CCR concessionária da Linha 4 do Metrô de SP, assina dois aditivos de R$ 798,457 milhões

LinkedIn

A CCR comunicou nesta terça-feira, 23, que ViaQuatro, concessionária da Linha 4 do Metrô de São Paulo, assinou dois termos aditivos com a Secretaria de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo ao contrato de concessão. Juntos, os termos somam R$ 798,457 milhões. O extrato será publicado no Diário Oficial do Estado.

O fato relevante foi feito pela companhia (BOV:CCRO3), nesta terça-feira (23).

O Termo Aditivo nº 06 ao Contrato de Concessão estabeleceu o valor bruto devido pelo Poder Concedente à ViaQuatro a título de reequilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão, no montante de R$ 705.378.318,41 , na data-base de março de 2020, em razão do atraso na conclusão das obras da Fase I da concessão e no seccionamento de linhas intermunicipais geridas pela EMTU e  que o reequilíbrio será implementado mediante a revisão na Tarifa de Remuneração da ViaQuatro, no período entre 1º de janeiro de 2021 e 31 de dezembro de 2037.

O Termo Aditivo nº 07 ao Contrato de Concessão fixou o novo valor mensalmente devido pelo Poder Concedente à ViaQuatro a título de Compensação de Atraso da Fase II, no valor de R$ 353.344,58, na data base julho de 2006, para a Estação Morumbi, e o valor devido mensalmente de R$ 1.117.799,20, na data base de julho de 2006, para a Estação Vila Sônia, por cada mês completo de atraso de cada uma das Estações.

Estabeleceu, ainda, o pagamento, em dinheiro e em até 20 dias contados da data de assinatura do referido aditivo, do montante de R$ 91.607.852,02, na database de fevereiro de 2021, relativo à somatória dos valores já devidos pelo Poder Concedente a título de Compensação de Atraso da Fase II relacionados ao atraso nas Estações Morumbi e Vila Sônia, valor que, caso não pago, tornará o aditivo sem eficácia.

A assinatura dos Termos Aditivos nº 06 e nº 07 ao Contrato de Concessão traduz o respeito do Grupo de CCR à parceria de longa data com o Estado de São Paulo e ao seu compromisso com o desenvolvimento da infraestrutura no Estado

Lucro líquido de R$ 191 milhões desaba 86,7% em 2020

O grupo CCR registrou lucro líquido de R$ 191 milhões em 2020, queda de 86,7% em relação ao ano de 2019.

No acumulado do ano, a receita líquida foi de R$ 8,941 bilhões, baixa de 5,8%.

No acumulado de todo 2020, o tráfego teve queda anual de 2,6% – taxa considerada razoável diante das fortes perdas registradas no auge da crise. No segundo trimestre do ano passado, o índice chegou a cair 18,2%.

Pensando em investir na CCR?

Prestadora de serviços públicos por meio de concessões rodoviária, metroviária e aeroportuária, além de prestação de serviços de meio de pagamentos e outros.

→ O grupo CCR foi fundado em 1999 e hoje é uma das maiores empresas de concessão de infraestrutura da América Latina. Atua nos segmentos de concessão de rodovias, mobilidade urbana e aeroportos e serviços. O grupo CCR possui R$ 22 bilhões de valor de mercado. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

Deixe um comentário