Irani (RANI3): lucro líquido de R$ 92,7 milhões em 2020, alta de 250,6%

LinkedIn

A Irani divulgou lucro líquido de R$ 92,761 milhões em 2020, alta de 250,6% frente os R$ 26,456 milhões de lucro em 2019.

Os resultados da Irani (BOV:RANI3) referentes suas operações do quarto trimestre de 2020 foram divulgados no dia 26/02/2021. Confira o Press Release completo!

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

Segundo a companhia, os resultados são frutos da melhor performance dos segmentos de embalagem de papelão ondulado e papel para embalagem no mercado interno.

“Os principais impactos no lucro líquido deste ano foram relacionados ao crescimento da receita líquida de vendas e ao crescimento percentual da margem bruta. O resultado de 2020 também foi impactado positivamente pelo reconhecimento de créditos de PIS e COFINS em função de trânsito em julgado de decisão favorável à Companhia no montante de R$ 17,614 milhões”, destacou a companhia no release de resultados.

A receita líquida em 2020 teve crescimento de 14,6% em 2020 em relação a 2019 e atingiu R$ 1,029 bilhão, principalmente em função da melhor performance do segmento Embalagem de Papelão Ondulado no mercado interno.

O Ebitda ajustado em 2020 foi de R$ 226 milhões, com redução de 1,0% em comparação ao ano anterior e com margem de 21,9%, 3,5 pontos percentuais inferior a 2019. O ebtida de 2019 contém uma venda extraordinária de florestas, realizada no 4º trimestre, no valor de R$ 39 milhões, afetando a base de comparação.

“Enquanto o PIB do Brasil caiu de forma relevante, a Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO) informou que a expedição de papelão ondulado cresceu 5,5% em 2020 na comparação com 2019, para 3,8 bilhões de toneladas, graças ao maior uso de embalagens para o setor alimentício, comércio eletrônico e exportações, que criou um ambiente para o setor completamente diferente da economia em geral”, afirmou a empresa no comunicado.

4T20

O lucro líquido da Celulose Irani foi de R$ 33,917 milhões no quarto trimestre, uma alta de 139,6% na comparação com igual período de 2019 e alta de 32,7% frente os R$ 25,558 milhões registrados no terceiro trimestre.

A receita líquida no quarto trimestre registrou aumento de 24,9%, a R$ 290,935 milhões, quando comparada a igual período de 2019 e de 11,3% em relação ao terceiro trimestre do ano passado.

No 4º trimestre de 2020, o EBITDA Ajustado totalizou R$ 62,4 milhões com margem de 21,5% – 22,6% inferior ao apurado em igual período de 2019, que foi de R$ 81 milhões (impactado pela venda de floresta, como mencionado) com margem de 34,6%; e 12,2% superior quando comparado ao 3º trimestre de 2020, que foi de R$ 56 milhões com margem de 21,3%.

Teleconferência

A Irani Papel e Embalagem negocia com o BNDES o financiamento de seu projeto de expansão, que foi batizado de Plataforma Gaia, no valor de R$ 743 milhões.

Segundo o diretor de administração, finanças e relações com investidores da empresa, Odivan Cargnin, o objetivo com o financiamento do BNDES é, além de colocar o projeto em ação, realavancar a companhia, observando o limite de até 2,5 vezes previsto na política financeira.

Preços reajustados

O presidente da companhia, Sergio Ribas, disse na teleconferência que os preços de papéis e embalagens de papelão ondulado produzidos pela Irani foram reajustados no quarto trimestre de 2020, principalmente por causa da pressão proveniente do aumento dos custos com aparas, e esses repasses continuam a ocorrer ao longo do primeiro trimestre.

“2021 tem se mostrado um ano bastante interessante do ponto de vista de resultados, mas com desafios por causa do recrudescimento da pandemia, especialmente em Santa Catarina [onde a Irani tem operação]”, comentou o executivo. “O primeiro trimestre também vai se mostrando bastante interessante e os mercados seguem bastante aquecidos, especialmente os de papéis e embalagens”, acrescentou, em webinar com analistas e investidores.

Principal motor dos aumentos de custo e preços na indústria nacional de embalagens, os preços de aparas subiram 71,8%, para R$ 993 por tonelada. “Registramos demanda muito forte e houve repasse em linha com os aumento de custos”, comentou.

De acordo com Ribas, as fábricas de embalagens e papel da Irani seguem tomadas e os aumentos de preço de 2020 terão impacto positivo no primeiro trimestre, na esteira do efeito de carregamento. Novos reajustes foram anunciados, uma vez que os custos seguem pressionados, mas os preços de aparas não têm subido no mesmo ritmo visto no ano passado.

VISÃO DO MERCADO

Credit Suisse

O Credit Suisse afirmou que os resultados da Irani Papel e Embalagem, divulgados nesta manhã, vieram em linha com o esperado pelo banco, com um aumento significativo nos preços das caixas de papelão ondulado (18%), que compensou os preços mais altos da matéria prima.

