CADE aprova compra dos ativos da Laureate no Brasil pela Ânima

LinkedIn

A Ânima Educação informa que a Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a aquisição de todos os ativos brasileiros do Grupo Laureate.

O Fato Relevante foi divulgado pela empresa (BOV:ANIM3) nesta sexta-feira (23).

Com isso, segundo fato relevante divulgado há pouco pela empresa, “após a publicação do ato, terá início, em 27 de abril, a contagem do prazo de 15 dias para que referida decisão transite em julgado, se tornando, então, definitiva”.

Com o trânsito em julgado e, portanto, superada a condição suspensiva da aprovação pelo Cade, a integração das atividades dos ativos ao grupo Anima “acontecerá o mais breve possível”, acrescenta a empresa.

A Ânima ressalta ainda que informará ao mercado assim que for definida a data do fechamento e realizará um Webinar, após o trânsito em julgado da decisão.

VISÃO DO MERCADO

BTG Pactual 

Para além da aquisição, o banco tem uma visão positiva sobre a empresa, por considerar que os fundamentos por trás de sua recente recuperação de margem, como o foco em nicho de alta qualidade, as sinergias de aquisições recentes e a exposição relevante cursos de medicina, não são tão suscetíveis ao cenário macroeconômico.

Apesar de considerar que o acordo será positivo para a Ânima, o BTG ressalta que a companhia deverá estar altamente alavancada após o fechamento da transação.

Vale ressaltar que a aprovação final do Cade ainda deve ocorrer nos próximos 15 dias, porém, segundo o banco, tudo aponta para uma resolução bem-sucedida.

BTG Pactual tem recomendação de compra para Ânima.

A Ânima pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 12 de maio.

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 1T21

Prejuízo líquido de R$ 41,1 milhões em 2020, recuo de 328,5%

A Anima Holding registrou prejuízo líquido de R$ 41,1 milhões, recuo de 328,5% na comparação com o ano de 2019.

No ano, a receita foi de R$ 1,42 bilhão, alta de 20,4%. O aumento da mensalidade média e a expansão da base de alunos por aquisições foram responsáveis pelo aumento na receita líquida anual, apontou a companhia.

O Ebitda anual foi de R$ 271,6 milhões, avanço de 10,6%.

Entre janeiro e dezembro, a geração de caixa passou de R$ 229,1 milhões para R$ 341,9 milhões.

A Anima finalizou o ano passado com R$ 1,27 bilhão em caixa, enquanto o caixa ao fim de 2019 era de R$ 182,6 milhões.

Deixe um comentário