança de que as autoridades brasileiras também não serão enganadas pelas contínuas tentativas de Steinmetz de inverter responsabilidades e desviar a atenção de seus atos corruptos”, destacou a mineradora.

Deixe um comentário