Confira os Indicadores Econômicos desta quarta-feira (17/02/2021)

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos desta quarta-feira (17/02/2021), em destaque a ata da reunião do FOMC, integrantes do Federal Reserve enxergam a economia do país ainda longe do nível que precisa atingir.

Brasil

Os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2021. O Relatório de Mercado Focus trouxe nesta quarta-feira, que a mediana das previsões para a Selic neste ano foi de 3,50% para 3,75% ao ano, há um mês, estava em 3,25%.

Os economistas alteraram a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – o indicador oficial de preços – em 2021. O Relatório mostra que a mediana para o IPCA este ano foi de alta de 3,60% para 3,62%, há um mês, estava em 3,43%.

Os economistas alteraram também a projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2021. Conforme o Relatório de hoje a expectativa para a economia este ano passou de alta de 3,47% para elevação de 3,43%. Há quatro semanas, a estimativa era de 3,45%.

balança comercial brasileira registrou déficit de US$ 413,8 milhões na segunda semana de fevereiro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério da Economia. No acumulado das duas primeiras semanas de fevereiro a balança registra déficit de US$ 722,4 milhões.

O superávit é registrado quando as exportações superam as importações. Quando ocorre o contrário, é registrado déficit comercial.

Estados Unidos

As vendas no varejo dos EUA se recuperaram acentuadamente em janeiro, depois que as famílias receberam dinheiro adicional para alívio da pandemia do governo, sugerindo uma retomada da atividade econômica após ser contida por uma nova onda de infecções por COVID-19 no final do ano passado.

As vendas no varejo aumentaram em um ajuste sazonal de 5,3% no mês passado, disse o Departamento de Comércio nesta quarta-feira. Os dados de dezembro foram revisados ​​para baixo para mostrar que as vendas caíram 1,0% em vez de 0,7% conforme publicado anteriormente. Economistas consultados pela Reuters previam aumento de 1,1% nas vendas no varejo em janeiro.

O Índice de Preços do Produtor (PPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos aumentou 1,3% em janeiro, superando o mês anterior, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta quarta-feira, pelo Departamento do Trabalho americano. O resultado veio bem acima da expectativa de alta de 0,4% de economistas ouvidos pelo “Wall Street Journal”. Em comparação com janeiro de 2020, o PPI americano subiu 1,7%.

A produção industrial nos Estados Unidos subiu 0,9% em janeiro ante dezembro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). O resultado veio acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam avanço de 0,5% no período. A utilização da capacidade da indústria subiu 1,1 ponto porcentual no mês passado, para 75,6%, acima do esperado, que era 74,8%.

índice de confiança das construtoras nos Estados Unidos subiu de 83 em janeiro a 84 em fevereiro, segundo dados da Associação Nacional de Construtoras de Moradias (NAHB, na sigla em inglês). Uma leitura acima de 50 indica que mais construtoras veem as condições como boas do que aqueles que as interpretam como ruins, na pesquisa.

Os estoques das empresas nos Estados Unidos aumentaram solidamente em dezembro, com os estoques nos varejistas maiores do que o inicialmente estimado.

Os estoques das empresas aumentaram 0,6% em dezembro, após ganho de 0,5% em novembro, disse o Departamento de Comércio nesta quarta-feira. Os estoques são um componente fundamental do produto interno bruto.

Os integrantes do Federal Reserve (como é conhecido o Banco Central dos Estados Unidos) enxergam a economia do país ainda longe do nível que precisa atingir, em uma sinalização de que os juros devem se manter no patamar atual, próximos de zero, por um longo período.

As informações são da ata da reunião do Fomc realizada em janeiro e publicada nesta quarta-feira. Na reunião, além da manutenção das taxas, o Fed não alterou as compras de US$ 120 bilhões em ativos mensais.

 Europa

índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Reino Unido subiu 0,7% em janeiro ante igual mês do ano passado, acelerando em relação ao ganho anual de 0,6% observado em dezembro, segundo dados publicados nesta quarta-feira, 17, pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS).

O resultado de janeiro ficou acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta de 0,5% do indicador. Apesar da inesperada aceleração, o CPI continua bem aquém da meta de inflação do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), que é de uma taxa de 2%.

Em relação a dezembro, o CPI do Reino Unido caiu 0,2% em janeiro, neste caso, a projeção era de queda de 0,4% do índice. O núcleo do CPI, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, recuou 0,5% em janeiro ante o mês anterior, mas registrou ganho anual de 1,4%.

Deixe um comentário