O banco apontou que em uma base consolidada, os volumes ficaram relativamente estáveis na comparação trimestral, o que indica que a empresa deve estar próxima de sua capacidade total, e os preços mais altos impulsionaram a expansão do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) no trimestre.

“Estimamos que a empresa gerou um caixa de R$ 36 milhões no trimestre (cerca 9% de rendimento anualizado), e como resultado a dívida líquida caiu para R$ 242 milhões (ante R$ 263 milhões no terceiro trimestre) e a alavancagem ficou estável em 1,1 vez a relação dívida líquida pelo Ebitda”, diz o relatório.

“A Irani também possui um portfólio abrangente de projetos que pretende desenvolver nos próximos anos com foco em oportunidades de crescimento e redução de custos. Acreditamos que os projetos são agregadores de valor e não precificados (somando até R$ 3,5 por ação no valor presente líquido) e esperamos que eles levem a uma expansão da margem Ebitda de 8% até 2025 (de 22% em 2020 para 30%) e levem o Ebitda a aumentar em 73 % nesse mesmo período”, diz.

O Credit manteve a recomendação de compra da companhia e o preço-alvo em R$ 7,20, por ver a Irani como uma ação defensiva e com alta previsibilidade de lucros, uma vez que cerca de 80% ne seus volumes são enviados para clientes em setores que estão mais isolados dos ciclos de negócios, enquanto os preços dos produtos da Irani se movem em linha com a inflação.

XP Investimentos

“A Irani reportou resultado operacional um pouco mais forte do que o esperado no quatro trimestre”, afirmam Yuri Pereira e Thales do Carmo, que assinam o relatório da gestora. A dupla acrescenta que o ebitda de R$ 62,5 milhões, por exemplo, ficou 2% acima de sua estimativa.

“O principal motivo para o resultado acima do nosso foi o preço realizado mais forte compensando parcialmente a alta no preço das aparas”, explicam os analistas. As aparas de papelão reciclado são a principal matéria prima da Irani, e seu preço subiu 72% entre o quarto trimestre de 2019 e o mesmo período de 2020, alcançando R$ 993 por tonelada.

Segundo a XP, o isolamento social reduziu a oferta de papelão reciclado, ao mesmo tempo em que elevou a demanda, causando o aumento dos preços.

A tendência, agora, é que a Irani atravesse um período mais favorável. “Acreditamos que a empresa deva ter uma expansão de margem em 2021, uma vez que será capaz de aumentar os preços ao cliente final”, observa a XP.

A dupla acrescenta que, “em um cenário de recuperação econômica, normalização da cadeia de produção deve resultar em preços mais baixos de aparas e, consequentemente, melhores resultados da Irani nos próximos períodos.”

O último ponto é que as ações da empresa estão baratas, quando comparadas com a de suas concorrentes. Nas contas da XP, o papel é negociado por um múltiplo de 5,9 vezes o Valor da Empresa/ Ebitda projetado para 2021. A gestora lembra que, na média, as rivais são negociadas por 8 vezes VE/Ebitda.

XP Investimentos mantém recomendação de compra para os papéis, com preço-alvo de R$ 8,50 por ação.

Pensando em investir na Irani?

A Irani é uma principais indústrias nacionais dos segmentos de papel para embalagem e embalagem de papelão ondulado, tendo presença em 4 estados brasileiros. A empresa possui R$ 1,53 bilhão de valor de mercado. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

Governança Corporativa

As ações da Irani são negociadas no Novo Mercado. A empresa realizou IPO no dia 24 de março de 1998.

Composição Acionária

Acionistas Quant. % Quant. %
Irani Participações S.A. 98.723.887 38,46 98.723.887 38,46
Companhia Habitasul de Participações 21.077.100 8,21 21.077.100 8,21
Habitasul Desenvolvimentos Imobiliários S.A. 27.679.760 10,78 27.679.760 10,78
Ações em tesouraria 2.376.116 0,93 2.376.116 0,93
Outros 106.863.372 41,62 106.863.372 41,62
Total 256.720.235 100,00 256.720.235 100,00

Desempenho da empresa na B3

No último ano, as ações da Irani oscilaram entre a mínima de R$ 2,50 e a máxima de R$ 6,73. No último pregão antes da divulgação do resultado do 4T20, a empresa fechou em queda de 2,78%, negociada a R$ 6,30.

Confira o histórico da Irani (RANI3)

Período Abertura Máxima Mínima Preço Médio Vol Médio Variação Variação %
1 Semana 6,28 6,73 5,73 6,35 3.397.740 -0,32 -5,1%
1 Mês 5,77 6,73 5,54 6,20 2.883.367 0,19 3,29%
3 Meses 5,02 6,73 5,00 5,82 2.490.919 0,94 18,73%
6 Meses 4,69 6,73 4,07 5,25 2.408.447 1,27 27,08%
1 Ano 4,80 6,73 2,50 5,01 1.578.095 1,16 24,17%
3 Anos 2,10 8,37 1,86 4,99 602.294 3,86 183,81%
5 Anos 2,39 8,37 1,86 4,98 413.272 3,57 149,37%
* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário