Cruzeiro do Sul Educacional informa a morte do cofundador da empresa Hermes Ferreira Figueiredo

LinkedIn

A Cruzeiro do Sul informou a morte do cofundador da empresa, Hermes Ferreira Figueiredo. O professor Hermes, como era conhecido, ocupava uma cadeira no Conselho de Administração da companhia.

O fato relevante foi feito pela empresa (BOV:CSED3), nesta segunda-feira (26).

Ele foi um dos fundadores do Colégio Cruzeiro do Sul em 1965, ao lado do também professor Gilberto Padovese (1937-2011) e da Universidade Cruzeiro do Sul em 1970, sendo o primeiro reitor da instituição. Também fundou a Associação Santos Dumont de Educação e Cultura.

Licenciado e bacharel em História pela Universidade de São Paulo (USP), o professor Hermes esteve à frente do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Ensino Superior de São Paulo (Semesp) até o início de abril.

“Muito mais do que acreditar na Educação, o Prof. Hermes Ferreira Figueiredo foi um visionário que iniciou em 1965, junto de outros entusiastas, a grande história da Companhia. Desde então, o trabalho, a dedicação e o amor sempre estiveram presentes em sua vida, afinal foram 56 anos dedicados a conduzir e transformar a Cruzeiro do Sul Educacional na instituição que ela é hoje, além da sua atuação constante como uma das lideranças mais relevantes do segmento, reforçando sua importância para o desenvolvimento da educação no Brasil”, diz a empresa.

Cruzeiro do Sul: lucro líquido ajustado de R$ 175,4 milhões em 2020

A Cruzeiro do Sul registrou lucro líquido ajustado de R$ 175,4 milhões em 2020, crescimento de 3,2% em comparação com 2019.

No acumulado do ano, a receita líquida cresceu 22,2%, para R$ 1,8 bilhão, apesar do cenário adverso em virtude da pandemia.

No ano, o Ebitda ajustado, cresceu 28,5%, para R$512,9 milhões, principalmente em função da aquisição de Positivo e Braz Cubas. Excluindo as adquiridas, a receita teria caído 1,4% impactada pela queda de 5,2% no presencial, apesar da forte expansão do negócio de EaD (+13,7%).

No presencial crescimento de 11,0% refletindo a resiliência da companhia em manter sua estratégia de precificação e sua base de alunos em cursos premium (67% média em 2020), além do impacto das adquiridas, como a Positivo que possui um posicionamento premium na região em que atua.

No EaD leve queda de -0,9%, impactado pela maior representatividade de calouros na base total de alunos.

A instituição de ensino superior fechou 2020 com uma base de 352,3 mil alunos, um crescimento de 28,9% na comparação com 2019. Retirando as aquisições feitas durante o período, a base de alunos seria de 301,2 mil, crescimento de 10,2%.

(Informação Broadcast)

Deixe um comentário