OPEP+ decide reduzir gradativamente cortes de produção à medida que persistem preocupações com a demanda

LinkedIn

Os preços do petróleo fecharam em alta nesta quinta-feira, depois que a OPEP+ decidiu reduzir gradualmente os cortes de produção existentes a partir do próximo mês.

O petróleo Brent para junho fecha em alta de 3,38%,a US$ 64,86 o barril na Ice; WTI para maio sobe 3,87%, a US$ 61,45 o barril na Nymex.

A partir de maio, mais 350.000 barris por dia serão adicionados à produção, com outros 350.000 chegando ao mercado em junho. Em julho, a produção aumentará em 450.000 barris por dia.

A aliança OPEP+ está atualmente cortando pouco mais de 7 milhões de barris por dia na tentativa de sustentar os preços e reduzir o excesso de oferta. A Arábia Saudita, chefão da OPEP, acrescentou voluntariamente mais 1 milhão de barris por dia a esses cortes.

A Arábia Saudita disse que começará a conter seus cortes voluntários na produção em maio.

A reunião ocorre logo após o Canal de Suez ser reaberto ao tráfego e como o coronavírus continua a se espalhar pelo mundo, com o presidente francês Emmanuel Macron ordenando o país em seu terceiro bloqueio nacional para aliviar parte da pressão sobre os hospitais.

A crise do coronavírus em curso continua a obscurecer a perspectiva da demanda e os analistas esperam que isso reafirme a cautela da Arábia Saudita sobre a recuperação econômica global.

Antes da reunião, o secretário-geral da OPEP, Mohammed Barkindo, enfatizou a necessidade de “ permanecer muito cauteloso ” como resultado das incertezas e fragilidade contínuas causadas pela pandemia do coronavírus.

Da mesma forma, a Arábia Saudita já encorajou os parceiros aliados a permanecerem “extremamente cautelosos” na política de produção, alertando o grupo contra a complacência enquanto busca garantir uma recuperação total do mercado de petróleo.

A Rússia, não pertencente à OPEP, por sua vez, tem procurado que o grupo avance com um aumento da oferta.

(Com informações da CNBC)

Deixe um comentário