Bradesco e Itaú propõem manter Antônio Cássio como presidente do Conselho do IRB Brasil

LinkedIn

O IRB-Brasil Resseguros recebeu dos acionistas Bradseg Participações, Bradesco Seguros e Itaú Seguros, a indicação de proposta alternativa para que o Conselho de Administração (CA) da companhia seja composto, no próximo mandato, por 7 membros titulares e 1 membro suplente do presidente do Conselho de Administração, e da seguinte chapa alternativa para a eleição dos 7 membros titulares e 1 membro suplente do Conselho de Administração.

O comunicado foi feito pela empresa (BOV:IRBR3) neste sábado (10). Confira o documento na íntegra!

Confira os nomes:

-Antônio Cássio dos Santos, na qualidade de membro titular e Presidente do Conselho de Administração, devendo ser eleito mediante voto da União Federal, detentora da golden share;

-Jorge Lauriano Nicolai Sant’Anna, na qualidade de membro suplente do Presidente do Conselho de Administração, devendo ser eleito mediante voto da União Federal, detentora da golden share;

-Regina Helena Jorge Nunes, na qualidade de membro titular e independente do Conselho de Administração;

-Ivan Gonçalves Passos, na qualidade de membro titular e independente do Conselho de Administração;

-Henrique José Fernandes Luz, na qualidade de membro titular e independente do Conselho de Administração;

-Marcos Pessoa de Queiroz Falcão, na qualidade de membro titular e independente do Conselho de Administração;

-Ellen Gracie Northfleet, na qualidade de membro titular e independente do Conselho de Administração;

-Hugo Daniel Castillo Irigoyen, na qualidade de membro titular e independente do Conselho de Administração.

A proposta será analisada na Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária a ser realizada em 30 de abril.

A IRB pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 13 de maio.

Prejuízo líquido de R$ 1,521 bilhão em 2020

O IRB Brasil Re registrou um prejuízo líquido de R$ 1,521 bilhão no ano passado, resultado que se compara ao lucro de R$ 1,210 bilhão em 2019. No quarto trimestre, o prejuízo contábil foi de R$ 620,2 milhões, ante lucro de R$ 654,4 milhões do mesmo período do ano anterior e prejuízo de R$ 229,8 milhões no terceiro trimestre

A companhia destacou que o resultado líquido em 2020 foi negativamente impactado principalmente pelo impacto dos negócios descontinuados (run-off) e pelos efeitos one-offs, que estão listados a seguir:  • Negócios Descontinuados – Run-off: – R$ 589,2 milhões; • Impacto operações de LPT (Loss Portfolio Transfer): – R$ 28,4 milhões em dezembro de 2020; • maior provisionamento da carteira de vida internacional em outubro de 2020: – R$80,5 milhões; • Acordo Eletronorte: Impacto de – R$52,3 milhões referente a perda registrada no acordo de ressarcimento com a Eletronorte; e • Baixa Créditos Tributários de Londres em dezembro de 2020: – R$ 335,9 milhões.

Deixe um comentário