BRMalls aprova emissão de debêntures no valor de R$ 400 milhões

LinkedIn

O Conselho de Administração da BRMalls aprovou a 9ª emissão de debêntures da companhia, no valor de R$ 400 milhões, em série única. Os títulos terão prazo indeterminado.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:BRML3) nesta terça-feira (16).

A remuneração se dará por meio de juros com base na variação acumulada de 100% das taxas médias diárias do DI, acrescida de uma taxa de 2,30% até 25 de setembro de 2021, de 2,55% entre essa data e 25 de março de 2022, de 2,80% até 25 de setembro de 2022, de 3,10% até 25 de março de 2023 e, a partir daí, o porcentual acrescido de 1,00 ponto porcentual a cada período semestral, limitado a 12,00%.

Cada debênture terá valor nominal unitário de R$ 10 mil. A BRMalls diz que os recursos captados serão integralmente utilizados para reforço de seu capital de giro e/ou alongamento de seu perfil de endividamento.

Prejuízo líquido de R$ 239,8 milhões em 2020, revertendo lucro de R$ 1,2 bilhão de 2019

A operadora de shopping centers brMalls teve prejuízo líquido de R$ 293,8 milhões, revertendo parte do lucro líquido de R$ 1,24 bilhão em 2019, em um resultado atribuído aos impactos da pandemia de covid-19, segundo mensagem da administração que acompanha os resultados financeiros.

Os resultados da BR Malls referentes suas operações do quarto trimestre de 2020 foram divulgados no dia 11/03/2021. Confira o Press Release completo!

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

4T20

A empresa de shopping centers BR Malls teve lucro líquido no quarto trimestre de 2020 de R$ 199,4 milhões, queda de 51,1% em relação aos R$ 407,6 milhões registrados no mesmo trimestre de 2019.

A receita líquida da empresa no quarto trimestre de 2020 alcançou R$ 266,7 milhões, queda de 23,8% sobre o resultado de um ano antes.

O Ebitda –  lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ficou em R$ 251,8 milhões, queda de 65,3% sobre o mesmo trimestre de 2019.

(Informações Reuters)

Deixe um comentário